Sarpedão (Ilíada)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Sarpédon (Ilíada))
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto (desde Junho de 2011).
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.

Sarpedão (em grego clássico: Σαρπηδών; transl.: Sarpédon) era filho de Evandro [1] (ou de Zeus, segundo alguns autores [2] [1] ) e de Deidâmia[1] (ou Laodâmia[2] ), filha de Belerofonte.[2] [1] Seu pai mortal era Evandro, filho de Sarpedão,[1] filho de Zeus e Europa.[3] Belerofonte foi casado com Filonoé, filha de Ióbates,[4] rei da Lícia.[5]

Foi rei da região da Lícia banhada pelo Rio Escamandro e era conhecido como sendo um homem justo e valoroso. Aquando da Guerra de Troia, auxiliou Príamo com numerosas tropas e foi um dos mais intrépidos defensores de Troia.

Consta que Sarpedão era de uma estatura gigantesca. Um dia avançou em direcção a Pátroclo, que desbaratava os troianos no campo de batalha, e quis enfrentá-lo. Zeus, vendo que o seu filho estava próximo da morte, perante os esforços do seu adversário, compadeceu-se de Sarpedão; sabendo que o seu destino naquele momento era morrer, desejou iludir o Destino e afastá-lo da morte, por uma vez. À custa da repreensão de Hera, Zeus acabou por aceder a deixá-lo tombar por terra mas, simultaneamente, fez cair sobre o solo uma chuva de sangue, para honrar a morte do seu caríssimo filho.

Assim que Sarpedão foi morto, os Aqueus e os troianos lutaram pelos despojos de Sarpedão, depois da incitação à luta de Glauco, pelos troianos, e de Pátroclo, pelos gregos. Estes não conseguiram mais do que transportar as armas de Sarpedão para os seus navios. Apolo, por ordem de Zeus, veio buscar o corpo do guerreiro ao campo de batalha, lavou-o nas águas do Escamandro, ungiu-o de ambrósia, vestiu-o com vestes imortais e deixou-o nas mãos de Hipnos (o Sono) e de Tânato (a Morte), que o transportaram prontamente para a Lícia, no meio do seu povo.[6]

Referências

  1. a b c d e Diodoro Sículo, Biblioteca Histórica, Livro V, 79.3
  2. a b c Pseudo-Apolodoro, Biblioteca, 3.1.1
  3. Diodoro Sículo, Biblioteca Histórica, Livro V, 78.1
  4. Pseudo-Apolodoro, Biblioteca, 2.3.2
  5. Pseudo-Apolodoro, Biblioteca, 2.2.1
  6. Ilíada, xvi.

Árvore genealógica baseada em Diodoro Sículo, com avos maternos baseados em Pseudo-Apolodoro:

 
 
Belerofonte
 
Ifinoé
 
Sarpedão
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Zeus
 
Laodâmia/Deidâmia
 
 
 
Evandro
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Sarpedão