Rio Bacacheri

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Wikitext.svg
Esta página ou seção precisa ser wikificada (desde janeiro de 2011).
Por favor ajude a formatar esta página de acordo com as diretrizes estabelecidas.

O Rio Bacacheri é um rio que banha o município brasileiro de Curitiba, no Estado do Paraná, pertence à Bacia do Atuba-Bacacheri, onde o principal rio dá o nome ao bairro.

Para RIBEIRO (2007, p.4) o rio Bacacheri localiza-se na porção nordeste da cidade, entre as coordenadas geográficas de latitude 25°21’04”S a 25°26’58”S e longitude 49°16’15W a 49°11’39”W, possuindo uma área total de drenagem de 30,81 km2, sendo que o canal principal mede 12,5 km de extensão e o canal secundário, denominado rio Bacacheri-Mirim, tem 4,5 km de comprimento. RIBEIRO informa ainda que as nascentes do rio Bacacheri encontram-se na região do bairro Cachoeira. O rio Bacacheri desenvolvendo-se no sentido NW – SE até chegar à sua foz no rio Atuba, a 885 m de altitude, no bairro Atuba. O rio Bacacheri abrange, desde suas nascentes até sua foz, os seguintes bairros de Curitiba: Cachoeira, Barreirinha, Santa Cândida, Bacacheri, Boa Vista, Cabral, Cristo Rei, Tingui, Bairro Alto, Tarumã, Jardim Social, Capão da Imbuia e Cajuru (RIBEIRO, 2007, p.4; SAUER, 2007, p.43). "A área de estudo está localizada no Município de Curitiba, que está situado no primeiro planalto paranaense entre a Serra do Mar e os Campos Gerais, 934,6 m acima do nível do mar. Sua população é de 1.587.315 habitantes (IBGE 2002), sendo a maior cidade da Região Sul do Brasil. “O município não possui área rural nem distritos e é todo urbanizado” (GARCIAS, 2003). Curitiba é cortada por vários rios, que compõem a bacia hidrográfica do Altíssimo Iguaçu, e estão agrupados em cinco sub-bacias hidrográficas (IPPUC): Bacia do Atuba-Bacacheri; Bacia do Ribeirão dos Padilhas; Bacia do Passaúna; Bacia do Belém; Bacia do Barigüi. O rio Bacacheri está localizado dentro da Bacia do Atuba-Bacacheri ." Souza, 2005

Afluentes[editar | editar código-fonte]

Os afluentes do rio Bacacheri existentes no território do bairro do mesmo nome são:

Situação atual do Rio Bacacheri[editar | editar código-fonte]

  • Grande quantidade de resíduos, na maioria de origem domiciliar. Por exemplo, no ano de 2007 foram realizadas três limpezas no rio Bacacheri e retirados no total 1500 quilos de resíduos, entre os principais: sacolas plásticas, madeira, embalagens, garrafas pet, resto de comida, etc. Este serviço só e executado quando o mesmo é solicitado pelos moradores através do serviço do telefone 156. A solicitação também poderá ser realizada pela internet http://www.central156.org.br/

Medidas necessárias para recuperação[editar | editar código-fonte]

  • PLANTIO DE ESPÉCIES NATIVAS NAS MARGENS DO RIO BACACHERI;
  • COLOCAÇÃO DE PLACAS INDICANDO SER UMA ÁREA DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE.
  • DENTIFICAÇÃO DAS ESPÉCIES PLANTADAS.
  • RETIRADA GRADATIVAMENTE DAS ESPÉCIES EXÓTICAS LOCALIZADAS AO LONGO DA MARGEM DO RIO.
  • FISCALIZAÇÃO DAS LIGAÇÕES DE ESGOTO IRREGULARES EXISTENTES NAS MARGENS DO RIO BACACHERI.
  • RETIRADA DOS RESÍDUOS ACUMULADOS NA MARGEM E DENTRO DO RIO.
  • FISCALIZAÇÃO E DEMOLIÇÃO DAS OCUPAÇÕES IRREGULARES QUE OCUPAM AS MARGENS DO RIO.

Projeto Amiriba - Amigos do Rio Bacacheri[editar | editar código-fonte]

O projeto Amiriba objetiva estudar, analisar e atuar sobre as interferência dos impactos ambientais nas áreas de risco do Rio Bacacheri nas proximidades da UNIBRASIL (Rua Konrad Adenauer, 442, bairro Tarumã) sobre a qualidade de vida da comunidade ribeirinha, e suas possíveis estratégias.

Parque General Iberê de Mattos[editar | editar código-fonte]

O Parque General Iberê de Mattos, mais conhecido como Parque Bacacheri, foi inaugurado no dia 5 de novembro de 1988, e está localizado na Rua Rodrigo de Freitas, entre as ruas Nicarágua e Sargento Pedro Nunes Pereira, no bairro de mesmo nome. Até a década de 70 era chamado de Tanque do Bacacheri, pois era cortado pelo Rio Bacacheri. Naquela época, o proprietário, Manoel Fontoura Falavinha, utilizava o local para recreação e alugava barcos a remo para passeio no lago. Com o assoreamento do tanque, o lago foi desativado. "Atualmente, o parque, de 152 mil metros quadrados, possui um lago artificial de 22 mil metros quadrados, além de várias opções de lazer, como canchas de esportes, churrasqueiras, bosque com diversas espécies nativas e playground".

Mais informações[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • RIBEIRO, Neiva Cristina. Avaliação da impermeabilização e ocorrência de inundações na bacia do rio Baracheri. Curitiba: UFPR, 2007. 123 p. Dissertação (Mestrado). Curso de Pós Graduação em Geologia, Setor de Ciências da Terra, Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2007.
  • SAUER, Carlos Eduardo. Análise de aspectos da legislação ambiental relacionados a ocupação urbana em áreas de preservação permanente através do uso de ortofotos: o caso do rio Bacacheri em Curitiba – PR. Curitiba: UFPR, 2007. 108 p. Dissertação (Mestrado). Curso de Pós Graduação em Geografia, Setor de Ciências da Terra, Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2007.
  • PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA, SECRETARIA MUNICIPAL DE MEIO AMBIENTE. Recursos Hídricos. Rede Municipal das Águas, Rios de Curitiba. Disponível em: Secretarias.
  • SOUZA, Mariana Espíndola de. LEVANTAMENTO PRELIMINAR DOS PONTOS DE POLUIÇÃO E ATERROS DE RESÍDUOS DE CONSTRUÇÃO E DEMOLIÇÃO NA BACIA DO ATUBA-BACACHERI, NO TRECHO DAS NASCENTES A BR 476, EM CURITIBA – PR. Curso de Engenharia Ambiental, Universidade Federal do Paraná, Curitiba , 2005.