Poliginia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde outubro de 2015). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Poliginia (do grego polýs: muitas, e gyné: mulher) é um termo utilizado tanto em antropologia social como em sociobiologia. Refere-se à prática de um homem de contrair matrimônio com mais de uma esposa. O homem tem direito a mais de uma esposa, enquanto que as mulheres só podem ter o homem em questão como relação.

A poliginia é sustentada por diversos textos dos livros sagrados de judeus, cristãos e muçulmanos. Os cristãos reduziram o número de famílias onde ocorria a poliginia gradativamente após as intervenções da igreja católica, por influencia dos hábitos romanos que eram monogamos. No Judaísmo, a poliginia foi proibida pelos rabinos, não por Deus. O rabino Gershom ben Judah recebeu o crédito da proibição da poligamia no século 11.

Em biologia, poliginia é o hábito de algumas espécies pelo qual o macho possui mais do que uma parceira sexual.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Wikcionário
O Wikcionário possui o verbete poliginia.
Ícone de esboço Este artigo sobre sociologia ou um sociólogo é um esboço relacionado ao Projeto Ciências Sociais. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.