Temporada de tufões no Pacífico de 2007

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Temporada de tufões no Pacífico de 2007
2007 Pacific typhoon season summary.jpg
Primeiro sistema1 formado: Kong-rey em 30 de março de 2007
Sistemas ativos1: Temporada encerrada
Total de tempestades nomeadas: 27 (não oficial)
Total de tufões: 15 (não oficial)
Grandes tufões (Cat. 3+): 7 (não oficial)
Tempestade mais forte: Sepat - 910 mbar, 260 Km/h
Número de sistemas1 que atingiram terras emersas: 11 (oficial) e 1 (não oficial)
Danos totais: Desconhecido
ECA Total: Desconhecido
Fatalidades confirmadas: No mínimo 156
1Inclui depressões tropicais e depressões subtropicais

A temporada de tufões no Pacifico de 2007 ou estação de tufões no Pacífico de 2007 ou ainda época de tufões no Pacífico de 2007 foi um evento do ciclo anual da formação de ciclones tropicais. Não há limites estabelecidos para o começo ou o fim da temporada, mas a maioria dos ciclones tropical tende a se formar entre Maio e Novembro.[1]

O objetivo deste artigo é descrever os ciclones tropicais que se formam no Oceano Pacífico ao norte da linha do Equador e a oeste da linha internacional de data. Os ciclones tropicais que se formam a leste desta linha e ao norte da linha do Equador são chamados furacões. Os ciclones tropicais que se formam nesta região são previstos e seguidos pela Agência Meteorológica Japonesa (AMJ ou JMA, em inglês). As depressões tropicais que se formam nesta região são monitorados também pela Joint Typhoon Warning Center (JTWC) e são identificados com um número, por ordem de formação, e com o sufixo "W". As depressões tropicais que entram ou se formam na área de responsabilidade das Filipinas ganham um nome dado pela Administração de Serviços Atmosféricos, Geofísicos e Astronômicos das Filipinas (PAGASA). Devido a isto, uma mesma tempestade pode ter dois nomes.

Previsões sobre a temporada[editar | editar código-fonte]

Segundo o Laboratório de Pesquisas Atmosféricas de Hong Kong, em 23 de abril de 2007, o número e a intensidades dos ciclones tropicais seria normal o abaixo da média histórica. A presença da La Niña não foi prevista ser decisiva para a formação destes ciclones, mas em geral durante a La Niña, no Pacífico, a atividade dos ciclones fica abaixo do normal..[2] Em 25 de junho, uma nova previsão foi emitida. Nesta previsão, o laboratório de Hong Kong confirmou a atividade de ciclones tropicais e ainda diminuiu a estimativa do número de ciclones tropicais que se formariam no ano.[3]

Tempestades[editar | editar código-fonte]

A classificação da intensidade dos ciclones tropicais é feita da seguinte maneira pela AMJ: Depressão tropical - menos que 63 km/h, tempestade tropical - entre 63 e 88 km/h, tempestade tropical severa - entre 88 e 117 km/h e tufão - mais que 117 km/h. Os ventos máximos são coletados na média máxima entre 10 minutos.

O JTWC utiliza outro sistema de classificação, baseado na escala de furacões de Saffir-Simpson: Depressão tropical - menos que 63 km/h, tempestade tropical - entre 63 e 117 km/h, tufão - entre 118 e 177 km/h e super tufão - mais que 177 km/h. Os ventos máximos são coletados na média máxima entre 1 minuto.

A China utiliza um sistema de classificação baseado em parte na Escala de Beaufort: Depressão tropical - níveis 6 e 7 na Escala de Beaufort, tufão - níveis 12 e 13, tufão severo - níveis 14 e 15 e super tufão - níveis 16 e 17. Os ventos máximos são coletados na média máxima entre 2 minutos.

O Japão e o Taiwan, em seus próprios idiomas, utilizam um sistema próprio cada. Para facilidade de entendimento, é utilizada aqui a escala de furacões de Saffir-Simpson, utilizado pelo JTWC. É especificado a diferença de ventos em 1 e 10 minutos.

Tufão Kong-rey[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Tufão Kong-rey (2007)

Tufão Kong-rey
Tufão 01W
Tufão  (AMJ)
Categoria 3 (EFSS)
{{{image}}} Kong-rey 2007 track.png
Duração 30 de março de 20076 de abril de 2007
Intensidade 100 nós (185 km/h, 115 mph) 1 min
80 nós (148 km/h, 92 mph) 10 min, 960 hPa (mbar)

Em 26 de março, o JTWC identificou uma grande área de baixa pressão no Pacífico noroeste. A área moveu-se para oeste-noroeste nos dias seguintes, lentamente se organizando. De acordo com a AMJ, a área tornou-se uma depressão tropical em 30 de março. No dia seguinte, o JTWC emitiu um alerta de formação de ciclone tropical devido a um aumento na consolidação da circulação de ar de superfície. O JTWC emitiu seu primeiro aviso sobre a depressão tropical 01W no final daquela noite, horário local. Assim que o sistema continuou a se desenvolver, o JTWC o designou tempestade tropical, o primeiro da temporada. A AMJ fez o mesmo e nomeou o sistema de Kong-rey. O nome foi dado pelo Camboja e refere-se a uma personalidade de uma lenda do povo Khmer, que é também o nome de uma montanha.[4]

Kong-rey continuou a se organizar e intensificar para uma tempestade tropical severa [5] na manhã seguinte horário local. O JTWC então designou a tempestade como um tufão em 2 de abril. Assim que o sistema começou a tomar o rumo do norte, em direção as Ilhas Marianas do Norte, o escritório do Serviço Nacional de Meteorologia em Guam notou que ventos que poderiam causar danos não eram esperados para a ilha. Nas marianas, preparativos foram feitos e voos foram cancelados, devido à ameaça do tufão. Kong-rey passou pelas ilhas nas primeiras horas da manhã de 3 de abril horário local. A AMJ designou Kong-rey um tufão na tarde daquele dia, assim que ele desenvolveu um olho. Kong-rey fortaleceu-se mais um pouco antes de encontrar ventos de cisalhamento e águas frias e se enfraqueceu para uma tempestade tropical severa em 4 de abril. Kong-rey começou a acelerar para nordeste assim que ele começava a se tornar um ciclone extratropical na manhã de 5 de abril e o JTWC emitiu seu último aviso sobre o sistema. A AMJ emitiu seu último aviso sobre o sistema na manhã de 6 de abril depois que Kong-rey completou a sua transição para um ciclone extratropical. Não houve registros de mortes ou feridos nem danos causados pelo tufão.

Depressão tropical (DMT)[editar | editar código-fonte]

Depressão tropical (DMT)
Depressão tropical (EFSS)
{{{image}}} Cyclone Temporaire.png
Duração 1º de maio de 20071º de maio de 2007
Intensidade 30 nós (56 km/h, 35 mph) 1 min, 1006 hPa (mbar)

Em 26 de abril, um distúrbio tropical formou-se a leste da Península da Malásia. Em 1º de maio, O Departamento de Meteorologia da Tailândia (DMT) designou a célula de baixa pressão como uma depressão tropical no Golfo da Tailândia. O sistema atingiu a costa 10 horas depois em Amphoe Pathiu, província de Chumphon, Tailândia. A depressão então atravessou o istmo de Kra e emergiu no Mar de Andaman.

O DMT avisou à população local sobre chuvas fortes e possíveis enchentes durante a passagem da tempestade. Na província tailandesa de Ratchaburi, equipes de ação contra desastres evacuaram povoados em terrenos montanhosos em 3 de maio. No dia seguinte, a província de Prachup Khiri Khan foi declarada uma área de desastre natural depois que regiões baixas foram inundadas; a água chegou a um metro de altura. Na capital desta província, um presídio foi inundado e foi preciso a retirada de prisioneiros para Ratchaburi. Além do mais, uma linha férrea foi parcialmente inundada, mas o serviço de trens não foi interrompido. Na província de Surat Thani, deslizamentos de terra interromperam o tráfico de veículos em áreas urbanas. Vários avisos de deslizamentos de terra foram emitidos para outras províncias tailandesas.

Este sistema não foi considerado por nenhuma outra agência meteorológica uma depressão tropical enquanto ele estava no Golfo da Tailândia. Entretanto, o sistema foi monitorado e investigado pelo JTWC.

