Pleosporales

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Como ler uma caixa taxonómicaPleosporales
Alternaria sp.

Alternaria sp.
Classificação científica
Reino: Fungi
Divisão: Ascomycota
Classe: Dothideomycetes
Subclasse: Pleosporomycetidae
Ordem: Pleosporales
Luttr. ex M.E.Barr 1987
Famílias

Pleosporales é a maior ordem da classe de fungos Dothideomycetes, incluindo 23 famílias, pelo menos 332 géneros e cerca de 5000 espécies.[1] A maioria das espécies são saprobiontes que crescem sobre matéria vegetal em decomposição imersa em água doce,[2] água salgada[3] ou em ambientes terrestres, mas várias espécies ocorrem associadas com plantas vivas, das quais são epífitas ou parasitas, incluindo algumas endófitas.[4]

Descrição[editar | editar código-fonte]

As espécies melhor estudadas entre os Pleosporales são aquelas que causam importantes doenças em culturas com importância comercial, como Cochliobolus heterostrophus (que causa a murchidão das folhas do milho), Phaeosphaeria nodorum (anteriormente Stagonospora nodorum que causa o morrão do trigo) e Leptosphaeria maculans (que causa o morrão negro em couves e outras culturas do género Brassica).

Algumas espécies de Pleosporales ocorrem em estrumes[5] e um pequeno número forma fungos liquenizados[6] e fungos incrustantes de rochas.[7]

O mais antigo mebro conhecido dos Pleosporales é o extinto género Margaretbarromyces, descrito a partir de estratos geológicos do Eoceno da ilha de Vancouver, British Columbia.[8]

Géneros em incertae sedis[editar | editar código-fonte]

Alguns géneros de Pleosporales permanecem numa posição taxonómica incerta (incertae sedis), não tendo sido alocados a qualquer família. Entre esses géneros encontram-se os seguintes:

Notas

  1. Kirk PM, Cannon PF, Minter DW, Stalpers JA.. Dictionary of the Fungi. 10th ed. Wallingford, UK: CABI, 2008. p. 547. ISBN 978-0-85199-826-8
  2. Shearer CA, Raja HA, Miller AN, Nelson P, Tanaka K, Hirayama K, Marvanová L, Hyde KD, Zhang Z. 2009. The molecular phylogeny of freshwater Dothideomycetes. Studies in Mycology 64: 145–153.[1]
  3. Suetrong S, Schoch CL, Spatafora JW, Kohlmeyer J, Volkmann-Kohlmeyer B, Sakayaroj J, Phongpaichit S, Tanaka K, Hirayama K, Jones EBG. 2009. Molecular systematics of the marine Dothideomycetes. Studies in Mycology 64: 155–173.[2]
  4. Zhang Y, Schoch CL, Fournier J, Crous PW, Gruyter J De, Woudenberg JHC, Hirayama K, Tanaka K, Pointing SB, Hyde KD. 2009. Multi-locus phylogeny of the Pleosporales: a taxonomic, ecological and evolutionary re-evaluation. Studies in Mycology 64: 85–102.[3]
  5. Kruys Å, Eriksson OE, Wedin M. 2006. Phylogenetic relationships of coprophilous Pleosporales (Dothideomycetes, Ascomycota), and the classification of some bitunicate taxa of unknown position. Mycological Research 110:527–536
  6. Nelsen MP, Lücking R, Grube M, Mbatchou JS, Muggia L, Rivas Plata E, Lumbsch HT. 2009. Unravelling the phylogenetic relationships of lichenised fungi in Dothideomyceta. Studies in Mycology 64: 135–144.[4]
  7. Ruibal C, Gueidan C, Selbmann L, Gorbushina AA, Crous PW, Groenewald JZ, Muggia L, Grube M, Isola D, Schoch CL, Staley JT, Lutzoni F, Hoog GS De. 2009. Phylogeny of rock-inhabiting fungi related to Dothideomycetes. Studies in Mycology 64: 123–133.[5]
  8. Stockey, R.A., Beard, G., & Currah, R.S.. (2007) "Margaretbarromyces dictyosporus gen. sp. nov.: a permineralized corticolous ascomycete from the Eocene of Vancouver Island, British Columbia". Mycological Research 111 (6): 680–684. DOI:10.1016/j.mycres.2007.03.010. PMID 17601718.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Wikispecies
O Wikispecies tem informações sobre: Pleosporales