Sher Bahadur Deuba

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Sher Bahadur Deuba
Primeiro-ministro do Nepal
Período 7 de junho de 2017
15 de fevereiro de 2018
Presidente Bidhya Devi Bhandari
Antecessor(a) Pushpa Kamal Dahal
Sucessor(a) Khadga Prasad Oli
Primeiro-ministro do Nepal
Período 3 de setembro de 2004
1 de fevereiro de 2005
Antecessor(a) Surya Bahadur Thapa
Sucessor(a) Girija Prasad Koirala
Primeiro-ministro do Nepal
Período 26 de julho de 2001
4 de outubro de 2002
Antecessor(a) Girija Prasad Koirala
Sucessor(a) Lokendra Bahadur Chand
Primeiro-ministro do Nepal
Período 12 de setembro de 1995
12 de março de 1997
Antecessor(a) Man Mohan Adhikari
Sucessor(a) Lokendra Bahadur Chand
Presidente do Congresso do Nepal
Período 7 de março de 2016
a atualidade
Antecessor(a) Sushil Koirala
Dados pessoais
Nome completo Sher Bahadur Deuba
Nascimento 13 de junho de 1946 (74 anos)
Ashigram, Nepal
Nacionalidade nepalês
Esposa Arzu Rana Deuba
Partido Congresso Nepalês
Profissão político
Assinatura Assinatura de Sher Bahadur Deuba
Website site oficial

Sher Bahadur Deuba (Nepali:शेर बहादुर देउवा;13 de junho de 1946) é um político nepalês que serviu como primeiro-ministro de 1995 a 1997, de 2001 a 2002, de 2004 a 2005 e de 2017 a 2018. Ele também é o Presidente do Congresso do Nepal, eleito com mais de 60% dos votos na 13ª Convenção do partido em 2016.[1]

Foi eleito Primeiro Ministro pela segunda vez quando sucedeu Girija Prasad Koirala, que renunciou em julho de 2001. Deuba dissolveu a Câmara dos Deputados em maio de 2002 para realizar novas eleições, mas não conseguiu fazê-lo devido à guerra civil em andamento. Isso também levou a uma divisão no Congresso do Nepal, com Deuba liderando o partido do Congresso do Nepal (Democrata). O rei Gyanendra removeu Deuba em outubro de 2002, chamando-o de incompetente por não realizar eleições parlamentares.[2] Depois de dois outros governos, Gyanendra restabeleceu Deuba ao cargo de primeiro-ministro em 2004. Ele foi novamente afastado do cargo em 1º de fevereiro de 2005 pelo rei Gyanendra, que dissolveu o governo por três anos e tomou o poder direto.[3][4]

Deuba foi condenado a dois anos de prisão em julho de 2005 por acusações de corrupção, mas foi posteriormente libertado em 13 de fevereiro de 2006, depois que o órgão anticorrupção que o condenou foi dissolvido. Um membro do partido do Congresso Nepali (Democrata) de Deuba, Dip Kumar Upadhaya, disse à Associated Press que a libertação de Deuba foi "uma vitória para a democracia e uma derrota humilhante para o regime real".[5]

Carreira Política[editar | editar código-fonte]

Sher Bahadur Deuba foi eleito deputado três vezes, representando o distrito de Dadeldhura. Após protestos de rua contra o governo da UML de Man Mohan Adhikari, ele foi declarado líder parlamentar do Congresso nepalês em 1994.[6]

Na eleição realizada para selecionar o líder parlamentar do Congresso nepalês após a renúncia de G. P. Koirala, em 2001, ele derrotou Sushil Koirala por uma margem enorme. Essa vitória o estabeleceu como um líder poderoso, especialmente porque seu rival foi apoiado por G. P. Koirala, presidente do Congresso nepalês.[7]

No entanto, em 2009, ele perdeu a eleição para o cargo de Líder do Partido Parlamentar do Congresso Nepali para Ram Chandra Paudel. Sua perda foi atribuída ao seu apoio ao líder do partido G. P. Koirala, que queria que sua filha Sujata Koirala liderasse o partido.[8]

Vida Pessoal[editar | editar código-fonte]

Deuba é natural de Asigram, Dadeldhura, um dos distritos mais remotos da região oeste do Nepal. Sua família é da dinastia real de Chandravanshi rajput. É conhecido como Thakuri (Rajput) da região de Doti. Tem seis irmãos, incluindo Sher Bahadur, o mais velho.[9]

Ele é casado com o Dra. Arzu Rana Deuba.[10]

Em novembro de 2016, Deuba recebeu um doutorado honorário pela Universidade Jawaharlal Nehru.[11]

Deuba é mestre em ciências políticas e bacharel em artes e direito. Ele foi pesquisador de ciências políticas na London School of Economics, de 1988 a 1992; Sher Bahadur Deuba também era um "pesquisador" da LSE.[8] Deuba parece ter se registrado como estudante em uma categoria chamada "taxa de pesquisa", permitindo que ele use a biblioteca do LSE e tenha um professor designado para orientação geral.[12]