Tufão Yutu (Amang)[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Tufão Yutu (2007)

Tufão Yutu (Amang)
Super tufão 02W
Tufão  (AMJ)
Categoria 4 (EFSS)
{{{image}}} Yutu 2007 track.png
Duração 30 de maio de 20076 de junho de 2007
Intensidade 130 nós (241 km/h, 150 mph) 1 min
95 nós (176 km/h, 109 mph) 10 min, 935 hPa (mbar)

No final de 15 de maio, a Agência Meteorológica Japonesa (AMJ) designou uma área de distúrbios meteorológicos como uma depressão tropical. Baseado em estimativas feitas com base em dados do satélite QuikSCAT, o JTWC também designou o sistema uma depressão tropical às 12:00 UTC do dia seguinte.[6] Na manhã de 17 de maio, a AMJ classificou o sistema como tempestade tropical Yutu. O Nome Yutu foi dado pela China e refere-se a um coelho numa fábula chinesa.[4] Três horas depois, o JTWC também classificou o sistema como tempestade tropical 02W. A tempestade estava movendo-se rapidamente para Yap. Logo, avisos e alertas de tempestade tropical foram emitidos para a ilha. Estes avisos perderam efeito logo depois da passagem de Yutu. Em 18 de maio, a tempestade entrou na área de responsabilidade da PAGASA, recebendo o segundo nome de Amang. No final daquele dia, a tempestade intensificou-se e foi classificado como um tufão às 18:00 UTC. Depois, Yutu começou a sofrer uma rápida intensificação,[7] alcançando seu pico de intensidade em 20 de maio, como um forte tufão equivalente a um furacão de categoria 4. Apesar de estar se movendo sobre águas frias, Yutu não perdeu força naquele dia.[8] No começo da manhã de 21 de maio, finalmente Yutu começou a se enfraquecer, passando sobre a ilha japonesa de Okinotorishima. Na ilha próxima de Iwo Jima, foram registrados ventos sustentados de 122 km/h com rajadas de 193 km/h.[9] Depois, Yutu começou a se tornar um forte ciclone extratropical e na manhã de 22 de maio, o JTWC emitiu seu último aviso sobre o tufão. A AMJ fez o mesmo um dia depois, quando Yutu já era um ciclone extratropical.

Tempestade tropical Toraji[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Tempestade tropical Toraji (2007)

Tempestade tropical Toraji
Tempestade tropical 03W
Tempestade tropical  (AMJ)
Tempestade tropical (EFSS)
{{{image}}} Toraji 2007 track.png
Duração 2 de julho de 20076 de julho de 2007
Intensidade 35 nós (65 km/h, 40 mph) 1 e 10 min, 994 hPa (mbar)

No final de 4 de julho, o JTWC designou uma área de distúrbios meteorológicos como uma tempestade tropical. Pouco depois, a tempestade atingiu a ilha chinesa de Hainan. A China diz que uma depressão tropical tinha se formado em 2 de julho e que atingiu Hainan na tarde de 4 de julho e que posteriormente, quando o sistema emergiu no mar, sua pressão central mínima foi de 988 mbar.[10] Devido à ameaça da tempestade, autoridades na província chinesa de Guangxi retiraram 147.000 pessoas de áreas de risco.[11] A AMJ designou o sistema como tempestade tropical Toraji somente na manhã de 5 de julho, enquanto o centro do sistema já tinha emergido no Golfo de Tonkin. O nome Toraji foi dado pela Coreia do Norte e refere-se a uma grande planta ornamental com flores em forma de sino (platycodi radix). Toraji atingiu a costa norte do Vietname por volta de 12:00 UTC, próximo com a fronteira com a República Popular da China. A AMJ nunca registrou valores de pressão atmosférica no centro de Toraji inferiores a 994 mbar. Assim que a tempestade adentrou em terra, A AMJ e o JTWC emitiram seus últimos avisos sobre Toraji.

Tufão Man-yi (Bebeng)[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Tufão Man-yi (2007)

Tufão Man-Yi (Bebeng)
Tufão 04W
Tufão  (AMJ)
Categoria 4 (EFSS)
{{{image}}} Man-yi 2007 track.png
Duração 7 de julho de 200717 de julho de 2007
Intensidade 125 nós (232 km/h, 144 mph) 1 min
95 nós (176 km/h, 109 mph) 10 min, 930 hPa (mbar)

Na manhã de 7 de julho, A AMJ designou uma área de distúrbios meteorológicos como uma fraca depressão tropical. No final daquele dia, o JTWC também designou o sistema como depressão tropical 04W.[12] Ainda naquela noite, o JTWC classificou o sistema como tempestade tropical.[13] Já na madrugada do dia seguinte, A AMJ também classificou a depressão como tempestade tropical Man-yi.[14] O nome Man-yi foi dado por Hong Kong, e trata-se de um nome chinês para um estreito de terra que se tornou um reservatório. Em 9 de julho, Man-yi passou próximo a Guam, causando alguns danos e quedas de linhas de transmissão de eletricidade.[15] Ao mesmo tempo, foram postos em prática avisos de tempestade tropical em Yap. As ondas geradas por Man-yi tombaram um navio, deixando três mortos e seis desaparecidos.[16] Na tarde de 10 de julho, o JTWC designou Man-yi como um tufão. Na madrugada do dia seguinte, Man-yi entrou na área de responsabilidade da PAGASA e foi nomeado de "Bebeng". Ao mesmo tempo, A AMJ também designou a tempestade como um tufão. Sobre águas quentes, Man-yi sofreu um aprofundamento rápido no final de 11 de julho e na madrugada de 12 de julho assim que o tufão rumava para Okinawa, Japão. As regiões japonesas de Okinawa e Kantō estavam sob aviso de tufão na tarde de 12 de julho, assim que Man-yi aproximava-se das ilhas.[17] O JTWC designou Man-yi como um super tufão duas vezes no dia seguinte assim que o sistema atingia Okinawa. Na cidade, a passagem do tufão deixou pelo menos 37 feridos.[18] Man-yi também atingiu diretamente a cidade de Kagoshima, Kyushu, Japão, antes de tomar rumo para leste. Posteriormente, Man-yi também atingiu diretamente as cidades de Kochi, em Shikoku, e Wakayama, em Honshu. Assim que Man-yi começou a interagir com os terrenos montanhosos do Japão, começou a se tornar um ciclone extratropical. O tufão enfraqueceu-se para tempestade tropical e em 15 de julho, o JTWC emitiu seu último aviso sobre Man-yi assim que ele tornou-se um ciclone extratropical. A AMJ emitiu seu último aviso sobre Man-yi dois dias depois.

Tufão Usagi[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Tufão Usagi (2007)

Tufão Usagi
Tufão 05W
Tufão  (AMJ)
Categoria 4 (EFSS)
{{{image}}} Usagi 2007 track.png
Duração 27 de julho de 20074 de agosto de 2007
Intensidade 120 nós (222 km/h, 138 mph) 1 min
90 nós (167 km/h, 104 mph) 10 min, 945 hPa (mbar)

No final de 27 de julho, o JMA designou um distúrbio tropical como uma depressão tropical.[19] No dia seguinte, o JTWC também designou o sistema como depressão tropical.[20] Seis horas depois, o JTWC classificou o sistema como tempestade tropical assim que o sistema se aproximava das Ilhas Marianas.[21] O JMA fez o mesmo na madrugada de 29 de julho, nomeando a tempestade de Usagi.[22] O nome Usagi foi dado pelo Japão e significa "coelho" em japonês.[4] Pouco depois, foram emitidas alertas de tempestade tropical para as ilhas Pagan e Ilha Agrihan, nas Marianas do Norte.[23] No final daquele dia, após Usagi ter passando entre estas duas ilhas, o JTWC designou a tempestade como um tufão. O JMA somente classificou Usagi como tufão em 31 de julho, quando o sistema estava passando ao sul de Iwo Jima, Japão..[24] Usagi alcançou o pico de intensidade em 1º de agosto antes de encontrar águas frias e ventos de cisalhamento, que rapidamente fizeram o tufão se enfraquecer. Usagi atingiu o Japão na cidade de Nobeoka, na província de Miyazaki. Pouco depois, já fraco, Usagi foi classificado como uma tempestade tropical assim que ele se movia sobre Kyushu e Honshu.[25] No final de 2 de agosto, o JTWC também classificou Usagi como tempestade tropical e na madrugada do dia seguinte, a agência emitiu seu último aviso sobre o sistema assim que Usagi começou a se tornar um ciclone extratropical. Usagi ainda continuava a afetar o Japão quando se tornou completamente um ciclone extratropical em 4 de agosto. Neste momento, o JMA parou também de emitir avisos sobre este sistema. Em Kyushu, Japão, a passagem de Usagi causou 18 feridos.[26]

Depressão tropical 06W[editar | editar código-fonte]

Depressão tropical 06W
Depressão tropical (EFSS)
{{{image}}} 6-W 2007 track.png
Duração 2 de agosto de 20077 de agosto de 2007
Intensidade 30 nós (56 km/h, 35 mph) 1 min, 1000 hPa (mbar)

