Darmstácio

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Darmstádtio)
Ir para: navegação, pesquisa
Pix.gif Darmstácio Stylised atom with three Bohr model orbits and stylised nucleus.svg
MeitnérioDarmstácioRoentgénio
Pt
   
 
110
Ds
 
               
               
                                   
                                   
                                                               
                                                               
Ds
Tabela completaTabela estendida
Aparência
desconhecida
Informações gerais
Nome, símbolo, número Darmstácio, Ds, 110
Série química metal de transição.
Grupo, período, bloco 10, 7, d
Densidade, dureza 34 800 (est.)[1] kg/m3,
Número CAS 54083-77-1
Número EINECS
Propriedade atómicas
Massa atômica (281) u
Raio atómico (calculado) 118 (presumido)[1] pm
Raio covalente 128 (est.)[2] pm
Raio de Van der Waals pm
Configuração electrónica [Rn] 5f14 6d8 7s2
(previsto)[1]
Elétrons (por nível de energia) 2, 8, 18, 32, 32, 16, 2 [1](ver imagem)
Estado(s) de oxidação 8, 6, 4, 2, 0[1]
Óxido
Estrutura cristalina
Propriedades físicas
Estado da matéria Sólido (presumido)
Ponto de fusão  K
Ponto de ebulição  K
Entalpia de fusão kJ/mol
Entalpia de vaporização kJ/mol
Temperatura crítica  K
Pressão crítica  Pa
Volume molar m3/mol
Pressão de vapor
Velocidade do som m/s a 20 °C
Classe magnética
Susceptibilidade magnética
Permeabilidade magnética
Temperatura de Curie  K
Diversos
Eletronegatividade (Pauling)
Calor específico J/(kg·K)
Condutividade elétrica S/m
Condutividade térmica W/(m·K)
Potencial de ionização 955,2 (est.)[1] kJ/mol
2º Potencial de ionização 1 891,1 (est.)[1] kJ/mol
3º Potencial de ionização 3 029,6 (est.)[1] kJ/mol
4º Potencial de ionização kJ/mol
5º Potencial de ionização kJ/mol
6º Potencial de ionização kJ/mol
7º Potencial de ionização kJ/mol
8º Potencial de ionização kJ/mol
9º Potencial de ionização kJ/mol
10º Potencial de ionização kJ/mol
Isótopos mais estáveis
iso AN Meia-vida MD Ed PD
MeV
279Ds Sin. 0,2 s α
FE
9,7
-
275Hs
-
281mDs Sin. 3,7 s α 8,77 277mHs ?
281Ds Sin. 11 s α
FE
8,67
-
277Hs
-
Unidades do SI & CNTP, salvo indicação contrária.

O Darmstácio[3] de símbolo Ds é um elemento químico sintético de número atômico 110 (110 prótons e 110 elétrons) . Seu núcleo atômico mais estável possui massa atómica [281] u. Pertence ao grupo 10 da Classificação Periódica dos Elementos. Provavelmente é um sólido metálico.

História[editar | editar código-fonte]

O isótopo Ds-269 foi descoberto pelo professor Sigurd Hofmann e seus colaboradores em 9 de novembro de 1994, através da fusão macia (baixo aquecimento) do Pb-208 com Ni-62 , com a emissão de um nêutron, no Instituto de Pesquisas de Íons Pesados (GSI - Gesellschaft für Schwerionenforschung) de Darmstadt , na Alemanha, vencendo a corrida pela obtenção de metais pesados competindo com Berkeley (Estados Unidos) e Dubna (Rússia).

Em 23 de novembro de 1994, do mesmo modo, porém utilizando na fusão o Ni-64 foi criado o isótopo Ds-271, com dois nêutrons a mais que o Ds-269.

