Pavel Grachev

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Pavel Grachev
Nascimento 1 de janeiro de 1948
Oblast de Tula
Morte 23 de setembro de 2012 (64 anos)
Krasnogorsk
Sepultamento Cemitério Novodevichy
Cidadania União Soviética, Rússia
Alma mater Academia Militar do Estado-Maior das Forças Armadas da Rússia, Escola de Comando Aerotransportado de Ryazan, M.V. Academia Militar de Frunze
Ocupação político, militar
Prêmios Ordem do Estandarte Vermelho, Ordem de Lenin, Ordem da Estrela Vermelha, Herói da União Soviética, Ordem da Insígnia de Honra, Cidadãos honorários de Yerevan, Ordem de Serviço à Pátria nas Forças Armadas da URSS, 3ª classe, Medalha em Comemoração aos 850 Anos de Moscou, Medalha de Veterano das Forças Armadas da URSS, Medalha Comemorativa pelo Centenário do Nascimento de Lenin, Medalha do Jubileu "Vinte Anos de Vitória na Grande Guerra Patriótica 1941–1945", Medalha do Jubileu "60 Anos das Forças Armadas da União Soviética", Medalha "Por Serviço Impecável"
Causa da morte doença infecciosa
Assinatura
P Grachyov 1.jpg

Pavel Sergeyevich Grachov (em cirílico: Павел Сергеевич Грачёв) (Rvy, 1 de janeiro de 1948 — Krasnogorsk, 23 de setembro de 2012[1]) foi um militar e político russo. General de Exército, foi nomeado em 1988 Herói da União Soviética.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Grachov se graduou pelo Instituto de Tropas Aerotransportadas de Ryazan, pelas Academia Militar Frunze e do Estado-Maior. Fez carreira durante o apogeu das atrocidades cometidas pelas tropas soviéticas na invasão soviética do Afeganistão, onde foi o comandante da 103ª Divisão de Tropas Aerotransportadas soviéticas nos últimos anos do conflito.

Em janeiro de 1991, o general foi nomeado comandante das Tropas Aerotransportadas, cargo que abandonou em agosto para assumir o posto de vice-ministro da Defesa da União Soviética. Em meados dos anos 1990, Grachov, que era amigo íntimo do presidente russo Boris Yeltsin, ocupou o cargo de Ministro de Defesa da Federação Russa entre maio de 1992 e junho de 1996. Sua atuação no norte do Cáucaso lhe rendeu o apelido de "o açougueiro de Grozni".

Grachov participou ativamente do golpe de Estado contra Mikhail Gorbatchov em agosto de 1991 e da crise constitucional em favor de Yeltsin de 1993. Também teve papel decisivo no início da Guerra da Chechênia, prometendo que acabaría con a aspiração de indepêndencia dessa república somente com a ajuda dos regimentos aerotransportados, uma frase famosa que quase lhe custou o cargo no ministério de Yeltsin. Sua atuação

Corrupção[editar | editar código-fonte]

O general foi acusado de estar envolvido em casos de corrupção militar relativos à retirada das tropas soviéticas da República Democrática Alemã, o qual não se provou em juízo. Estes casos foram trazido a luz pelo jornalista investigativo Dimitri Kholodov - asaasinado em atentado em 1994.

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]