Em 2 de agosto, o JTWC designou um distúrbio tropical como a depressão tropical 06W.[27] Ao mesmo tempo, o JMA também designou o sistema como depressão tropical.[28] Em 4 de agosto, o JTWC classificou a depressão como tempestade tropical,[29] entretanto, no mesmo dia, a agência classificou o sistema novamente como depressão tropical, pois não havia convecção de ar suficiente para que o sistema fosse designado como uma tempestade tropical.[30] A depressão então atingiu a costa do Vietnam, com ventos constantes de 55 km/h. Em algumas localidades do país, caiu 610 mm de chuva.[31] Em Hainan, China, 231,6 mm de chuva caíram.[32] Estas chuvas causaram enchentes severas, que causaram a morte de pelo menos 60 pessoas.[33]

Tufão Pabuk (Chedeng)[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Tufão Pabuk (2007)

Tufão Pabuk (Chedeng)
Tufão 07W
Tufão  (AMJ)
Categoria 1 (EFSS)
{{{image}}} Pabuk 2007 track.png
Duração 4 de agosto de 20079 de agosto de 2007
Intensidade 70 nós (130 km/h, 81 mph) 1 min
65 nós (120 km/h, 75 mph) 10 min, 975 hPa (mbar)

Em 4 de agosto, o JMA designou um distúrbio tropical como uma depressão tropical. No dia, a agência classificou a depressão como tempestade tropical Pabuk.[34] O nome Pabuk foi dado por Laos, e refere-se a um grande peixe que habita o Rio Mekong.[4] Ao mesmo tempo, o JTWC designou o sistema como tempestade tropical 07W. No mesmo dia, a PAGASA nomeou a tempestade de Chedeng. Na manhã de 7 de agosto, o JTWC classificou a tempestade como um tufão. No final daquele dia, a agência classificou novamente Pabuk como tempestade tropical. Pabuk atingiu o sul de Taiwan, por volta das 16:30 UTC. O JTWC classificou novamente Pabuk como tufão no momento em que Pabuk atingia Taiwan, citando um pequeno olho.[35] Três horas após, o JTWC novamente classificou Pabuk como tempestade tropical.[36] Pabuk seguiu então para Hong Kong e Macau.[37] As respetivas agências meteorológicas emitiram avisos de ventos fortes em 9 de agosto. No final daquele dia, o JMA classificou a tempestade como depressão tropical e pouco depois, o JTWC fez o mesmo. A depressão mudou sua direção para leste-nordeste, forçando o Observatório de Hong Kong a emitir novamente avisos de ventos fortes em 10 de agosto.[38] Segundo o Observatório de Hong Kong, foi previsto que a depressão se fortaleceria naquele dia, levando o governo local a suspender as atividades escolares naquele dia.[39] Pouco depois, o observatório classificou novamente a depressão como tempestade tropical Pabuk[40] e começou a emitir avisos de ventos fortes e de tempestade tropical assim que o sistema movia-se próximo ao território.[41] Os alertas foram amenizados assim que Pabuk movia-se para oeste, atingindo a costa chinesa de Guangdong. No começo da manhã do dia seguinte, Pabuk mudou novamente sua direção, agora para nordeste ameaçando a região do delta do Rio Pearl, onde ficam Macau e Hong Kong.[42] Porém, Pabuk enfraqueceu-se e todos os avisos sobre o sistema foram cancelados.[43] Nas Filipinas, onze pessoas morreram com a passagem de Pabuk.[44]

Tempestade tropical Wutip (Dodong)[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Tempestade tropical Wutip (2007)

Tempestade tropical Wutip (Dodong)
Tempestade tropical 08W
Tempestade tropical  (AMJ)
Depressão tropical (EFSS)
{{{image}}} Wutip 2007 track.png
Duração 7 de agosto de 20079 de agosto de 2007
Intensidade 30 nós (56 km/h, 35 mph) 1 min
35 nós (65 km/h, 40 mph) 10 min, 990 hPa (mbar)

Na noite de 6 de agosto, o JMA designou um distúrbio tropical como tempestade tropical.[45] Na madrugada de 8 de agosto, o JMA designou a depressão como a tempestade tropical Wutip.[46] O nome Wutip foi dado por Macau e significa Borboleta em cantonês.[4] A circulação de ar de superfície de Wutip começou a se interagir com a terra e fez que a tempestade não se fortalecesse. o JMA logo emitiu seu último aviso sobre Wutip em 9 de agosto, classificando o sistema como depressão tropical. o JTWC também emitiu seu último aviso sobre Wutip logo depois. Nas Filipinas, três pessoas morreram e outras 17 ficaram feridas com a passagem de Wutip.[47]

Tufão Sepat (Egay)[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Tufão Sepat (2007)

Tufão Sepat (Egay)
Super tufão 09W
Tufão  (AMJ)
Categoria 5 (EFSS)
{{{image}}} Sepat 2007 track.png
Duração 11 de agosto de 200720 de agosto de 2007
Intensidade 140 nós (259 km/h, 161 mph) 1 min
110 nós (204 km/h, 127 mph) 10 min, 910 hPa (mbar)

Na madrugada de 12 de agosto, o JMA designou um distúrbio tropical próximo às Ilhas Marianas do Norte como uma depressão tropical.[48] Pouco depois, o JTWC também designou o distúrbio como depressão tropical 09W.[49] 12 horas depois, o JTWC classificou a depressão como uma tempestade tropical. O JTWC também alertou que o sistema poderia sofrer uma rápida intensificação. O JMA também classificou o sistema como tempestade tropical Sepat no final daquele dia.[50] O nome Sepat foi dado pela Malásia e refere-se a um peixe de água doce.[4] Na madrugada de 13 de agosto, Sepat adentrou a área de responsabilidade da PAGASA. A agência filipina batizou o sistema de Egay. Naquela noite, Sepat começou a sofrer rápida intensificação, como previsto e na manhã seguinte, o JTWC classificou Sepat como um super tufão.[51] Sepat continuou a se intensificar, alcançando a pressão atmosférica central mínima de 910 mbar na manhã de 16 de agosto.[52] A força de Sepat continuou por um bom tempo, mas um ciclo de substituição da parede do olho fez o tufão se enfraquecer.[53] Sepat atingiu o Taiwan entre Taitung e Hualien na noite de 17 de agosto (UTC)[54] e enfraqueceu para um tufão mínimo.[55]. Após atravessar a ilha, Sepat ainda manteve-se como tufão antes de se enfraquecer para uma tempestade tropical naquela noite.[56] 24 horas depois de Sepat ter atingido Taiwan, o sistema atingiu a China. Em terra, Sepat começou a se dissipar e o JMA emitiu seu último aviso sobre o sistema em 20 de agosto. Em 15 de agosto, chuvas de monções trazidas por Sepat causaram enchentes e congestionamentos em Manila, Filipinas.[57] As atividades escolares e serviços governamentais ficaram suspensos até 17 de agosto.[58]

Tufão Fitow[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Tufão Fitow (2007)

Tufão Fitow
Tufão 10W
Tufão  (AMJ)
Categoria 1 (EFSS)
{{{image}}} Fitow 2007 track.png
Duração 29 de agosto de 20078 de setembro de 2007
Intensidade 80 nós (148 km/h, 92 mph) 1 min
70 nós (130 km/h, 81 mph) 10 min, 965 hPa (mbar)

Na manhã 29 de agosto, o JTWC começou a monitorar a depressão tropical 10W.[59] No mesmo dia, o JMA também designou o sistema como depressão tropical.[60] A depressão desenvolveu-se rapidamente e ainda naquela tarde, o JMA classificou a depressão como tempestade tropical Fitow.[61] O nome Fitow foi dado pela Micronésia e refere-se a uma flor que exala uma fragrância agradável, em língua yapesa.[4] Fitow começou a sofrer rápida intensificação e na manhã de 30 de agosto, o JMA classificou o sistema como um tufão.[62] Mas águas frias e ventos de cisalhamento impediram a continuação desta rápida intensificação. Fitow moveu-se sobre o Oceano Pacífico noroeste por vários dias e atingiu a costa do Japão na noite de 6 de setembro[63][64] como um tufão mínimo.[65] Fitow enfraqueceu-se para uma tempestade tropical no dia seguinte[66] e se degenerou numa área de baixa pressão remanescente em 8 de setembro.[67] No Japão, 7 pessoas foram mortas[68] e no mínimo 50 ficaram feridos com a passagem de Fitow. Mais de 80.000 pessoas ficaram sem eletricidade. O transporte em Tóquio e áreas adjacentes foram afetados. Cerca de 200 voos foram cancelados e vários trens foram suspensos. Na região de Tama, na porção central e oeste de Tóquio, foram emitidos avisos de enchentes devido à ameaça de transbordamento do Rio Tama e várias pessoas desabrigadas que viviam às margens do rio foram levadas pela enxurrada.[69]

