Sátiro Bilhar

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Sátiro Lopes de Alcântara Bilhar (Ceará, Crato. 1860Rio de Janeiro, 23 de outubro de 1926) foi um violonista, cantor e compositor brasileiro.

Era tio da compositora Branca Bilhar. Trabalhou como telegrafista da Estrada de Ferro Central do Brasil e teve uma vida boêmia. Juntamente com Quincas Laranjeiras, Catulo da Paixão Cearense, Heitor Villa-Lobos, João Pernambuco e Donga é um dos principais compositores de choro da época.

Compôs também modinhas, lundus e polcas, como a famosa Tira a poeir', que foi gravada por Jacob do Bandolim.

Uma das figuras mais conhecidas e queridas no meio musical, pertenceu à geração antiga de chorões como Heitor Villa-Lobos, Donga, João Pernambuco, Quincas Laranjeiras e Catulo da Paixão Cearense.

Embora não fosse um virtuoso do violão, sua execução peculiar chamava mais a atenção do que o próprio repertório.

Algumas composições[editar | editar código-fonte]

  • As ondas são anjos que dormem no mar (com Catulo da Paixão Cearense)
  • Estudo de harpa
  • Gosto de ti porque gosto
  • O que vejo em teus olhos
  • Tira a poeira
  • Tu és uma estrela

Fontes[editar | editar código-fonte]

  • Enciclopédia da música brasileira: erudita, folclórica e popular. São Paulo, Art Editora, 2000
  • Brasil musical.Viagem pelos sons e ritmos populares. Vários. Rio de Janeiro: Art Bureau, 1988.
  • Marcondes, Marcos Antônio. (ED). Enciclopédia da Música popular brasileira: erudita, folclórica e popular. 2. ed. São Paulo: Art Editora/Publifolha, 1999.
  • Vasconcellos, Ary. Panorama da Música Popular Brasileira. Volume 1. Rio de Janeiro: Martins, 1965.
Accordrelativo20060224.png Este artigo sobre um(a) músico(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.