Congresso do Nepal (Democrata)[editar | editar código-fonte]

Após uma disputa entre Girija Prasad Koirala, presidente do Congresso nepalês e Sher Bahadur Deuba, primeiro-ministro, sobre a continuação da situação de emergência no Nepal, o Congresso nepalês foi dividido verticalmente no Congresso nepalês liderado por Koirala e no Congresso nepalês (democrata) liderado por Deuba. Ambas as partes se fundiram em 2007 com o nome de partido unificado para permanecer como Congresso do Nepal.[13]

Eleição da Assembleia Constituinte de 2008[editar | editar código-fonte]

Na eleição da Assembleia Constituinte, realizada em 10 de abril de 2008, o Congresso Nepali nomeou Deuba como candidato aos distritos eleitorais Dadeldhura e Kanchanpur-4 sob o sistema de primeiro-após-o-posto (FPTP). Ele ganhou de ambos os círculos eleitorais.[14]

Na votação subsequente a Primeiro Ministro, realizada na Assembleia Constituinte em 15 de agosto de 2008, Deuba foi nomeada pelo Congresso do Nepal, mas foi derrotado por Prachanda, do Partido Comunista do Nepal (maoísta). Deuba recebeu 113 votos, enquanto Prachanda recebeu 464.[15]

2017-Presente[editar | editar código-fonte]

Ele foi empossado como Primeiro Ministro do Nepal em 7 de junho de 2017.[16][17] Deuba estava encarregado do governo que conduziu com sucesso as eleições dos três níveis (Parlamentar, Provincial e Local) em diferentes fases em 2017. Após um mandato bem-sucedido, ele renunciou em 15 de fevereiro de 2018, abrindo caminho para KP Oli assumir o cargo. após o congresso nepalês enfrentar um resultado humilhante e o Partido Comunista do Nepal emergir como o maior partido nas eleições legislativas nepalesas de 2017. A derrota foi atribuída à decisão tomada de impeachment da presidente do Supremo Tribunal Sushila Karki, bem como à resposta morna ao sanções da Índia pelo Congresso do Nepal.[18][19]

Internacional Socialista[editar | editar código-fonte]

Deuba foi eleito vice-presidente da Internacional Socialista durante seu congresso em Atenas, Grécia, de 30 de junho a 2 de julho de 2008.[20]

Referências

  1. «"Sher Bahadur Deuba elected 40th PM of Nepal"». Retrieved. Consultado em 14 de novembro de 2019 
  2. «"DEUBA DUBBED PRIME MINISTER; CONGRESS' KOIRALA OUT IN THE COLD"». Wikileaks. Consultado em 14 de novembro de 2019 
  3. «Can Nepal's New Prime Minister Avert a Crisis?». The Diplomat. Consultado em 14 de novembro de 2019 
  4. «Sher Bahadur Deuba elected Nepal's prime minister for fourth time Read more at:». the economic times. Consultado em 15 de novembro de 2019 
  5. «Former Nepal PM freed from jail». BBC NEWS. Consultado em 14 de novembro de 2019 
  6. «Nepal's ex-King Gyanendra Shah, PM Sher Bahadur Deuba may face probe for their role in civil war». the economic times. Consultado em 15 de novembro de 2019 
  7. «Nepal's Parliament Makes Veteran Politician a Four-Time Prime Minister». New York Times. Consultado em 14 de novembro de 2019 
  8. «Nepal fails to elect PM for 15th time». the daily star. Consultado em 15 de novembro de 2019 
  9. «PM Deuba casts his vote in Dadeldhura». kathmandupost.com. Consultado em 14 de novembro de 2019 
  10. «Deuba elected as 40th Prime Minister of Nepal». My Republica. Consultado em 14 de novembro de 2019 
  11. «"Deuba elected as 40th Prime Minister of Nepal"». My Republica. Consultado em 14 de novembro de 2019 
  12. «"Deuba at lse"». NepaliTimes. Consultado em 14 de novembro de 2019 
  13. «BACKGROUND». nepali congress. Consultado em 15 de novembro de 2019 
  14. «NC names FPTP candidates [ 2008-2-24 ]». archive.today. Consultado em 14 de novembro de 2019 
  15. «"Ex-rebels' chief chosen as Nepal's new PM"». Associated Press (International Herald Tribune). Consultado em 14 de novembro de 2019 
  16. «"Sher Bahadur Deuba sworn in as Prime Minister of Nepal"». the himalayan times. Consultado em 14 de novembro de 2019 
  17. «Sher Bahadur Deuba resigns, KP Oli to take over as Nepal PM». indianex press. Consultado em 14 de novembro de 2019 
  18. «"Unraveling Nepali Congress's defeat"». myRepublica. Consultado em 14 de novembro de 2019 
  19. «India's updated political map stirs controversy in Nepal». aljazeera. Consultado em 15 de novembro de 2019 
  20. «"PM-elect Deuba's Profile"». kathmandupost.com. Consultado em 14 de novembro de 2019