Revolução sérvia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para a revolução que depôs Slobodan Milošević em 2000, veja Queda do regime Slobodan Milošević.
Batalha de Misar (1806), pintura de Afanasij Šeloumov

A revolução sérvia refere-se a revolução nacional e social do povo sérvio que ocorreu entre 1804 e 1835, durante o qual o território da Sérvia evoluiu de uma província otomana em uma monarquia constitucional e um moderno Estado-nação. A primeira parte do período de 1804-1815, foi marcado por uma violenta luta pela independência do Império Otomano, com dois levantes armados em curso, terminando com um cessar-fogo. O período posterior (1815-1835) assistiu a uma consolidação pacífica do poder político da Sérvia cada vez mais autónoma, que culminou com o reconhecimento do direito de governar por príncipes hereditários sérvios em 1830 e 1833 e a expansão teritorial da jovem monarquia. A aprovação da primeira Constituição escrita em 1835 aboliu o feudalismo e a servidão, e fez o país uma suserania. O termo revolução sérvia foi inventado por um historiador acadêmico alemão, Leopold von Ranke, no seu livro Die Serbische Revolution, publicado em 1829. [1] Estes eventos marcaram a fundação da Sérvia moderna. [2]

O período é dividido da seguinte forma:

A Proclamação [3] (1809) por Karadjordje na capital Belgrado, provavelmente, representou o ápice da primeira fase. Apelou para a unidade nacional, com base na história da Sérvia para exigir a liberdade de religião e formal, escrita do estado de direito, de que o Império Otomano não tinha fornecido. [3] Também chamou os sérvios a deixar de pagar impostos a Sublime Porta, considerada desleal, com base na filiação religiosa. Além de dispensar impostos sobre os não-muçulmanos (jizya), os revolucionários também aboliram todas as obrigações feudais em 1806, somente 15 anos após a Revolução Francesa, camponeses e servos emanciparam-se o que representa uma ruptura social com o passado. [4]. O domínio de Miloš Obrenović consolidou as conquistas das revoltas, levando à proclamação da primeira Constituição nos Balcãs e ao estabelecimento da mais antiga instituição de ensino superior nos Balcãs ainda em existência, a Universidade de Belgrado (1808) [5]. Em 1830 e novamente em 1833, a Sérvia foi reconhecida como um principado autônomo, com príncipes hereditários pagando tributos anuais a Sublime Porta. Finalmente, a independência de facto veio em 1868, com a retirada das guarnições otomanas do principado; a independência de jure foi formalmente reconhecida no Congresso de Berlim em 1878.

Referências

  1. English translation: Leopold Ranke, A History of Serbia and the Serbian Revolution. Translated from the German by Mrs Alexander Kerr (London: John Murray, 1847)
  2. L. S. Stavrianos, The Balkans since 1453 (London: Hurst and Co., 2000), p. 248-250.
  3. a b «Povest - Prikljucenije». Consultado em 28 de maio de 2010. Arquivado do original em 20 de novembro de 2008 
  4. «Cópia arquivada». Consultado em 28 de maio de 2010. Arquivado do original em 28 de junho de 2007 
  5. University of Belgrade[ligação inativa]

Ver também[editar | editar código-fonte]