Sergi Belbel

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Searchtool.svg
Esta página foi marcada para revisão, devido a inconsistências e/ou dados de confiabilidade duvidosa. Se tem algum conhecimento sobre o tema, por favor, verifique e melhore a consistência e o rigor deste artigo.

Sergi Belbel (Terrassa, 1963) é considerado um dos autores e diretores mais importantes do teatro contemporâneo catalão.

Licenciado em filologia românica e francesa pela Universidade Autônoma de Barcelona, atualmente é diretor do Teatro Nacional da Catalunha e professor de dramaturgia do Instituto de Teatro de Barcelona.

Como autor e tradutor[editar | editar código-fonte]

Autor, diretor e tradutor, o catalão tem mais de quinze obras escritas, entre as quais se destacam: “Minim”; “Mal Show”; “Elsa Schneider”; “Talem”; “Carícias” e “Depois da Chuva”. Alguns desses, traduzidos encenados em mais de 30 países.

Como diretor[editar | editar código-fonte]

Além de escrever, também é diretor de algumas de suas peças e de obras de autores tão díspares como: Perec; Sanchis Sinistierra; Beckett; Benett i Jornet; Mamet; Calderón; Koltès e Eduardo De Filippo. Traduziu, entre outros, Racine, Perec, Koltès, Goldoni, Neil Simon e De Filippo.

Colaborou no roteiro cinematográfico de duas de suas obras: Carícias (1997) e Morrer (1999), ambas dirigidas por Ventura Pons.

Premiações[editar | editar código-fonte]

Seus textos de teatro já receberam diversos prêmios, entre eles, o Prêmio Marqués de Bradomín, com “Calidoscópios”, sua primeira obra (1985); Ignasi Iglesias, com “Elsa Schneider” (1987); Ojo Crítico do Radio Nacional da Espanha (1992); Prêmio Nacional de Literatura dramática da comunidade Catalunha, com “Depois da Chuva” (1993 e 95); Serra em d'Or e o Prêmio Borne, com “Morrer” (1994), pela qual também recebeu o Prêmio Nacional de Cátedra Dramática (1996); o Prêmio Nacional de Literatura Dramática do Ministério da Cultura Espanhol (1996); e o Molière (1999).