Propriedades químicas previstas[editar | editar código-fonte]

O darmstádio é o oitavo membro da série 6d dos metais de transição. Desde que o copernício (elemento 112) mostrou-se um metal de transição verdadeiro, espera-se que todos os elementos a partir de 104 a 112 formem uma quarta série de metais de transição, com o Ds como parte dos metais do grupo da platina[4] e um metal nobre.[1] Os cálculos relativos aos seus potenciais de ionização e raios atômicos e iônicos são semelhantes ao do seu homólogo mais leve, a platina, implicando, assim, que as propriedades básicas do darmstádio se assemelhariam às do outros elementos do grupo 10, níquel, paládio e platina.[1]

A previsão das prováveis ​​propriedades químicas do darmstádio não têm recebido muita atenção recentemente. O Ds é esperado ser um metal nobre. Com base nos estados de oxidação mais estáveis ​​dos elementos mais leves do grupo 10, prevê-se que os estados de oxidação mais estáveis ​​do darmstádio sejam +6, +4 e +2. No entanto, o estado neutro (0) está previsto para ser o mais estável em soluções aquosas. Em comparação, apenas a platina é conhecida por apresentar o estado de oxidação máximo no grupo, +6, enquanto que os estados mais estáveis ​​são +4 e +2 tanto para paládio quanto platina e +2 e mais raramente +3 para o níquel. É ainda esperado que os estados de oxidação máximo dos elementos do bóhrio (elemento 107) até darmstádio (elemento 110) podem ser estáveis na fase gasosa, mas não em solução aquosa. [1] Hexafluoreto de darmstádio (DsF6) é previsto para ter propriedades muito semelhantes ao seu mais leve homólogo hexafluoreto de platina (PtF6), tendo estruturas eletrônicas e potenciais de ionização muito semelhantes. [1][1][5][6] Também se espera possuir a mesma geometria molecular octaédrica que o PtF6.[7]

Outros compostos de darmstádio previstos são o carboneto de darmstádio (DsC) e tetracloreto de darmstádio (DsCl4), sendo que ambos devem se comportar como os seus homólogos mais leves. [7]

Nomenclatura[editar | editar código-fonte]

Nomes provisórios[editar | editar código-fonte]

Antes da sua descoberta o elemento-110 foi previsto na tabela periódica por Dmitri Mendeleiev e denominado de Eka-Platina — como todos elementos teóricos da época: recebia o nome do elemento acima do período anterior (no caso a Platina), precedido do prefixo "eka-" (do sânscr. "um").
Após sua descoberta foi denominado provisoriamente de "Ununílio" ("Ununnilium" em inglês) pela IUPAC (nome sistemático).

Nome definitivo e tradução[editar | editar código-fonte]

Finalmente, em agosto de 2003, a comissão estabeleceu o nome "Darmstadtium" (símbolo Ds), conforme reivindicado por seus descobridores, em homenagem a cidade de Darmstadt, onde o elemento foi sintetizado pela primeira vez. O nome foi traduzido Darmstácio para o português. As traduções "Darmestádio" ou "Darmestádio" também foram cogitadas, tendo porém prevalecido o nome atual em atenção a razões fonéticas.[3]

Referências

  1. a b c d e f g h i j k l m Hoffman, Darleane C.; Lee, Diana M.; Pershina, Valeria (2006). «Transactinides and the future elements». In: Morss; Edelstein, Norman M.; Fuger, Jean. The Chemistry of the Actinide and Transactinide Elements 3rd ed. Dordrecht, The Netherlands: Springer Science+Business Media. ISBN 1-4020-3555-1 
  2. Chemical Data. Darmstadtium - Ds, Royal Chemical Society
  3. a b Sociedade Portuguesa de Química (2010). «OS NOMES DOS ELEMENTOS QUÍMICOS» (PDF). Boletim da Sociedade Portuguesa de Química (119). 43 páginas 
  4. Griffith, W. P. (2008). «The Periodic Table and the Platinum Group Metals». Platinum Metals Review. 52 (2). 114 páginas. doi:10.1595/147106708X297486 
  5. Rosen, A.; Fricke, B.; Morovic, T.; Ellis, D. E. (1979). J. Phys. C4, Suppl. 4. 40: C4/218–219 
  6. Waber, J. T.; Averill, F. W. (1974). «Molecular orbitals of PtF6 and E110 F6 calculated by the self-consistent multiple scattering Xα method». J. Chem. Phys. 60 (11): 4460–70. Bibcode:1974JChPh..60.4466W. doi:10.1063/1.1680924 
  7. a b Erro de citação: Código <ref> inválido; não foi fornecido texto para as refs de nome Thayer

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Darmstácio
Wikcionário
O Wikcionário possui o verbete darmstácio.