Tempestade tropical Melissa (2007)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Se procura outros ciclones tropicais chamados Melissa, veja Tempestade tropical Melissa.
Tempestade tropical Melissa
Tempestade tropical (EFSS)
A tempestade tropical Melissa em seu pico de atividade em 29 de setembro de 2007
Formação 28 de Setembro de 2007
Dissipação 30 de Setembro de 2007
Vento mais forte (1 min) 35 nós (65 km/h, 40 mph)
Pressão mais baixa 1005 hPa (mbar) ou 754 mmHg
Danos Nenhum
Fatalidades Nenhum
Áreas afetadas Nenhuma
Parte da
Temporada de furacões no Atlântico de 2007

A tempestade tropical Melissa foi o décimo terceiro ciclone tropical nomeado da temporada de furacões no Atlântico de 2007. Melissa foi uma tempestade de curta duração que se formou a sudoeste de Cabo Verde, permanecendo fraco no seu período de existência devido aos ventos de cisalhamento. A tempestade dissipou-se sem afetar a costa. Melissa é notável por ser o oitavo ciclone tropical nomeado a se formar em setembro, que iguale ao recorde de maior número de ciclones tropicais nomeados num único mês junto com a temporada de 2002.[1]

História meteorológica[editar | editar código-fonte]

O caminho de Melissa

O sistema começou como uma onda tropical que deixou a costa ocidental da África em 26 de Setembro. Uma área de baixa pressão formou-se no dia seguinte em associação com a onda, perto de Cabo Verde. A convecção de ar associada a onda desenvolveu-se gradualmente devido a formação da área de baixa pressão. Na madrugada de 28 de Setembro, um rápido aumento na convecção e um padrão de nuvens bem organizado permitiu que a área de baixa pressão se tornasse uma depressão tropical, a décima quarta da temporada, enquanto estava localizada a sul de Cabo Verde.[2][3] A depressão desligou-se da alta subtropical e uma área de baixa pressão de altos níveis situou-se ao seu norte, provocando um movimento lento da tempestade no princípio, movendo-se lentamente para oeste-noroeste.[2] Ventos de cisalhamento verticais orientais também dificultaram o desenvolvimento de melissa.[4] Em 29 de Setembro, a depressão se desenvolveu ligeiramente, tornando-se a tempestade tropical Melissa assim que a convecção aumentou no sistema.[5]

A depressão tropical Quatorze no momento em que foi classificada como tal

Assim como as tempestades anteriores (Ingrid e Karen), os ventos de cisalhamento fortes nos trópicos profundos impediram o desenvolvimento de Melissa.[6] Operacionalmente, Melissa teve um breve momento onde seus ventos máximos constantes alcançaram 75 km/h no final de 29 de setembro assim que algumas estimativas de satélite mostraram um fortalecimento ligeiro da convecção profunda do sistema,[7] mas em análises pós-tempestades indicaram que a convecção de ar foi mais fraca do que a indicada em estimativas de satélite, com ventos constantes de 65 km/h.[2] Na madrugada de 30 de Setembro, os ventos de cisalhamento se intensificaram dramaticamente e fizeram a tempestade começar a se enfraquecer.[8] Naquela manhã, fortes ventos de cisalhamento combinado com a águas frescas fizeram enfraquecer Melissa para uma depressão tropical, com um centro pouco definido superficial assim que o sistema começou a ganhar velocidade em direção a oeste-noroeste.[9] O sistema perdeu suas áreas de convecção profunda e na tarde de 30 de Setembro, Melissa se degenerou numa área de baixa pressão remanescente assim que a atividade de temporais diminuiu. Depois da circulação ciclônica ter se dissipado, a área de baixa pressão remanescente continuou a seguir para oeste-noroeste ao sul de uma alta subtropical em formação no Atlântico central. A área de baixa pressão produziu áreas de convecção intermitentes até ser absorvida por um sistema frontal no final de 5 de Outubro a nordeste das Pequenas Antilhas.[2]

Impactos e recordes[editar | editar código-fonte]

Melissa permaneceu em mar aberto durante todo o seu período de existência. Nenhum navio registrou os ventos de Melissa. Não há registros de danos causados pela tempestade.[2]

Quando a depressão tropical Quatorze foi classificado como tempestade tropical Melissa pelo Centro Nacional de Furacões, foi a oitava tempestade a se formar no mês de Setembro de 2007. Este acontecimento marcou a temporada de furacões no Atlântico de 2007 como sendo uma entre duas temporadas a ter oito tempestades diferentes num único mês; a outra temporada foi a de temporada de 2002.[1]

Referências

  1. a b Mainelli; et al. (1 de outubro de 2007). «Tropical Weather Summary - September 2007». National Hurricane Center. Consultado em 12 de novembro de 2007 
  2. a b c d e Richard D. Knabb (13 de outubro de 2007). «Tropical Cyclone Report for Tropical Storm Melissa» (PDF). National Hurricane Center. Consultado em 12 de novembro de 2007 
  3. Avila (28 de setembro de 2007). «Tropical Depression Fourteen Discussion #1». National Hurricane Center. Consultado em 12 de novembro de 2007 
  4. Beven (28 de setembro de 2007). «Tropical Depression Fourteen Discussion #3». National Hurricane Center. Consultado em 12 de novembro de 2007 
  5. Knabb (29 de setembro de 2007). «Tropical Storm Melissa Discussion #4». National Hurricane Center. Consultado em 12 de novembro de 2007 
  6. Knabb (29 de setembro de 2007). «Tropical Storm Melissa Discussion #5». National Hurricane Center. Consultado em 12 de novembro de 2007 
  7. Knabb (29 de setembro de 2007). «Tropical Storm Melissa Discussion #7». National Hurricane Center. Consultado em 12 de novembro de 2007 
  8. Knabb (30 de setembro de 2007). «Tropical Storm Melissa Discussion #8». National Hurricane Center. Consultado em 12 de novembro de 2007 
  9. Knabb (30 de setembro de 2007). «Tropical Depression Melissa Discussion #9». National Hurricane Center. Consultado em 12 de novembro de 2007 

Ver também[editar | editar código-fonte]

Furacão Catrina Portal da
meteorologia
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Tempestade tropical Melissa (2007)

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Temporada de furacões no Atlântico de 2007
A B C D E F G I H 10 J K L M N O
Escala Saffir-Simpson
DT TT 1 2 3 4 5