Tempestade tropical severa Danas[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Tempestade tropical Danas (2007)

Tempestade tropical severa Danas
Tufão 11W
Tempestade tropical severa  (AMJ)
Categoria 1 (EFSS)
{{{image}}} Danas 2007 track.png
Duração 29 de agosto de 20078 de setembro de 2007
Intensidade 65 nós (120 km/h, 75 mph) 1 min
55 nós (102 km/h, 63 mph) 10 min, 990 hPa (mbar)

Um distúrbio tropical a noroeste de Ilha Wake formou-se na madrugada de 3 de setembro e seguiu para o norte e então para noroeste, tornando-se mais organizado. Em 6 de setembro, o JMA designou este distúrbio como uma depressão tropical.[70] Um alerta de formação de ciclone tropical foi emitido pelo JTWC no mesmo dia.[71] A tempestade continuou a seguir para noroeste, em direção ao Japão, tornando-se a tempestade tropical Danas na madrugada de 7 de setembro.[72] O nome Danas foi dado pelas Filipinas e refere-se a "experimentar", "sentir", na língua local. A tempestade desacelerou e virou para o norte em 9 de setembro.[73] Em 11 de setembro, águas frias enfraqueceram Danas.[74] Naquela noite, Danas se degenerou para uma área de baixa pressão remanescente.[75]

Tufão Nari (Falcon)[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Tufão Nari (2007)

Tufão Nari (Falcon)
Tufão 12W
Tufão  (AMJ)
Categoria 4 (EFSS)
{{{image}}} Nari 2007 track.png
Duração 13 de setembro de 200717 de setembro de 2007
Intensidade 125 nós (232 km/h, 144 mph) 1 min
100 nós (185 km/h, 115 mph) 10 min, 935 hPa (mbar)

Em 11 de setembro, o JMA designou um distúrbio tropical como uma depressão tropical. Em 12 de setembro, o JTWC também fez o mesmo. Em 13 de setembro, a PAGASA também começou a monitorar a depressão e o nomeou de Falcon. Na manhã seguinte, o JMA classificou a depressão como tempestade tropical Nari. O nome Nari foi dado pela Coreia do Sul e refere-se a um tipo de lírio encontrado por lá. Naquela tarde e noite, Nari começou a sofrer uma rápida intensificação, fortalecendo de uma depressão tropical para um tufão em apenas 18 horas. Em 14 de setembro, Nari alcançou o seu pico de intensidade e começou a se enfraquecer logo depois. O sistema atingiu a Coreia do Sul com força de tempestade tropical. Pouco depois, Nari começou a se tornar um ciclone extratropical. No mínimo 20 pessoas morreram ou desapareceram devido às enchentes causadas pela passagem de Nari. Em Jeju, Coreia do Sul, caiu 590 mm de chuva.

Tufão Wipha (Goring)[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Tufão Wipha (2007)

Tufão Wipha (Goring)
Super tufão 13W
Tufão  (AMJ)
Categoria 4 (EFSS)
{{{image}}} Wipha 2007 track.png
Duração 14 de setembro de 200719 de setembro de 2007
Intensidade 135 nós (250 km/h, 155 mph) 1 min
100 nós (185 km/h, 115 mph) 10 min, 925 hPa (mbar)

Em 15 de setembro, o JMA classificou um distúrbio tropical como depressão tropical.[76] Logo depois, o JTWC também classificou o distúrbio como depressão tropical 15W. No final do dia, a PAGASA também designou o sistema como depressão tropical e o nomeou de "Goring". Em 16 de setembro, a depressão fortaleceu-se e tornou-se a tempestade tropical Wipha.[77] O nome Wipha foi dado pela Tailândia e é um nome feminino local.[4] Em 17 de setembro, Wipha começou a sofrer rápida intensificação e rapidamente se fortaleceu para um tufão. O sistema continuou a se fortalecer e foi classificado como super tufão pelo JTWC na madrugada de 18 de setembro. Nas primeiras horas da madrugada de 19 de setembro (horário local) perto da cidade de Fuding, China, próximo da divisa entre as províncias chinesas de Fujian e Zhejiang. Entretanto, antes de atingir a costa chinesa, o tufão alcançou a força equivalente de um furacão de categoria 3. Anteriormente, Wipha ameaçou atingir Xangai e áreas populosas nas províncias de Fujian e Zhejiang. O governo retirou quase 2.000.000 pessoas de áreas de risco, devido à ameaça de Wipha. Uma agência de notícias local disse que a retirada de pessoas foi a maior em meio século.[68] Botes e navios foram convocados para retornar aos portos. No mínimo 20 voos foram cancelados nos dois aeroportos de Xangai e pelo menos 50 foram adiados.[68] Quatro partidas oficiais da copa do mundo de futebol feminino de 2007 foram remarcadas devido à ameaça de Wipha.[78] As enchentes foram severas. Um homem não identificado morreu eletrocutado quando ele entrou numa região alagada; nesta região a rede de energia elétrica estava caída sobre a água. Os níveis de água em rios e reservatórios aumentaram perigosamente.[68] No total, 9 pessoas morreram e os danos foram calculados em $880 milhões de dólares.[79]

Depressão tropical 14W[editar | editar código-fonte]

Depressão tropical 14W
Depressão tropical (EFSS)
{{{image}}} 14-W 2007 track.png
Duração 20 de setembro de 200721 de setembro de 2007
Intensidade 30 nós (56 km/h, 35 mph) 1 min, 1000 hPa (mbar)

Um distúrbio tropical formou-se a cerca de 850 km a oeste de Guam na madrugada de 19 de setembro. No final daquele dia, o JMA reconheceu que uma depressão tropical mínima tinha se formado naquela região. Em 20 de setembro, o JTWC começou a emitir avisos sobre a depressão tropical 14W.[80] Inicialmente, foi previsto que a depressão se tornaria uma tempestade tropical, mas fortes ventos de cisalhamento impediram um maior desenvolvimento. A depressão se degenerou numa área de baixa pressão remanescente em 21 de setembro.[81]

Tempestade tropical Francisco[editar | editar código-fonte]

Tempestade tropical Francisco
Tempestade tropical 15W
Tempestade tropical  (AMJ)
Tempestade tropical (EFSS)
{{{image}}} Francisco 2007 track.png
Duração 23 de setembro de 200725 de setembro de 2007
Intensidade 45 nós (83 km/h, 52 mph) 1 min
40 nós (74 km/h, 46 mph) 10 min, 990 hPa (mbar)

Em 21 de setembro, o JMA reconheceu que uma depressão tropical mínima tinha se formado a sul-sudeste de Hong Kong e começou a emitir avisos freqüentes em 23 de setembro.[82] Ao mesmo tempo, o JTWC também designou o sistema como depressão tropical.[83] Nove horas depois, a depressão fortaleceu-se e tornou-se a tempestade tropical Francisco.[84] O nome Francisco foi dado pelos Estados Unidos.[4] A tempestade dirigiu-se para oeste atingindo Hainan, China, na cidade de Wenchang, em 24 de setembro. A interação da circulação de ar de Francisco com terra causou o seu enfraquecimento para depressão tropical. Assim que Francisco se enfraqueceu para depressão tropical, o JMA e o JTWC pararam de emitir avisos sobre o sistema.[85]

Tempestade tropical severa Lekima (Hanna)[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Tempestade tropical Lekima (2007)

Tempestade tropical severa Lekima
Tufão 16W
Tempestade tropical severa  (AMJ)
Categoria 1 (EFSS)
{{{image}}} Lekima 2007 track.png
Duração 27 de setembro de 20074 de outubro de 2007
Intensidade 60 nós (111 km/h, 69 mph) 1 min, 975 hPa (mbar)

Em 27 de setembro, a PAGASA declarou um distúrbio tropical como depressão tropical e lhe deu o nome de Hanna. No dia seguinte, a agência filipina classificou a depressão como tempestade tropical. Em 29 de setembro, a tempestade atingiu as Filipinas perto de Luzon. Pouco depois, o JMA classificou o sistema como a tempestade tropical Lekima. O nome Lekima foi dado pelo Vietnam e refere-se a um tipo de árvore cujo fruto é composto por uma única semente e esta é envolvida por uma polpa amarelada semelhante a uma gema de ovo.[4] Após passar sobre Filipinas, Lekima começou a se fortalecer e em 30 de setembro, o JTWC classificou a tempestade como um tufão. Assim Lekima permaneceu até atingir o Vietnam em 3 de outubro. No dia seguinte o sistema dissipou-se sobre terra. Em Luzon, Filipinas, chuvas fortes de Lekima causaram vários deslizamentos de terra, que mataram oito pessoas, sendo destas três crianças. Em Cidade de Quezon, também nas Filipinas, outra pessoa foi encontrada morta devido à passagem da tempestade.[86][87] As chuvas fortes também causaram no país fortes enchentes, danos em infraestruturas e o colapso no serviço de transporte.[86][87] Na China, as autoridades locais retiraram mais de 100.000 pessoas de áreas de risco; mais de 20.000 barcos de pesca não puderam sair de seus ancoradouros.[79] Em 3 de outubro, Lekima atingiu o Vietnam. Cerca de 100.000 residências foram destruídas e no mínimo 42 pessoas morreram ou desapareceram devido às enchentes severas no país.[88][89]

