Riograndia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa


Como ler uma caixa taxonómicaRiograndia
Ocorrência: Triássico Superior
Taxocaixa sem imagem
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Synapsida
Ordem: Therapsida
Subordem: Cynodontia
Família: Tritheledontidae
Género: Riograndia
Bonaparte, Ferigolo & Ribeiro 2001
Espécies
  • Riograndia guaibensis

Riograndia é gênero baseado na espécie Riograndia guaibensis, um dos parentes mais próximos dos mamiferos já encontrados até hoje. O estudo desses animais tem ajudado a compreender a História evolutiva dos mamíferos.

Espécie[editar | editar código-fonte]

Riograndia guaibensis, possuia um comprimento de aproximadamente 15 cm e 30 g de peso. Se alimentavam de insetos e viveram no triássico Superior. Foi encontrado na Formação Caturrita. Era um pequeno cinodonte não-mamalianos avançado, já próximo à condição mamaliana. Diversos exemplares de Riograndia guaibensis, já foram encontrados nos municípios de Candelária e Faxinal do Soturno, nas camadas basais da Formação Caturrita (Cenozona de Riograndia).[1]

Classificação[editar | editar código-fonte]

Riograndia é atualmente classificado como um gênero basal na família Tritheledontidae. Outros incluidos nesta família é o Irajatherium e dois clados, um grupo mais basal incluindo o Sinoconodon, Brasilitherium, Brasilodon e o Morganucodon. O outro clado mais derivado com os Chaliminia, Elliotherium, Pachygenelus, Diarthrognathus e Tritheledon. O cladograma abaixo criado por Martinelli e Rougier em 2007 e modificado por Soares et al. em 2011,[2] com Tritheledontidae adicionado depois por Ruta et al.(2013):[3]




Brasilodon




Brasilitherium




Sinoconodon



Morganucodon





Tritheledontidae

Riograndia




Irajatherium





Chaliminia



Elliotherium





Pachygenelus




Diarthrognathus



Tritheledon








Paleoecologia[editar | editar código-fonte]

As espécimes de Riograndia são encontrados na Formação Caturrita e data do Triássico Superior. Viviam a cerca de 225 milhões de anos atrás e são encontrados no Brasil. Visiam junto com os primeiros dinosauros do planeta como o Unaysaurus e Guaibasaurus. Os animais não-dinossauros incluem o Sacisaurus, o dicinodonte Jachaleria; um Fitossauro sem nome; anfíbios Stereospondyli e muitos tetrápodes com menos de 15 cm de comprimento. Entre os tetrápodes estão o Soturnia, Clevosaurus, Cargninia e o Faxinalipterus e uma variedade de Mammaliaformes incluindo Riograndia, Brasilodon, Brasilitherium, Irajatherium e Minicynodon.

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]