Poser

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Autenticidade é objetivo de devotos de várias subculturas musicais, incluindo da cena gótica.

Poser é um termo pejorativo, usado frequentemente para descrever "uma pessoa que finge ser algo que ela não é", copiando vestimentas, vocabulário e/ou maneirismos de um grupo ou subcultura, geralmente para conseguir aceitação ou popularidade dentro de um grupo, mas que, de fato, não compartilha ou não entende os valores ou a filosofia daquele grupo.[1] Os chamados "posers" costumam fingir gostar de certos artistas, bandas ou gêneros musicais, no momento em que estes passam a ser popularmente conhecidos, esquecendo-os completamente quando saem de moda. Enquanto essa inautenticidade percebida é vista como objeto de desprezo e escárnio pelos membros da subcultura, a definição do termo e a decisão sobre a quem aplicá-lo é subjetiva. O termo é mais associado à subcultura punk dos anos 1970 e 1980, mas o uso inglês do termo ("poseur") origina-se no fim do século XIX.[2][3]

Etimologia e Definição[editar | editar código-fonte]

O termo inglês poser é um empréstimo linguístico do francês, língua na qual é usado figurativamente desde meados do século XIX, com o mesmo significado que no inglês, designando pessoas que "afetam uma atitude ou pose".[4] A palabra refere-se a "uma pessoa que habitualmente finge ser algo que não é". [5] [6]

Subcultura Punk[editar | editar código-fonte]

A subcultura punk classifica supostos membros que não respeitam ou não entendem os valores da subcultura, como posers.

O termo poseur foi usada em várias músicas punk do final da década de 1970, incluindo a canção do X-Ray Spex, "I am Poseur".

Dave Rimmer escreveu que, com o renascimento dos ideais do punk de música despojada no início dos anos 1990, com Kurt Cobain e muitos jovens como ele, o rock & roll lançou um desafio: você pode ser puro o suficiente, dia após dia, ano após ano, comprovando sua autenticidade, viver de acordo com a música, [ou então] viver sendo um poser, uma farsa, um vendido?

Um escritor argumentou que a cena punk de Los Angeles foi afetada pela invasão de "posers suburbanos antagônicos", o que gerou "um aumento da violência [...] e levou a um colapso geral da cena hardcore". [7] Um escritor de Gauntlet elogiou os álbuns do US Bombs, orientados politicamente como uma pedra de verdade e autenticidade em um mar de esgoto poser", e chamou-os de "punk rockers reais" em "um momento em que o gênero está repleto de canções bobas sobre carros, meninas e narguilés". [8]

Subcultura do heavy metal[editar | editar código-fonte]

Jeffrey Arnett argumenta que a subcultura do heavy metal classifica membros em duas categorias: "aceitação como um autêntico metaleiro ou rejeição como falso, um poseur."[9] Em um perfil da "subcultura de alienação" de fãs de heavy metal, o autor nota que a cena heavy metal classificou alguns supostos membros como posers, isto é, músicos ou fãs de heavy metal que fingiam ser parte da subcultura mas eram considerados como desprovidos de autenticidade e sinceridade.[10]

Um subgênero de metal, o nu-metal é visto como controverso entre os fãs de metal, e os detratores do gênero têm rotulado nu-metal com termos depreciativos como "mallcore", "whinecore", "grunge para os zeros" e "esporte- rock". [11] Gregory Heaney do Allmusic descreveu o gênero como "um dos impulsos mais infelizes do metal no mainstream." ."[12]

Axl Rose comentou que sentiu que a banda eram "estúpidos garotos brancos posers."

Ron Quintana escreveu que, quando a banda Metallica estava tentando encontrar um espaço na cena de metal de Los Angeles, no começo dos anos 1980, era difícil para a banda "tocar sua música e vencer sobre uma multidão em uma terra onde posers mandavam, e qualquer coisa rápida e pesada era ignorada."[13]

Em um artigo sobre Axl Rose, intitulado "Ex–‘White-Boy Poseur'" ("Ex-'Garoto-branco poser'"), Axl disse que teve um "tempo para refletir sobre sua postura heavy metal" das últimas décadas: "Pensávamos ser tão radicais... [até que]] N.W.A surgiu fazendo rap sobre este mundo em que você sai de casa e leva um tiro. [...] Estava tão claro como éramos garotinhos-brancos estúpidos e posers."[14]

A banda sueca Poser Executioner, de black metal, foi formada em 2011, tem temas líricos contra posers e "falso metal." [15]

Subcultura Gótica[editar | editar código-fonte]

Goth Bíblia de Nancy Kilpatrick descreve góticos posers como "jovens que estão passando por uma fase gótica, sem ter a sensibilidade gótica, mas querendo ser parte da multidão gótica.

Goth Bíblia de Nancy Kilpatrick: um compêndio para os definir posers inclinados para a cena gótica, da seguinte forma: "wannabes" góticos, geralmente adolecentes passando por uma fase gótica sem entendimento e sensibilidade góticas, mas querem ser parte da multidão gótica ... ". Kilpatrick descarta posers de gótico como "Batbabies", cuja roupa é comprada [loja de shopping] Hot Topic com o dinheiro dos seus pais. [16]

O site goth Goth.net tem uma seção sobre posers que afirma que ninguém nasce sabendo tudo de qualquer subcultura e até que finalmente trazer o seu levantamento para o rebanho, você nunca vai aprender. Apenas certifique-se de que se você realmente está interessado, você faz sua pesquisa e você faz perguntas. É aí que os posers se classificados do joio."

A Goth music reviewer fez uma referencia aos "teen-posers", em meio a multidão que goza de um pequeno gênero conhecido como metal sinfônico. Na subcultura gótica, o termo pejorativo "mall Goth" ('gótico de shopping') às vezes é usado para descrever posers.


Referências

  1. «poser». Dictionary.com (em inglês). Consultado em 30 de janeiro de 2010 
  2. [http://www.docstoc.com/docs/6325270/Poseur_-music-
  3. Definition of poseur at Dictionary.com
  4. [1]
  5. «poseur – Definition from the Merriam-Webster Online Dictionary». Merriam-webster.com 
  6. «Cambridge Dictionaries Online». Dictionary.cambridge.org 
  7. «Fantagraphics Books – Artist Bio – Los Bros. Hernandez». Fantagraphics.com 
  8. «U.S. Bombs – Heavy Metal – News – U.S. Bombs Videos – U.S. Bombs Ringtones – mp3s – Tabs – Wallpaper – lyrics». The Gauntlet 
  9. Arnett, Jeffrey Jensen. Metalheads: Heavy Metal Music and Adolescent Alienation (1996)
  10. Arnett, Jeffrey (1993). «Three profiles of heavy metal fans: A taste for sensation and a subculture of alienation (Três perfis de fãs de heavy metal: gosto pela sensação e uma subcultura de alienação)». Qualitative Sociology. 16 (4): 423–43. doi:10.1007/BF00989973 
  11. Tommy Udo (2002). Brave Nu World. [S.l.]: Sanctuary Publishing. ISBN 1-86074-415-X 
  12. Heaney, Gregory. «Deftones - Koi No Yokan». Allmusic 
  13. Ron Quintana's article. "Metallica['s] Early History".Thrash Metal
  14. Ex–‘White-Boy Poseur’ Axl Rose: Album delay is for the fans. Jada Yuan Published 11 Sep 2006 http://nymag.com/news/intelligencer/20338/
  15. «Poser Executioner» 
  16. Nancy Kilpatrick's Goth Bible: A Compendium for the Darkly Inclined 2004.
Ícone de esboço Este artigo sobre música é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.