Sérgio Rodrigues (designer)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book.svg
Este artigo ou secção necessita de referências de fontes secundárias fiáveis publicadas por terceiros (desde julho de 2018).
Por favor, melhore-o, incluindo referências mais apropriadas vindas de fontes fiáveis e independentes.
Fontes primárias, ou que possuem conflito de interesse geralmente não são suficientes para se escrever um artigo em uma enciclopédia.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, o que compromete a verificabilidade (desde setembro de 2011). Por favor, insira mais referências no texto. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Sérgio Rodrigues (19271 de setembro de 2014[1]) foi um arquiteto e designer brasileiro. Junto com Joaquim Tenreiro e José Zanine Caldas, foi o pioneiro a transformar o design brasileiro em design industrial e torná-lo conhecido mundialmente.[carece de fontes?]

Iniciou seu trabalho na arquitetura no projeto do Centro Cívico de Curitiba junto com os também arquitetos David Xavier de Azambuja, Flávio Régis do Nascimento e Olavo Redig de Campos.

Teve o auge da sua carreira nos anos 50 e 60. Trabalhou com design de móveis de acordo com o modernismo no Brasil, trazendo a identidade brasileira para seus projetos tanto nos desenhos, quanto nos materiais tradicionais – couro, palhinha e madeira - exaltando a cultura brasileira e indígena.

"De fato, nesse momento ele fez coexistir o Brasil-brasileiro com o Brasil-de-Ipanema, cantada mais tarde (1962) por Tom Jobim e Vinicius de Morais na célebre "Garota de Ipanema"[2](Oscar Niemeyer).

Contemporâneo de Oscar Niemeyer e Lúcio Costa, seu mobiliário foi utilizado em larga escala na construção da capital brasileira Brasília.

"Naquela época (início de Brasília) não se tinha tempo de pensar em desenhar móvel nenhum. Nós usamos móveis correntes no mercado, selecionando como o Palácio exigia. O principal designer a quem solicitei móveis foi Sérgio Rodrigues."[2] (Lúcio Costa).

Seu trabalho mais famoso é a poltrona mole de 1957, feita em couro e madeira com inovações de encaixe e estofado que inspiram produtos até hoje. Atualmente, a poltrona Mole integra o acervo do Museu de Arte Moderna (Nova Iorque) (MoMA).

“O móvel não é só a figura, a peça, não é só o material de que esta peça é composta, e sim alguma coisa que tem dentro dela. É o espírito da peça. É o espírito brasileiro. É o móvel brasileiro.” (Sérgio Rodrigues).

Ele faleceu na manhã da segunda-feira (1 de setembro de 2014). De acordo com uma das funcionárias do escritório do designer, Sérgio já apresentava um quadro de saúde debilitado há alguns dias. O motivo da morte não foi divulgado.

Exposições[editar | editar código-fonte]

  • 2010 - Sergio Rodrigues: Um Designer dos Trópicos - Rio de Janeiro, Brasil
  • 2009 - Brazil Influence - Bruxelas, Bélgica.
  • 2008 - Brasil Casa Design - Buenos Aires, Argentina.
  • 2008 - Bienal Iberoamericana de Diseño - Madri,Espanha
  • 2008 - Time e Place: Rio de Janeiro 1956/1964 - Moderna Musset - Estocolmo -Suécia
  • 2005 - Expo na 25th Century - Nova York
  • 2000 - Lançamento do livro: Sergio Rodrigues
  • 1998 - Mostra Internacional do Design - Método e Industrialismo - CCBB - Rio de Janeiro
  • 1998 - Bienal de Arquitetura
  • 1997 - 40 anos de Mole- Expo no Rio Design Leblon - Rio de Janeiro.
  • 1993 - Mostra Brasille93 - La Construzione Di Una Identità Culturale Universidade de Brescia- Italia
  • 1992 - Saudades do Brasil: A Era JK - Exposição Itinerante
  • 1991 - Falando de Cadeira- Museu de Arte Moderna - Rio de Janeiro
  • 1987 - Premio Lapiz d e Plata - Buenos Aires
  • 1984 - Cadeira: Evolução e Design - Museu da Casa Brasileira-SP
  • 1984 - Tradição e Ruptura: Desenho Industrial
  • 1982 - O Design no Brasil: História e Realidade- SESC/SP

Referências

  1. Morre, aos 86 anos, o designer Sergio Rodrigues
  2. a b «Título ainda não informado (favor adicionar)». www.sergiorodrigues.com.br