Quinto Sósio Senécio

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Quinto Sósio Senécio
Cônsul do Império Romano
Consulado 99 d.C.
107 d.C.

Quinto Sósio Senécio (em latim: Quintus Sosius Senecio) foi um senador romano eleito cônsul duas vezes, a primeira em 99 com Aulo Cornélio Palma Frontoniano e a segunda em 107 com Lúcio Licínio Sura[1].

Carreira[editar | editar código-fonte]

A origem de Senécio é desconhecida. Ele já foi identificado como sendo o objeto de uma inscrição cujo nome do homenageado se perdeu[2] e que apresenta sua carreira política[3]. O primeiro posto que assumiu foi num dos comitês dos vigintiviri, um grupo menos importante de magistrados para senadores em início de carreira, o dos quattuorviri viarum curandarum. Em seguida, foi questor na província senatorial da Acaia. A inscrição não cita um mandato como tribuno militar, o que levou John D. Grainger a especular que ele pode ter servido na Legio XXI Rapax, que foi destruída pelos iáziges em 92[4]. Ele foi o candidato imperial para tribuno da plebe e pretor, uma honra singular. Como o nome do imperador não foi citado, é possível que tenha sido de Domiciano, alvo de um processo de damnatio memoriae depois de sua morte. Depois alcançar o pretorado, Senécio foi nomeado legado da I Minervia. Em seguida, ele foi governador da Gália Bélgica para o mandato de 96 e 98[5]. Foi durante seu mandato que Senécio começou seu apoio a Trajano[4].

Senécio foi eleito cônsul em 99 e, depois, serviu como governador da Mésia Superior durante a Campanha dácia de Trajano[6]. Depois da campanha, foi novamente eleito em 107 e teve uma estátua sua paga às custas do Senado.

Vida pessoal[editar | editar código-fonte]

Senécio participava de vários círculos literários. Plínio, o Jovem, endereçou duas cartas a "Senécio", que é comumente identificado como sendo Sósio Senécio. A primeira, que começa com "Este ano produziu uma colheita saudável de poetas", é sobre a saúde da literatura contemporânea romana[7]. A segunda é um pedido para que um parente de um amigo de Plínio, Calvísio Rufo, fosse nomeado tribuno militar[8]. Plutarco também dedica várias de suas biografias a Senécio (Theseus, 1; Demosth. 1; Brut. 1) e também suas obras "Quaestiones conviviales" e "Quomodo quis suos in virtute sentiat profectus". Além disto, é possível que ele tenha sido citado em "De primo frigido", que trata da expedição de Trajano durante sua campanha dácia.

Senécio se casou com a filha de Sexto Júlio Frontino, cônsul três vezes (97, 98 e 100)[9]. Os dois tiveram Sósia Pola, que se casou com Quinto Pompeu Falcão, cônsul sufecto em 108 e governador de várias províncias romanas.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Cônsul do Império Romano
Vexilloid of the Roman Empire.svg
Precedido por:
'Nerva IV

com Trajano II
com Cneu Domício Tulo II (suf.)
com Sexto Júlio Frontino II (suf.)
com Lúcio Júlio Urso II (suf.)
com Tito Vestrício Espurina II (suf.)
com Caio Pompônio Pio (suf.)
com Aulo Vicírio Marcial (suf.)
com Lúcio Mécio Póstumo (suf.)
com Caio Pompônio Rufo Acílio Prisco Célio Esparso (suf.)
com Cneu Pompeu Ferox Liciniano (suf.)
com Quinto Fúlvio Gilão Bício Próculo (suf.)
com Públio Júlio Lupo (suf.)

Aulo Cornélio Palma Frontoniano
99

com Quinto Sósio Senécio
com Públio Sulpício Lucrécio Barba (suf.)
com Senécio Mêmio Áfer (suf.)
com Quinto Fábio Bárbaro Valério Magno Juliano (suf.)
com Aulo Cecílio Faustino (suf.)
com Tibério Júlio Ferox (suf.)

Sucedido por:
'Trajano III

com Sexto Júlio Frontino III
com Lúcio Júlio Urso II (suf.)
com Marco Márcio Mácer (suf.)
com Caio Cílnio Próculo (suf.)
com Lúcio Herênio Saturnino (suf.)
com Pompônio Mamiliano (suf.)
com Quinto Acúcio Nerva (suf.)
com Lúcio Fábio Tusco (suf.)
com Caio Júlio Cornuto Tértulo (suf.)
com Caio Plínio Cecílio Segundo (suf.)
com Lúcio Róscio Eliano Mécio Céler (suf.)
com Tibério Cláudio Sacerdos Juliano (suf.)

Precedido por:
'Lúcio Ceiônio Cômodo

com Sexto Vetuleno Cívica Cerial
com Lúcio Minício Natal (suf.)
com Quinto Licínio Silvano Graniano Quadrônio Próculo (suf.)

Lúcio Licínio Sura III
107

com Quinto Sósio Senécio II
com Caio Minício Fundano (suf.)
com Caio Vetênio Severo (suf.)
com Caio Júlio Longino (suf.)
com Quinto Valério Paulino (suf.)

Sucedido por:
'Ápio Ânio Trebônio Galo

com Marco Ápio Brádua
com Adriano (suf.)
com Marco Trebácio Prisco (suf.)
com Quinto Pompeu Falcão (suf.)
com Marco Tício Lústrico Brutiano (suf.)


Referências

  1. Alison E. Cooley, The Cambridge Manual of Latin Epigraphy (Camrbidge: University Press, 2012), p. 466ss
  2. CIL VI, 1444
  3. C. P. Jones, "Sura and Senecio", Journal of Roman Studies, 60 (1970), pp. 98-104
  4. a b Grainger, Nerva and the Roman Succession Crisis of AD 96-99 (London: Routledge, 2004), p. 121
  5. Werner Eck, "Jahres- und Provinzialfasten der senatorischen Statthalter von 69/70 bis 138/139", Chiron, 12 (1982), pp. 328-330
  6. Eck, "Jahres- und Provinzialfasten", pp. 336-340
  7. Plínio, o Jovem, Epístolas I.13
  8. Plínio, o Jovem, Epístolas IV.4
  9. Ronald Syme, "Ummidius Quadratus, Capax Imperii", Harvard Studies in Classical Philology, 83 (1979), p. 295

Bibliografia[editar | editar código-fonte]