Tufão Krosa (Ineng)[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Tufão Krosa (2007)

Tufão Krosa (Ineng)
Super tufão 17W
Tufão  (AMJ)
Categoria 4 (EFSS)
{{{image}}} Krosa 2007 track.png
Duração 1º de outubro de 20078 de outubro de 2007
Intensidade 130 nós (241 km/h, 150 mph) 1 min
105 nós (194 km/h, 121 mph) 10 min, 925 hPa (mbar)

Na madrugada de 1º de outubro, a PAGASA designou um distúrbio como depressão tropical (Ineng). Pouco depois, o JTWC e o JMA também classificaram o sistema como depressão tropical. Na madrugada do dia seguinte, a agência japonesa classificou a depressão como tempestade tropical Krosa. O nome Krosa foi dado pelo Camboja e refere-se a uma ave na região.[4] No mesmo dia, a tempestade começou a sofrer rápida intensificação e por volta do meio-dia, Krosa foi classificado como tufão pelo JTWC. Assim que o tufão se intensificava, ele apresentava um olho grande e indefinido e começou a seguir para oeste. Em 3 de outubro, o JMA também classificou a tempestade como tufão. A rápida intensificação continuou e no dia seguinte, Krosa já tinha força equivalente a um furacão de categoria 4 na Escala de furacões de Saffir-Simpson. Assim que a circulação de ar de Krosa começou a interagir com terrenos rochosos da ilha de Taiwan, a intensidade do tufão começou a flutuar, ou seja, variar, no mesmo momento em que o JTWC classificou Krosa como super tufão na madrugada de 5 de outubro. A partir daí, o tufão começou a se enfraquecer aos poucos antes de atingir o nordeste de Taiwan em 6 de outubro. Lá, a passagem do tufão deixou 5 mortos e pelo menos 52 pessoas feridas. Após passar por Taiwan, Krosa começou a ir em direção a China.[90] O governo chinês retirou 1.400.000 pessoas das províncias de Zhejiang e Fujian na noite do mesmo dia. Os estragos na China foram grandes. Pelo menos 5 milhões de pessoas foram afetadas. Em algumas regiões, a precipitação de chuva acumulada chegou a 127 mm. Os ventos fortes de Krosa destruíram pelos menos 1.650 residências. Próximo á costa, 27 pessoas tiveram que ser resgatadas depois que um navio sofreu pane mecânica; as ondas fortes poderiam destruir o navio contra a costa. O governo chinês fechou escolas e todas as formas de transporte (aéreo, marítimo e terrestre) em prevenção à chegada de Krosa. Os danos foram calculados em quase $550 milhões de dólares.[91]

Tempestade tropical Haiyan[editar | editar código-fonte]

Tempestade tropical Haiyan
Tempestade tropical 27W
Tempestade tropical  (AMJ)
Tempestade tropical (EFSS)
{{{image}}} Haiyan 2007 track.png
Duração 6 de outubro de 20076 de outubro de 2007
Intensidade 50 nós (93 km/h, 58 mph) 1 min
40 nós (74 km/h, 46 mph) 10 min, 994 hPa (mbar)

Uma área de baixa pressão não-tropical desenvolveu-se logo a oeste da linha internacional de data em 30 de setembro. O centro desta área era frio. As rajadas de vento deste sistema alcançaram o nível severo na Escala de Beaufort em 5 de setembro.[92] A área de baixa pressão gradualmente começou a ganhar características tropicais e em 6 de outubro, o JMA designou esta área como tempestade tropical Haiyan. O nome Haiyan foi dado pela China e refere-se a uma espécie de ave marítima.[4] Anteriormente, o JMA já tinha classificado este sistema como depressão tropical. No final do mesmo dia, Haiyan começou a se enfraquecer e se dissipou ainda no mesmo dia.

Em análises pós-tempestade, o Joint Typhoon Warning Center (JTWC) considerou Haiyan como uma tempestade tropical, com ventos máximos sustentados de 95 km/h.[93]

Tempestade tropical severa Podul[editar | editar código-fonte]

Tempestade tropical Podul
Tempestade tropical severa  (AMJ)
Tempestade tropical (EFSS)
{{{image}}} Podul 2007 track.png
Duração 6 de outubro de 20077 de outubro de 2007
Intensidade 55 nós (102 km/h, 63 mph) 10 min, 985 hPa (mbar)

Em 6 de outubro, uma depressão tropical a leste do Japão foi designado tempestade tropical Podul. O nome Podul foi dado pela Coreia do Norte e refere-se a um salgueiro local. Logo a tempestade tropical começou a se enfraquecer e se dissipou na madrugada do dia seguinte.

Tempestade tropical Lingling[editar | editar código-fonte]

Tempestade tropical Lingling
Tempestade tropical 18W
Tempestade tropical  (AMJ)
Tempestade tropical (EFSS)
{{{image}}} Lingling 2007 track.png
Duração 12 de outubro de 200715 de outubro de 2007
Intensidade 40 nós (74 km/h, 46 mph) 1 min
45 nós (83 km/h, 52 mph) 10 min, 994 hPa (mbar)

Em 9 de outubro, um distúrbio tropical que se formou originalmente no Oceano Pacífico centro-norte cruzou a linha internacional de data e tornou-se uma depressão tropical em 11 de outubro. Em 12 de outubro, o JMA classificou a depressão como tempestade tropical Lingling. O nome Lingling foi dado pelo Taiwan e é um nome feminino comum em mandarim. No mesmo dia, o JTWC também classificou a depressão como tempestade tropical 18W. A tempestade começou a se enfraquecer e se dissipou em 15 de outubro sem maiores conseqüências.

Tufão Kajiki[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Tufão Kajiki (2007)

Tufão Kajiki
Tufão 19W
Tufão  (AMJ)
Categoria 4 (EFSS)
{{{image}}} Kajiki 2007 track.png
Duração 19 de outubro de 200722 de outubro de 2007
Intensidade 115 nós (213 km/h, 132 mph) 1 min
90 nós (167 km/h, 104 mph) 10 min, 945 hPa (mbar)

No começo da madrugada de 19 de outubro, o JMA e o JTWC classificaram um distúrbio tropical como depressão tropical.[94] Seis horas depois, a agência japonesa classificou a depressão como tempestade tropical Kajiki.[95] O nome Kajiki foi dado pelo Japão e refere-se a um tipo de peixe-espada.[4] Kajiki começou a sofrer rápida intensificação e na madrugada de 20 de outubro, o sistema tornou-se um tufão.[96] Kajiki atingiu o seu pico de intensidade assim que atingiu a ilha japonesa de Iwo Jima. Depois, Kajiki começou a encontrar águas frias no seu caminho, que fizeram o tufão se enfraquecer. Em 22 de outubro, o sistema se dissipou.

