Rocha ultrabásica

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde Novembro de 2008).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.
Diagrama de Classificação das rochas ultrabásicas. A verde está a área que representa a composição do manto.

Rochas Ultrabásicas (ou Rochas ultramáficas) são rochas ígenas com um teor em sílica muito baixo (menos de 42%), geralmente com um teor >18% MgO, com teor alto em FeO, e baixo em K e em Na, e são ainda compostas por mais de 90% de minerais máficos (cor escura, alto teor em magnésio e Ferro). O manto da terra é composto por rochas ultrabásicas.

Rochas ultrabásicas plutónicas[editar | editar código-fonte]

As rochas ultramáficas são encontradas muitas vezes em camadas com outras rochas máficas, por causa da diferenciação dos tipos de rochas.

As rochas cumuladas não representam a geoquímica do magma de onde se cristalizaram. As rochas ultrabásicas intrusivas incluem os Dunitos, Peridotitos e Piroxenitos.

Rochas ultrabásicas vulcânicas[editar | editar código-fonte]

As rochas ultrabásicas vulcânicas são raras.

Rochas ultrabásicas metamórficas[editar | editar código-fonte]

O Metamorfismo destas rochas na presença de água e ou dióxido de Carbono resulta em duas classes de rochas ultrabásicas metamórficas; talco e serpentinito.

Ocorrências[editar | editar código-fonte]

As ocorrências na crosta ocorrem em complexos Ofiolitícos onde as rochas do manto foram trazidas para a superfície.

Ver também[editar | editar código-fonte]