República da Hungria (1946-1949)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde novembro de 2014). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)



Magyar Köztársaság
(húngaro)

República da Hungria
Flag of Hungary (1915-1918, 1919-1946).svg
1946 – 1949 Flag of Hungary (1949-1956).svg
Flag Brasão
Bandeira Brasão
Hino nacional
Himnusz


Localização de Hungria
Extensão da República da Hungria em 1949
Continente Europa
Capital Budapeste
Língua oficial Húngaro
Governo República Parlamentarista
Presidente
 • 1946-1948 Zoltán Tildy
 • 1948-1949 Árpád Szakasits
Primeiro-Ministro
 • 1946-1947 Ferenc Nagy
 • 1947-1948 Lajos Dinnyés
 • 1948-1949 István Dobi
História
 • 1 Fevereiro de 1946 Estabelecimento
 • 10 Fevereiro de 1947 Tratado de Paris
 • 20 Agosto de 1949 Destabelecimento
Área
 • 1946 93 073 km2
 • 1947 93 011 km2
População
 • 1949 est. 9 204 799 
Moeda Pengő / Adópengő / Forint
Atualmente parte de  Hungria
 Eslováquia

A Segunda República Húngara (em húngaro: Magyar Köztársaság) foi uma república parlamentarista estabelecida depois da dissolução do Reino da Hungria em 1 de Fevereiro e dissolvida em 20 de Agosto de 1949. Foi sucedida pela República Popular da Hungria

História[editar | editar código-fonte]

Desde Setembro de 1944 até Abril de 1945, como a Segunda Guerra Mundial na Europa terminou, o Exército Vermelho ocupou a Hungria. O Cerco a Budapeste durou quase dois meses e grande parte da cidade foi destruída. Nem os Aliados Ocidentais nem a União Soviética apoiaram quaisquer alterações às fronteiras da Hungria anteriores a 1938, portanto o tratado de paz assinado pela Hungria em 1947 declarou que "As decisões do Acordo de Munique de 2 de Novembro de 1938 são consideradas nulas e sem efeito". Isto significa que as fronteiras da Hungria são movidas para aquelas que existiam em 1 de Janeiro de 1938 e perdeu todos os territórios que tinha reconquistado entre 1938 e 1941. A União Soviética anexou a Transcarpátia, que parte dela tinha sido parte da Hungria antes de 1938. Entre 1946 e 1948, parte da minoria de Alemães de etnia Húngara (cerca de 250.000 de pessoas) foram deportadas para a Alemanha e houve uma forçada "troca de população" entre a Hungria e a Checoslováquia.

Os soviéticos estabeleceram um governo provisório em Debrecen em 21 de Dezembro de 1944 antes de capturarem Budapeste em 18 de Janeiro de 1945. Zoltán Tildy tornou-se no primeiro-ministro provisório.

Nas eleições de Novembro de 1945, o Partido Independente dos Agricultores teve 57% dos votos. O Partido Comunista da Hungria, agora sob a liderança de Mátyás Rákosi e Ernõ Gerõ, dois sobreviventes da República Soviética da Hungria de 1919, recebeu apoio de apenas 17% da população. O comandante Soviético na Hungria, Marshal Kliment Voroshilov recusou a aceitar o Partido dos Agricultores a formar um governo. Em vez disso, Voroshilov estabeleceu um governo de coligação com comunistas sob alguns dos cargos-chave. Sob o Parlamento, o líder dos Agricultores, Zoltán Tildy, foi nomeado presidente e Feren Nagy primeiro-ministro em Fevereiro de 1946. Mátyás Rákosi tornou-se no vice primeiro-ministro.

László Rajk tornou-se no ministro do interior e neste posto estabeleceu a polícia de segurança (ÁVO). Em Fevereiro de 1947 a polícia começou a prender líderes do Partido dos Agricultores e do Partido Nacional Camponês. Também fizeram pressão ambos os partidos para expulsar os membros que não estavam dispostos a fazer licitação dos comunistas como "fascistas". Várias figuras de destaque em ambos os partidos escaparam para o exterior do país. Mais tarde, Rákosi se gabou de que ele tinha lidado com seus parceiros no governo, um por um, "cortando-os como fatias de salame"

Ver também[editar | editar código-fonte]


Hungary stub.svg Hungria
História  •  Política  •  Forças Armadas  •  Subdivisões  •  Geografia  •  Economia  •  Transportes  •  Comunicações  •  Demografia  •  Educação  •  Cultura  •  Turismo  •  Portal  •  Imagens