Tempestade tropical severa Faxai (Juaning)[editar | editar código-fonte]

Tempestade tropical severa Faxai
Tempestade tropical 20W
Tempestade tropical severa  (AMJ)
Tempestade tropical (EFSS)
{{{image}}} Faxai 2007 track.png
Duração 25 de outubro de 200727 de outubro de 2007
Intensidade 40 nós (74 km/h, 46 mph) 1 min
55 nós (102 km/h, 63 mph) 10 min, 975 hPa (mbar)

O JMA classificou um distúrbio tropical como depressão tropical em 25 de outubro.[97] Na madrugada do dia seguinte, o JMA classificou a depressão como tempestade tropical Faxai assim que o sistema movia-se para noroeste.[98] O nome Faxai foi dado por Laos e é um nome feminino local.[4] Ao mesmo tempo, o JTWC classificou o sistema como depressão tropical.[99] mas o declarou ciclone extratropical antes de se fortalecer para tempestade tropical.[100] Também ao mesmo tempo, a PAGASA designou o sistema como tempestade tropical (Juaning).[101][102] No final do mesmo dia, o JTWC reconsiderou faxai, agora como tempestade tropical.[103] O JMA declarou Faxai como uma tempestade tropical severa em 27 de outubro,[104] assim que o JTWC parou novamente de emitir avisos sobre este sistema, alegando que Faxai estava começando a se tornar um ciclone extratropical.[105] Ainda no mesmo dia, o JMA também parou de emitir avisos sobre faxai assim que o sistema já tinha finalizado a sua transição para ciclone extratropical.[106]

Tufão Peipah (Kabayan)[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Tufão Peipah (2007)

Tufão Peipah (Kabayan)
Tufão 21W
Tufão  (AMJ)
Categoria 1 (EFSS)
{{{image}}} Pepiah 2007 track.png
Duração 3 de novembro de 20079 de novembro de 2007
Intensidade 75 nós (139 km/h, 86 mph) 1 min
70 nós (130 km/h, 81 mph) 10 min, 970 hPa (mbar)

Em 3 de novembro, a PAGASA e o JTWC designaram um distúrbio tropica como depressão tropical (a PAGASA o nomeou de Kabayan).[107][108] O sistema começou a se desenvolver rapidamente no final daquele dia e tornou-se a tempestade tropical Peipah em 3 de novembro.[109] O nome Peipah foi dado por Macau e refere-se a um peixe de estimação.[4] No final de 4 de novembro, pouco antes de Peipah atingir as Filipinas, o JTWC classificou o sistema como um tufão. Assim que Peipah emergiu no mar, o JMA também classificou a tempestade como tufão.[110] Em 7 de novembro, Peipah começou a se enfraquecer[111] e se dissipou em 9 de novembro antes de atingir o Vietnam.

Tempestade tropical Tapah[editar | editar código-fonte]

Tempestade tropical Tapah
Tempestade tropical 22W
Tempestade tropical  (AMJ)
Tempestade tropical (EFSS)
{{{image}}} Tapah 2007 track.png
Duração 11 de novembro de 200713 de novembro de 2007
Intensidade 35 nós (65 km/h, 40 mph) 1 e 10 min, 996 hPa (mbar)

Em 10 de novembro, um distúrbio tropical foi designado pelo JMA como uma depressão tropical. No final de 11 de novembro, o JTWC também classificou o distúrbio como depressão tropical 22W. Na madrugada de 12 de novembro, a depressão se fortaleceu e foi classificado pelo JMA como tempestade tropical Tapah. O nome Tapah foi dado pela Malásia e refere-se a um bagre de água doce.[4] Tapah logo começou a se enfraquecer assim que começou a passar sobre águas frias e tornou-se um ciclone extratropical em 13 de novembro.

Tufão Hagibis (Lando)[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Tufão Hagibis (2007)

Tufão Hagibis (Lando)
Tufão 23W
Tufão  (AMJ)
Categoria 1 (EFSS)
{{{image}}} Hagibis 2007 track.png
Duração 20 de novembro de 200727 de novembro de 2007
Intensidade 80 nós (148 km/h, 92 mph) 1 min
70 nós (130 km/h, 81 mph) 10 min, 970 hPa (mbar)

Em 18 de Novembro, o Joint Typhoon Warning Center (JTWC) classificou uma perturbação tropical como a depressão tropical 23W . A PAGASA também também classificou a perturbação como uma depressão tropical na madrugada de 19 de novembro, momeando-o de Lando e logo depois classificou novamente o sistema para tempestade tropical. Naquele dia, o JTWC fez o mesmo e também classificou a depressão como tempestade tropical. Na madrugada de 21 de Novembro, a tempestade fortaleceu-se para tempestade tropical severa. No final daquela tarde, o JTWC classificou a tempestade como um tufão e a Agência Meteorológica Japonesa (AMJ) fez o mesmo no final daquela noite. Na madrugada de 22 de novembro, o tufão começou a serpentear próximo a costa do Vietnam ao mesmo tempo que começou a se enfraquecer gradualmente. Logo depois, Hagibis começou a se mover para leste. Assim que se movia para leste, Hagibis começou a sofrer a influência dos ventos de cisalhamento gerados pela interação de uma crista equatorial com o tufão Mitag e tornou-se uma depressão tropical em 26 de novembro. No dia seguinte, o JTWC emitiu seu último aviso sobre Hagibis, apesar da AMJ considerar o sistema ainda como tempestade tropical. No final daquele dia, a AMJ também emitiu seu último aviso sobre Hagibis assim que ele cruzou novamente as Filipinas.

Hagibis causou a morte de nove pessoas nas ilhas Visayas e Mindanao[112]

O nome Hagibis foi dado pelas Filipinas e significa "rápido".[4]

Tufão Mitag (Mina)[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Tufão Mitag (2007)

Tufão Mitag (Mina)
Tufão 24W
Tufão  (AMJ)
Categoria 2 (EFSS)
{{{image}}} Mitag 2007 track.png
Duração 20 de novembro de 200727 de novembro de 2007
Intensidade 95 nós (176 km/h, 109 mph) 1 min
80 nós (148 km/h, 92 mph) 10 min, 955 hPa (mbar)

Em 20 de Novembro, uma perturbação tropical a leste das Filipinas fortaleceu-se foi classificada pela AMJ como tempestade tropical Mitag. Logo em seguida, o JTWC fez o mesmo classificando este sistema como tempestade tropical 24W. Mitag fortaleceu-se rapidamente durante o dia seguinte e tornou-se um tufão no final daquela noite.

As autoridades filipina começaram a retirar 200.000 pessoas em 23 de novembro, a maioria da região de Bicol assim que Mitag aproximava-se da costa. A província de Albay declarou estado de calamidade.[113]

Mitag ficou estacionário no Mar das Filipinas por um dia como um tufão equivalente a um furacão de categoria 2, mudou a sua rota original e ao invés de atingir Catanduanes e a região de Bicol, ele atingiu as províncias de Aurora e Isabela[114]

Em 25 de novembro, Mitag passou sobre o norte das Filipinas assim que começava a se enfraquecer, perdendo gradualmente a sua convecção profunda. Por estar numa região com águas frias e pela formação de um cavado, Mitag começou em 26 de novembro a começar a sua transição para ciclone extratropical. No dia seguinte, o JTWC a e AMJ emitiram seus últimos avisos assim que Mitag começou a se tornar um ciclone extratropical.

Seis pessoas morreram na região de Bicol devido aos efeitos do tufão Mitag.

Depressão tropical 25W[editar | editar código-fonte]

Depressão tropical 25W
Depressão tropical (EFSS)
{{{image}}} 25-W 2007 track.png
Duração 26 de novembro de 200727 de novembro de 2007
Intensidade 25 nós (46 km/h, 29 mph) 1 min, 1004 hPa (mbar)

Em 26 de novembro, o Joint Typhoon Warning Center (JTWC) emitiu um alerta de formação de ciclone tropical para uma perturbação tropical que estava se desenvolvendo a leste das Filipinas. No dia seguinte, O JTWC classificou a perturbação como depressão tropical 25W. Em 27 de setembro, a depressão tornou-se um ciclone extratropical e o JTWC emitiu seu último aviso sobre o sistema.

Depressão tropical 26W[editar | editar código-fonte]

Depressão tropical 26W
Depressão tropical (EFSS)
{{{image}}} 26-W 2007 track.png
Duração 28 de novembro de 200728 de novembro de 2007
Intensidade 25 nós (46 km/h, 29 mph) 1 min, 999 hPa (mbar)

Em 27 de novembro, o Joint Typhoon Warning Center (JTWC) emitiu um alerta de formação de ciclone tropical para uma perturbação tropical que estava se desenvolvendo a sudoeste de Iwo Jima. No dia seguinte, O JTWC classificou a perturbação como depressão tropical 26W. No final daquele dia, o JTWC parou de emitir avisos sobre o sistema assim que a depressão tornou-se rapidamente um ciclone extratropical.

Energia ciclônica acumulada (ECA)[editar | editar código-fonte]

ECA (104kt²) — Tempestade:
1 28,108 Sepat 12 6,590 Peipah
2 24,645 Krosa 13 6,543 Kong-rey
3 20,631 Man-yi 14 4,959 Lekima
4 19,935 Fitow 15 4,703 Danas
5 16,013 Yutu 16 4,343 Pabuk
6 15,791 Usagi 17 0,810 Francisco
7 14,420 Mitag 18 0,650 Lingling
8 12,438 Wipha 19 0,580 Toraji
9 11,783 Nari 20 0,546 Wutip
10 8,908 Kajiki 21 0,283 Faxai
11 7,865 Hagibis 22 0,245 Tapah
Total: 187,571[115]

A tabela a direita mostra a Energia ciclônica acumulada (ECA) para cada ciclone tropical formado durante a temporada. O ECA é, de forma abrangente, uma energia medida da tempestade multiplicada pelo tempo em que a mesma existiu. Quanto mais tempo dura e quanto mais forte a tempestade, a mesma terá uma ECA maior. A ECA somente é calculada para aqueles sistemas que alcancem força de tempestade tropical, ou seja, sistemas cujos ventos alcancem 63 km/h ou mais. A tempestade tropical 06W, Podul e Haiyan não foram incluídos nos cálculos.

