Síndrome de Duane

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

A síndrome de Duane ou síndrome de Stilling-Türk-Duane é uma alteração congénita da mobilidade ocular, que se produz devido a uma inervación anómala do músculo do recto lateral do olho.

História[editar | editar código-fonte]

Foi descrito pela primeira vez por Stilling no ano 1887, e mais tarde por Türk, mas até o ano 1905 não foi descrito detalhadamente. #Fazer o cientista que dá nome a esta síndrome, Duane.

Epidemiología[editar | editar código-fonte]

É prevalente em mulheres, frequentemente familiar, e assemelha-se a uma parálisis -de facto, muitos médicos costumam diagnosticá-lo como tal-. Geralmente é unilateral, afectando-se com maior frequência o olho esquerdo.

Quadro clínico[editar | editar código-fonte]

Normalmente associa-se com a Síndrome de Klippel-Feil, o que traduz em malformaciones na cara, as orelhas e os dentes. É de carácter provável autosómico dominante. A síndrome de Duane costuma produzir tropía -isto é, estrabismo- e tortícolis -posição anómala da cabeça como o sujeito move o pescoço com frequência para obter maior campo visual-.

Classificação[editar | editar código-fonte]

Descreveram-se diferentes classificações desta doença, sendo a mais afectada a que realizou Huber, baseada nos achados obtidos mediante electromiografía.[1]

  • Duane Tipo I: é o mais frequente de todos. O que o padece carece de actividade eléctrica no recto lateral na abducción, mas se na aducción.
  • Duane Tipo II: existe actividade eléctrica no recto lateral tanto em abducción como em aducción, o que supõe uma diminuição do campo de visão ao existir uma verdadeira limitação de movimentos.
  • Duane Tipo III: existe uma contracção de ambos músculos horizontais, recto médio e recto lateral, tanto em abducción como em aducción, o que supõe ausência destes movimentos.

Veja-se também[editar | editar código-fonte]

Referencias[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Huber, A., "Duane's retraction syndrome.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Bas Casas, M. L., Tratamento quirúrjico na Síndrome de Stilling-Türk-Duane. Nossa experiência, em "Acta Estrabológica". 1989. pg 61-66.
  • Prieto Díaz, J. e Souza Dias, C., Estrabismo. 1986. pg 339-362.
  • Vieira, L., Síndrome de Duane. Alguns aspectos clínicos, em "Acta Estrabológica". 1990. pg 25-31.