Terreiro do Oloroke

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde novembro de 2015). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Ile Axé Oloroke
Terreiro do Oloroke
Religião Candomblé
Geografia
País  Brasil
Local Salvador

Ile Axé Oloroke ou Terreiro do Oloroke da nação Ekiti-Efon é uma casa de Candomblé dedicada ao culto de Orixá das árvores, como Orixá Oke, Orixá Oko, Orixá Iroko, Apaoka e outros, situada à Rua Antonio Costa (antiga travessa de Oloke) nº 12, no Engenho Velho de Brotas, Salvador, Bahia.[1]

Foi fundada por volta de 1860 por Maria Bernarda da Paixão (Adebolu), também conhecida por Maria Violão e Maria de Oloroke e seu marido, José Firmino dos Santos mais conhecido como Tio Firmo (Oxum Tadê) ou Baba Erufá, ambos eram ex-escravos.

Sacerdotes desta casa[editar | editar código-fonte]

  • Mãe Maria Violão - 1936 e Tio Firmo - 1905
  • Mãe Milu
  • Paulo de Sango (filho de Mãe Milu)-Que fundou uma casa situada em Valéria, no ano de 1926.Situada na Rua Matriz, em Valéria.Estando na liderança de Pai Joberval de Oxalá.
  • Matilde de Jagun (Baba Oluwa) - 1970
  • Cristóvão do Pantanal (Ogun Anauegi) - 1985
  • Celina de Iemonjá (esposa de Cristóvão)
  • Crispina de Ogun
  • Waldomiro de Xangô
  • Ya Ada de Omolu Sacerdotisa da nação em São Paulo (Ile Oluaye Omode Okorin Efan)ase fundado desde 1967.
  • Baba Rosivaldo de Osumare Sacerdote da nação no Rio de Janeiro(ase de Baba Alvinho de Omolu - in memorian)
  • Paulo do Efon - Ase Oloroke de Bauru
  • Mae Kita de Oyá-Rio de Janeiro
  • Pai Wanderlei de Oxalá-Rio de Janeiro-Magé(Ilê Asé Ojú Igbin)

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

Ícone de esboço Este artigo sobre candomblé é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.