Cronologia[editar | editar código-fonte]

O gráfico abaixo mostra de forma clara a duração e a intensidade de cada ciclone tropical:

Nomes das tempestades[editar | editar código-fonte]

Os ciclones tropicais do Oceano Pacífico noroeste são oficialmente nomeados pelo Centro Regional Meteorológico Especializado em tufões de Tóquio, subordinado à Agência Meteorológica Japonesa. Diferente de outras regiões de formação de ciclones tropicais, onde as tempestades são nomeadas segundo uma lista anual e geralmente alfabética, no Oceano Pacífico noroeste as tempestades são nomeadas por uma lista seqüencial, isto é, os nomes são utilizados de acordo com a posição na lista, sem considerar a mudança de uma temporada para outra. Os nomes são dados por treze países membros da organização meteorológica japonesa. O único país membro que não contribui é a Singapura. Os treze países ou territórios, mais a Micronésia, contribuem com 10 nomes cada. A lista é organizada segundo a ordem por país ou território por ordem alfabética (alfabeto língua inglesa) Os nomes marcados com um asterisco estão marcados para serem retirados devido aos efeitos de cada respectivo tufão na temporada de tufões de 2006. Fora isso, a lista é a mesma usada na temporada de tufões no Pacífico de 2006, exceto Pakhar, Doksuri e Haikui, que foram substituídos por Matsa, Nabi e Longwang, respectivamente.[116] Sendo assim, o primeiro nome utilizado foi Kong-rey.

Esta é a primeira vez que o nome Wipha foi utilizada; a forma transliteral (inglês) foi alterada de Vipa para Wipha.[117] O nome Peipah também foi utilizado pela primeira vez.

Nação contribuinte Nomes
Flag of Cambodia.svgCamboja Damrey Kong-rey Nakri Krovanh Sarika
Flag of the People's Republic of China.svgRepública Popular da China Haikui Yutu Fengshen Dujuan Haima
Flag of North Korea.svgCoreia do Norte Kirogi Toraji Kalmaegi Mujigae Meari
Flag of Hong Kong.svgHong Kong Kai-Tak Man-yi Fung-wong Choi-wan Ma-on
JapãoJapão Tembin Usagi Kammuri Koppu Tokage
Flag of Laos.svgLaos Bolaven Pabuk Phanfone Ketsana Nock-ten
Flag of Macau.svgMacau Chanchu* Wutip Vongfong Parma Muifa
Flag of Malaysia.svgMalásia Jelawat Sepat Nuri Melor Merbok
Flag of the Federated States of Micronesia.svgMicronésia Ewiniar Fitow Sinlaku Nepartak Nanmadol
Flag of the Philippines.svgFilipinas Bilis* Danas Hagupit Lupit Talas
Flag of South Korea.svgCoreia do Sul Kaemi Nari Changmi Sudal Noru
Flag of Thailand.svgTailândia Prapiroon Wipha Mekkhala Nida Kulap
Estados UnidosEstados Unidos Maria Francisco Higos Omais Roke
Flag of Vietnam.svgVietname Saomai* Lekima Bavi Conson Sonca
Flag of Cambodia.svgCamboja Bopha Krosa Maysak Chanthu Nesat
Flag of the People's Republic of China.svgChina Wukong Haiyan Haishen Dianmu Haitang
Flag of North Korea.svgCoreia do Norte Sonamu Podul Noul Mindulle Nalgae
Flag of Hong Kong.svgHong Kong Shanshan Lingling Dolphin Lionrock Banyan
JapãoJapão Yagi Kajiki Kujira Kompasu Washi
Flag of Laos.svgLaos Xangsane* Faxai Chan-hom Namtheun Pakhar
Flag of Macau.svgMacau Bebinca Peipah Linfa Malou Sanvu
Flag of Malaysia.svgMalásia Rumbia Tapah Nangka Meranti Mawar
Flag of the Federated States of Micronesia.svgMicronésia Soulik Mitag Soudelor Fanapi Guchol
Flag of the Philippines.svgFilipinas Cimaron Hagibis Molave Malakas Talim
Flag of South Korea.svgCoreia do Sul Chebi Noguri Koni Megi Doksuri
Flag of Thailand.svgTailândia Durian* Rammasun Morakot Chaba Khanun
Estados UnidosEstados Unidos Utor Matmo Etau Aere Vicente
Flag of Vietnam.svgVietnam Trami Halong Vamco Songda Saola

Filipinas[editar | editar código-fonte]

Nas Filipinas, a Administração de Serviços astronômicos, geofísicos e atmosféricos filipina (PAGASA) usa a sua própria lista para nomear ciclones tropicais dentro de sua área de responsabilidade. As listas são recicladas a cada quatro anos.

  • Onyok (sem usar)
  • Pedring (sem usar
  • Quiel (sem usar)
  • Ramon (sem usar)
  • Sendong (sem usar)
  • Tisoy (sem usar)
  • Ursula (sem usar)
  • Viring (sem usar)
  • Weng (sem usar)
  • Yoyoy (sem usar)
  • Zigzag (sem usar)
  • Abe (sem usar)
  • Berto (sem usar)
  • Charo (sem usar)
  • Dado (sem usar)
  • Estoy (sem usar)
  • Felion (sem usar)
  • Gening (sem usar)
  • Herman (sem usar)
  • Irma (sem usar)
  • Jaime (sem usar)

Japão[editar | editar código-fonte]

Apesar da Agência Meteorológica Japonesa nomeia as tempestades de modo oficial, no Japão, essas tempestades são conhecidas apenas por números. A numeração segue uma ordem: o número da tempestade tem quatro dígitos, os dois primeiros correspondem ao ano (para 2007, os números são 07) e os outros dois dígitos correspondem à ordem de formação da tempestade. Por exemplo, o tufão Sepat foi a oitava tempestade a se formar em 2007. Sendo assim, seu número será 0708.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Furacão Catrina Portal da
meteorologia
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Temporada de tufões no Pacífico de 2007

