Samba (software)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja Samba (desambiguação).
Samba
Captura de tela
Modelo do desenvolvimento Software livre
Lançamento 1992 (27–28 anos)[1]
Versão estável 4.12.3[2] (19 de maio de 2020; há 5 meses)
Linguagem C, Python
Sistema operacional Multiplataforma
Gênero(s) Servidor
Licença GNU General Public License
Estado do desenvolvimento Ativo
Página oficial www.samba.org

Samba é um programa de computador, utilizado em sistemas operacionais do tipo Unix, que simula um servidor Windows, permitindo que seja feito gerenciamento e compartilhamento de arquivos em uma rede Microsoft.

Na versão 3, o Samba não só provê arquivos e serviços de impressão para vários Clientes Windows, como pode também integrar-se com Windows Server Domain, tanto como Primary Domain Controller (PDC) ou como um Domain Member. Pode fazer parte também de um Active Directory Domain.

A história do Samba[editar | editar código-fonte]

O Samba foi criado por Andrew Tridgell. Tridgell precisava de montar um espaço no disco do seu PC para um servidor Unix. Esse computador rodava DOS e, inicialmente, foi utilizado o sistema de arquivos NFS (Network File System) para o acesso. Porém, um aplicativo precisava de suporte ao protocolo NetBIOS (que não era suportado pelo NFS). A solução que Tridgell encontrou não parecia ser das mais simples: ele escreveu um Sniffer (pequeno programa para captura de tráfego de dados em rede) para poder analisar o tráfego de dados gerado pelo protocolo NetBIOS. Uma vez implementado, Tridgell utilizou engenharia reversa em cima do protocolo SMB (Server Message Block) e implementou no Unix. Isso fez com que o servidor Unix aparecesse como um servidor de arquivos Windows em seu computador com DOS.

Tridgell disponibilizou esse código publicamente 1992. Algum tempo depois o projeto foi posto de lado e assim ficou. Um dia Tridgell decidiu conectar o PC de sua esposa ao seu computador, que rodava Linux. Porém, na hora de conecta-los não encontrou meio melhor de fazer isso, se não com seu antigo código.

Após algumas trocas de e-mails, Tridgell descobriu que as documentações dos protocolos SMB/CIFS e NetBIOS estavam atualizadas e então decidiu voltar a se dedicar ao projeto. Um dia, uma empresa entrou em contato com Tridgell reivindicando os direitos sobre o nome usado no software. Então ele teve a idéia de procurar em um dicionário uma palavra que tivesse as letras s, m e b (de SMB) e acabou encontrando a palavra "samba". A partir daí o projeto Samba cresceu e hoje Andrew Tridgell conta com uma excelente equipe de programadores e com milhares de usuários de sua solução espalhados pelo mundo.

Basicamente os dois daemons principais de uma servidor SAMBA são:

  • smbd - responsável pelo compartilhamento de arquivos e impressora
  • nmbd - incumbido dos serviços de nomes e navegação

E o arquivo padrão de configuração do Samba num ambiente like Unix é o smb.conf que fica no diretório /etc do Unix.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Latest News». Consultado em 12 de junho de 2020 
  2. «Samba 4.12.3 Available for Download». 19 de maio de 2020. Consultado em 12 de junho de 2020 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
Wikilivros Livros e manuais no Wikilivros