Magnésio

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Por paronímia, você pode também estar procurando por manganês (ou manganésio).
Pix.gif Magnésio Stylised Lithium Atom.svg
SódioMagnésioAlumínio
Be
  Hexagonal.png
 
12
Mg
 
               
               
                                   
                                   
                                                               
                                                               
Mg
Ca
Tabela completaTabela estendida
Aparência
branco-prateado



Linhas espectrais do magnésio
Informações gerais
Nome, símbolo, número Magnésio, Mg, 12
Série química metal alcalinoterroso
Grupo, período, bloco 2 (IIA), 3, s
Densidade, dureza 1738 kg/m3, 2,5
Número CAS
Número EINECS
Propriedade atómicas
Massa atômica 24,3050(6) u
Raio atómico (calculado) 160 pm
Raio covalente 130 pm
Raio de Van der Waals 173 pm
Configuração electrónica [Ne] 3s2
Elétrons (por nível de energia) 2, 8, 2 (ver imagem)
Estado(s) de oxidação +2, 1 (óxido fortemente básico)
Óxido
Estrutura cristalina hexagonal
Propriedades físicas
Estado da matéria sólido
Ponto de fusão 923 K
Ponto de ebulição 1363 K
Entalpia de fusão 8,954 kJ/mol
Entalpia de vaporização 127,4 kJ/mol
Temperatura crítica  K
Pressão crítica  Pa
Volume molar m3/mol
Pressão de vapor 361 Pa a 923 K
Velocidade do som 4602 m/s a 20 °C
Classe magnética Paramagnético
Susceptibilidade magnética
Permeabilidade magnética
Temperatura de Curie  K
Diversos
Eletronegatividade (Pauling) 1,31
Calor específico 1020 J/(kg·K)
Condutividade elétrica 22,4×106 S/m
Condutividade térmica 156 W/(m·K)
Potencial de ionização 737,7 kJ/mol
2º Potencial de ionização 1450,7 kJ/mol
3º Potencial de ionização 7732,7 kJ/mol
4º Potencial de ionização {{{potencial_ionização4}}} kJ/mol
5º Potencial de ionização {{{potencial_ionização5}}} kJ/mol
6º Potencial de ionização {{{potencial_ionização6}}} kJ/mol
7º Potencial de ionização {{{potencial_ionização7}}} kJ/mol
8º Potencial de ionização {{{potencial_ionização8}}} kJ/mol
9º Potencial de ionização {{{potencial_ionização9}}} kJ/mol
10º Potencial de ionização {{{potencial_ionização10}}} kJ/mol
Isótopos mais estáveis
iso AN Meia-vida MD Ed PD
MeV
24Mg 78,99% estável com 12 neutrões
25Mg 10% estável com 13 neutrões
26Mg 11,01% estável com 14 neutrões
Unidades do SI & CNTP, salvo indicação contrária.

O magnésio é um elemento químico de símbolo Mg de número atômico 12 (12 prótons e 12 elétrons) com massa atómica 24 u. É um metal alcalino-terroso, pertencente ao grupo (ou família) 2 (anteriormente chamada IIA), sólido nas condições ambientais.

É o sétimo elemento mais abundante na crosta terrestre, onde constitui cerca de 2% da sua massa,[1] e o nono no Universo conhecido, no seu todo.[2] Esta abundância do magnésio está relacionada com o fato de se formar facilmente em supernovas através da adição sequencial de três núcleos de hélio ao carbono (que é, por sua vez, feito de três núcleos de hélio). A alta solubilidade dos iões de magnésio na água assegura-lhe a posição como terceiro elemento mais abundante na água do mar[3] .

É empregado principalmente como elemento de liga com o alumínio. Outros usos incluem flashes fotográficos, pirotecnia e bombas incendiárias.

O magnésio foi descoberto em 1755 pelo escocês Joseph Black.

Principais características[editar | editar código-fonte]

O magnésio é um metal bastante resistente e leve, aproximadamente 30% menos denso que o alumínio. Possui coloração prateada, perdendo seu brilho quando exposto ao ar, por formar óxido de magnésio. Quando pulverizado e exposto ao ar se inflama produzindo uma chama branca. Reage com a água somente se esta estiver em ebulição, formando hidróxido de magnésio e liberando hidrogênio.

Aplicações[editar | editar código-fonte]

Os compostos de magnésio, principalmente seu óxido, são usados como material refratário em fornos para a produção de ferro e aço, metais não ferrosos, cristais e cimento. Assim como na agricultura, indústrias químicas e de construção. O uso principal do metal é como elemento de liga com o alumínio , empregando-a para a produção de recipientes de bebidas, componentes de automóveis como aros de roda e maquinárias diversas. O magnésio também é usado para eliminar o enxofre do aço e ferro.

Outros usos:

O Mg também é encontrado em alimentos como vegetais e cereais. Recentes pesquisas indicam o Magnésio como responsável por retardar o envelhecimento celular, além de ser responsável por inúmeras funções metabólicas intracelulares.