Referências

  1. http://www.typhoon2000.ph/garyp_mgtcs/may03sum.txt
  2. http://weather.cityu.edu.hk/tc_forecast/2007_forecast_APR.htm
  3. http://weather.cityu.edu.hk/tc_forecast/2007_forecast_JUN.htm
  4. a b c d e f g h i j k l m n o p q http://www.jma.go.jp/jma/jma-eng/jma-center/rsmc-hp-pub-eg/tyname.html
  5. classificação dada pela AMJ e equivale à força de uma tempestade tropical com ventos máximos entre 100 e 120 km/h
  6. ftp://ftp.met.fsu.edu/pub/weather/tropical/GuamStuff/2007051615-WDPN.PGTW
  7. http://www.webcitation.org/5OxtdN1za
  8. http://www.webcitation.org/5OzUSAWvv
  9. http://www.webcitation.org/5P0yVygEO
  10. http://weather.unisys.com/hurricane/archive/07070506
  11. http://www.cma.gov.cn/qxxw/t20070706_201895.phtml
  12. http://www.webcitation.org/5Q9mpNBC9
  13. ftp://ftp.met.fsu.edu/pub/weather/tropical/GuamStuff/2007070721-WTPN.PGTW
  14. http://www.webcitation.org/5QBbpbGO7
  15. Storm exposes GPA vulnerabilities" by Gaynor Dumat-ol Daleno, Pacific Daily News, 10 July 2007
  16. Associated Press (2007). «At Least 3 Die in Shipwreck After Log Carrier Runs Into Typhoon Man-Yi». Consultado em 14 de julho de 2007 
  17. http://www.webcitation.org/5QHA9Lvr2
  18. http://www.ndtv.com/convergence/ndtv/story.aspx?id=NEWEN20070018886
  19. http://listserv.uiuc.edu/wa.cgi?A2=ind0707d&L=wx-tropl&T=0&P=52496
  20. ftp://ftp.met.fsu.edu/pub/weather/tropical/GuamStuff/2007072815-WTPN.PGTW
  21. ftp://ftp.met.fsu.edu/pub/weather/tropical/GuamStuff/2007072821-WTPN.PGTW
  22. http://listserv.uiuc.edu/wa.cgi?A2=ind0707e&L=wx-tropl&T=0&P=920
  23. http://listserv.uiuc.edu/wa.cgi?A2=ind0707d&L=wx-tropl&T=0&P=60506
  24. http://listserv.uiuc.edu/wa.cgi?A2=ind0707e&L=wx-tropl&T=0&P=23783
  25. http://www.webcitation.org/5QnoxwrSd
  26. http://news.bbc.co.uk/2/hi/asia-pacific/6928931.stm
  27. http://www.webcitation.org/5QnmeN9vY
  28. http://www.webcitation.org/5QnmkpKYv
  29. http://www.webcitation.org/5Qpk7PTqg
  30. http://www.webcitation.org/5Qr36gUbH
  31. http://www.latimes.com/news/nationworld/world/wire/sns-ap-vietnam-storm,1,6489764.story
  32. http://mb.hainan.gov.cn/gov/text/qxxx081208071.txt
  33. http://vnexpress.net/Vietnam/Xa-hoi/2007/08/3B9F906A/
  34. http://www.webcitation.org/5QrUisG7f
  35. ftp://ftp.met.fsu.edu/pub/weather/tropical/GuamStuff/2007080721-WTPN.PGTW
  36. http://www.webcitation.org/5QvfbvBTE
  37. http://www.webcitation.org/5Qw3hcrHE
  38. ftp://ftp.met.fsu.edu/pub/weather/tropical/Tokyo/2007081000.RJTD
  39. http://www.webcitation.org/5Qyz1SfjJ
  40. http://www.info.gov.hk/gia/wr/200708/10/P200708100166.htm
  41. http://www.info.gov.hk/gia/wr/200708/10/P200708100252.htm
  42. http://www.info.gov.hk/gia/wr/200708/11/P200708110058.htm
  43. http://www.info.gov.hk/gia/wr/200708/11/P200708110107.htm
  44. http://www.nytimes.com/2007/08/09/world/asia/09asiastorms.html
  45. "TROPICAL DEPRESSION 1002 HPA AT 14N 128E WEST SLOWLY."
  46. http://www.webcitation.org/5QveYQwBH
  47. http://www.reliefweb.int/rw/rwb.nsf/db900sid/LRON-75WDVR?OpenDocument&rc=3&emid=FL-2007-000125-PHL
  48. http://www.webcitation.org/5R27gMhi1
  49. ftp://ftp.met.fsu.edu/pub/weather/tropical/GuamStuff/2007081209-WTPN.PGTW
  50. ftp://ftp.met.fsu.edu/pub/weather/tropical/Tokyo/2007081218.RJTD
  51. ftp://ftp.met.fsu.edu/pub/weather/tropical/GuamStuff/2007081503-WDPN.PGTW
  52. http://www.webcitation.org/5R7nAjOR1
  53. ftp://ftp.met.fsu.edu/pub/weather/tropical/GuamStuff/2007081615-WDPN.PGTW
  54. ftp://ftp.met.fsu.edu/pub/weather/tropical/GuamStuff/2007081803-WDPN.PGTW
  55. «www.webcitation.org/5RAux0QOD» 
  56. «www.webcitation.org/5RBaYJ7 DL» 
  57. http://newsinfo.inquirer.net/breakingnews/metro/view_article.php?article_id=82753
  58. http://newsinfo.inquirer.net/breakingnews/metro/view_article.php?article_id=82675
  59. http://www.webcitation.org/5RRO8fMD7
  60. http://www.webcitation.org/5RRdq2DRO
  61. http://www.webcitation.org/5RRvY3wO7
  62. http://www.webcitation.org/5RTxllIjg
  63. ftp://ftp.met.fsu.edu/ub/weather/tropical/GuamStuff/2007090621-WTPN.PGTW
  64. ftp://ftp.met.fsu.edu/pub/weather/tropical/GuamStuff/2007090703-WTPN.PGTW
  65. http://www.webcitation.org/5Rf3A48i4
  66. http://www.webcitation.org/5RfLticGc
  67. http://www.webcitation.org/5RhC3MCKm
  68. a b c d Joan Feng (19 de setembro de 2007). «Typhoon slams China's eastern coast». Vancouver Sun. Agence France-Press. p. A13 
  69. «Typhoon Fitow hits central Japan». BBC News. 7 de setembro de 2007. Consultado em 13 de outubro de 2007 
  70. http://www.webcitation.org/5RemhDQnW
  71. http://www.webcitation.org/5Rg8d8IOC
  72. http://www.webcitation.org/5Rg8MV1L7
  73. http://www.webcitation.org/5RjRT64U4
  74. http://www.webcitation.org/5RmNHITAt
  75. http://www.webcitation.org/5RmeUUSrW
  76. http://www.webcitation.org/5Rs2go3sQ
  77. http://www.webcitation.org/5RsyICRTz
  78. http://news.bbc.co.uk/sport1/hi/football/women/7002403.stm
  79. a b http://www.usatoday.com/weather/storms/2007-10-02-typhoon-china_N.htm?csp=34
  80. ftp://ftp.met.fsu.edu/pub/weather/tropical/GuamStuff/2007092015-WTPN.PGTW
  81. ftp://ftp.met.fsu.edu/pub/weather/tropical/GuamStuff/2007092115-WTPN.PGTW
  82. http://www.webcitation.org/5S3qa7aQr
  83. ftp://ftp.met.fsu.edu/pub/weather/tropical/GuamStuff/2007092303-WTPN.PGTW
  84. http://www.webcitation.org/5S4UaQjO1
  85. http://www.webcitation.org/5S7hhRaOo
  86. a b http://www.philstar.com/index.php?Headlines&p=49&type=2&sec=24&aid=2007093094
  87. a b http://www.gmanews.tv/story/62573/Hanna-leaves-9-dead
  88. <http://www.dw-world.de/dw/function/0,,12215_cid_2807674,00.html?maca=en-rss-en-all-1573-rdf
  89. <http://www.nytimes.com/reuters/world/international-vietnam-floods.html?ref=world>
  90. «After Pounding Taiwan, Typhoon Krosa Approaches Coast of China». Voice of America News. 6 de outubro de 2007. Consultado em 6 de outubro de 2007 
  91. http://www.bbc.co.uk/portuguese/reporterbbc/story/2007/10/071008_furacaochinamw.shtml
  92. http://manati.orbit.nesdis.noaa.gov/hires_image_arch21/QS_QF2007278/zooms/WMBds279.png
  93. https://metocph.nmci.navy.mil/jtwc/best_tracks/2007/2007s-bwp/bwp012007.txt
  94. ftp://ftp.met.fsu.edu/pub/weather/tropical/GuamStuff/2007101903-WTPN.PGTW
  95. http://www.webcitation.org/5ShXB0dMR
  96. http://www.webcitation.org/5SijywSQR
  97. http://www.webcitation.org/5SrUUPt8d
  98. http://www.webcitation.org/5SrmYij3V
  99. ftp://ftp.met.fsu.edu/pub/weather/tropical/GuamStuff/2007102603-WTPN.PGTW
  100. ftp://ftp.met.fsu.edu/pub/weather/tropical/GuamStuff/2007102615-WTPN.PGTW
  101. http://www.webcitation.org/5SsCpomiS
  102. http://www.webcitation.org/5SsqfOC9b
  103. ftp://ftp.met.fsu.edu/pub/weather/tropical/GuamStuff/2007102621-WTPN.PGTW
  104. http://www.webcitation.org/5StRY4oC0
  105. ftp://ftp.met.fsu.edu/pub/weather/tropical/GuamStuff/2007102703-WTPN.PGTW
  106. http://www.webcitation.org/5SuGeYDTC
  107. http://www.webcitation.org/5T5FZbU1I
  108. ftp://ftp.met.fsu.edu/pub/weather/tropical/GuamStuff/2007110309-WTPN.PGTW
  109. http://www.webcitation.org/5T4mbRaQY
  110. http://www.webcitation.org/5T8sqnrpz
  111. ftp://ftp.met.fsu.edu/pub/weather/tropical/GuamStuff/2007110703-WDPN.PGTW
  112. 'Lando' floods, landslides kill 9, injure 5 - NDCC GMANews.tv
  113. Close to 200,000 evacuated in Bicol as ‘Mina’ nears--NDCC Philippine Daily Inquirer
  114. ‘Mina’ maintains strength, ‘almost stationary’--PAGASA
  115. http://www.ncdc.noaa.gov/oa/climate/research/2007/2007-nw-pacific-trop-cyclones.html
  116. http://www.smg.gov.mo/ccaa/typhoon/e_tcname_y2k.htm
  117. «Typhoon Committee Operational Manual Meteorological Component» (PDF). World Meteorological Organization. 36 páginas. Consultado em 16 de setembro de 2007 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]




Ciclones tropicais da Temporada de tufões no Pacífico de 2007
Escala de Furacões de Saffir-Simpson
DT TS TT 1 2 3 4 5



*PAGASA
#JTWC
SN - Sem nome