Projeto Runeberg

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Projekt Runeberg
Projeto Runeberg
Beskrifning öfver Upsala län, sid. 38.png
Requer pagamento? Não
Gênero Biblioteca digital
País de origem  Suécia
Idioma(s) Sueco, além de Norueguês, Dinamarquês, Finlandês, Estónio, Alemão, Inglês, Latim
Lançamento 1992
Desenvolvedor Clube de computadores Lysator, na Universidade de Linköping
Página oficial runeberg.org

O Projeto Runeberg (AO 1945: Projecto Runeberg) é uma iniciativa que visa a digitalização da literatura nórdica antiga e torná-la de acesso livre na Internet.[1]

História[editar | editar código-fonte]

O projeto foi fundado em 1992 por Lars Aronsson e conduzido dentro do clube de computação Lysator, na Universidade de Linköping.

O nome é uma alusão ao modelo americano Projeto Gutenberg e ao poeta nacional finlandês Johan Ludvig Runeberg, cuja obra Os contos do Alferes Stål (Fänrik Ståls sägner) fora uma das primeiras obras no formato digital.

Uma das condições às quais o projeto está sujeito é a limitação de tempo pela lei de direito de cópia, a qual prevê que as obras de um autor morto há mais de 70 anos se torna de domínio público e seu conteúdo pode ser distribuído gratuitamente.

Durante o primeiro ano do Projeto Runeberg, foram produzidas edições (e-texts) dos autores Carl Michael Bellman, Karin Boye, Erik Axel Karlfeldt, Selma Lagerlöf, Johan Ludvig Runeberg, dentre outros, sem muito discernimento crítico.

Um importante marco foi a edição completa da tradução da Bíblia sueca de 1917, terminada e revista, capítulo por capítulo, por vinte voluntários em maio de 1996. Igualmente ficou pronta em 2003 a antiga enciclopédia sueca Nordisk familjebok.

Referências

  1. «About Project Runeberg» (em inglês). Projekt Runeberg. Consultado em 19 de maio de 2016. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]