Vide: http://www.agencia.fapesp.br/boletim_dentro.php?data[id_materia_boletim]=8672

Papel biológico[editar | editar código-fonte]

O magnésio é importante para a vida, tanto animal como vegetal. A clorofila é uma substância complexa de porfirina-magnésio que intervem na fotossíntese.

É um elemento químico essencial para o Homem. A maior parte do magnésio no organismo encontra-se nos ossos e, seus íons desempenham papéis de importância na atividade de muitas co-enzimas e, em reações que dependem da ATP. Também exerce um papel estrutural, o íon de Mg2+ tem uma função estabilizadora para a estrutura de cadeias de ADN e ARN.

Dependendo do peso e da altura, a quantidade diária necessária e recomendada varia entre 300 e 350 mg, quantidade que pode ser obtida facilmente, visto o magnésio estar presente na maioria dos alimentos, principalmente, nas folhas verdes das hortaliças, nas sementes, nozes, leguminosas e cereais integrais. Contudo, a agricultura intensiva produz alimentos carentes neste mineral. O aumento na ingestão de cálcio, proteína, vitamina D e álcool, bem como o stresse físico e psicológico aumentam as necessidades de magnésio.

A sua carência nos humanos pode causar: agitação, anemia, anorexia, ansiedade, mãos e pés gelados, perturbação da pressão sanguínea (tanto com hipertensão como hipotensão), insónia, irritabilidade, náuseas, fraqueza e tremores musculares, nervosismo, desorientação, alucinações, cálculos renais e taquicardia. Essencial para a fixação correta do cálcio no organismo; a deficiência de magnésio pode causar endurecimento das artérias e calcificação das cartilagens, articulações e válvulas cardíacas; sua carência pode causar descalcificação nos ossos (osteoporose).

Seu excesso (em nível de nutriente) nos humanos pode causar: rubor facial, hipotensão, fraqueza muscular, náuseas, insuficiência respiratória, boca seca e sede crônica.[4] [5] [6] [7]

História[editar | editar código-fonte]

O nome é originário de Magnésia, que em grego designava uma região da Tessália. O escocês Joseph Black, reconheceu o magnésio como um elemento químico em 1755. Em 1808 Sir Humphry Davy obteve o metal puro mediante a eletrólise de uma mistura de magnésia e HgO (óxido de mercúrio).

Abundância e obtenção[editar | editar código-fonte]

MagnesiumMetalUSGOV.jpg

O magnésio é o oitavo elemento mais abundante na crosta terrestre[8] . Não é encontrado livre na natureza, porém entra na composição de mais de 60 minerais, sendo os mais importantes industrialmente os depósitos de dolomita, magnesita, brucita, carnallita, serpentina, kainita e olivina.

O metal é obtido principalmente pela eletrólise do cloreto de magnésio ( MgCl2 ), método que já foi empregado por Robert Bunsen, obtendo-o de salmouras e água de mar.

Isótopos[editar | editar código-fonte]

Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde junho de 2010).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.

O Mg-26 é um isótopo estável empregado nas datações geológicas, como o Al-26, do qual é originário. Nas inclusões ricas em cálcio e alumínio (CAI em inglês) de alguns meteoritos (os objetos mais antigos do sistema solar) se tem encontrado quantidades de Mg-26 maiores do que o esperado , atribuindo-se o fato ao decaimento do Al-26. Como estes objetos se desprenderam em etapas anteriores à formação dos planetas e asteroides, não sofreram os processos geológicos que fizeram desaparecer as estruturas condríticas formadas a partir das inclusões e, portanto, guardaram a informação acerca da idade do sistema solar.

Nestes estudos se compara as proporções Mg-26/Mg-24 e Al-27/Mg-24, para determinar dessa maneira, de forma indireta, a relação Al-26/Al-27 inicial da amostra no momento em que esta se separou das regiões de pó da névoa présolar, determinando o início da formação do nosso sistema solar.

Precauções[editar | editar código-fonte]

O magnésio é extremamente inflamável, especialmente quando está pulverizado. Reage rapidamente, com liberação de calor, em contato com o ar, motivo pelo qual deve ser manipulado com precaução. O fogo produzido pelo magnésio, portanto, não deverá ser apagado através do uso de água. Na indústria química, o magnésio também é utilizado em diversos processos participando diretamente na composição dos produtos elaborados bem como no auxílio do tratamento de efluentes gerados por esses mesmas atividades industriais.

Referências

  1. "Abundance and form of the most abundant elements in Earth’s continental crust" (PDF).
  2. Ash, Russell. The Top 10 of Everything 2006: The Ultimate Book of Lists. [S.l.]: Dk Pub, 2005. ISBN 0756613213.
  3. Anthoni, J Floor. "The chemical composition of seawater".
  4. Pediatrics 1995, 95 (6): 879-82.
  5. International J. Epidemiol, 1984, 120 (3):342-349
  6. British Med.J. 1985, 290: 417-4201
  7. Biol. Psiquiatry 1993, 34: 421- 423
  8. Abundances of the Elements in the Earth's Crust. Página visitada em 13 de abril de 2014.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui multimídias sobre Magnésio