Thick as a Brick

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Thick as a Brick
Álbum de estúdio de Jethro Tull
Lançamento 3 de março de 1972
Gravação dezembro de 1971
Gênero(s) Rock progressivo
Duração 43:50
Gravadora(s) Reino Unido Island Records
Estados Unidos Reprise Records
Produção Ian Anderson
Cronologia de Jethro Tull
Aqualung
(1971)
Living in the Past
(1972)
Críticas profissionais
Avaliações da crítica
Fonte Avaliação
Allmusic [1] 4.5 de 5 estrelas.
Rolling Stone [2] Sem avaliação

Thick as a Brick é o quinto álbum de estúdio da banda britânica Jethro Tull.[1] Sua letra é baseada em um poema escrito por um garoto fictício, "Gerald Bostock", ou "Little Milton". O álbum em LP transcorre ininterruptamente em ambos os lados, sendo de fato uma só canção.

O vocalista e compositor Ian Anderson ficou surpreso com a reação da crítica ao álbum anterior Aqualung como sendo um álbum conceitual, um rótulo que ele rejeitou firmemente. Com Thick as a Brick a banda se preparou para criar uma obra que se integrava deliberadamente em torno de um conceito: um poema escrito por um precoce garoto inglês que fala sobre os desafios de envelhecer. Na época (e ainda hoje) muitos acreditaram que Gerald Bostock era uma pessoa real, e que o garoto fictício tenha sido o verdadeiro compositor das músicas, tendo sido considerado um gênio precoce. No entanto todo o álbum foi escrito pelo compositor Ian Anderson Por trás disso, o álbum pretendia ser um resumo de todos os outros pretensos "álbuns conceituais". A fórmula foi bem-sucedida, e Thick as a Brick alcançou o primeiro lugar entre os mais vendidos nos Estados Unidos.

A capa original do LP era uma paródia dos tabloides locais, trazendo notícias, contos, propagandas, etc. O falso jornal, com 12 páginas, teve de ser reduzido ou mesmo completamente suprimido quando do lançamento original na América Latina e Ásia devido aos custos de impressão. O lançamento em CD também comprometeu a arte da capa, reduzida para suportar o formato.

O álbum teve uma sequência em 2012, Thick as a Brick 2, que aparece sob o nome único de Ian Anderson. Este álbum oferece várias visões possíveis do futuro da criança-prodígio Gerald Bostock. Esse também aparece em Homo Erraticus, o álbum solo seguinte de Anderson, lançado em 2014.

Faixas[editar | editar código-fonte]

  1. "Thick as a Brick" (parte um) (Ian Anderson/Gerald Bostock) – 22:45
  2. "Thick as a Brick" (parte dois) (Ian Anderson/Gerald Bostock) – 21:05
A edição de 25° Aniversário trouxe as seguintes faixas bônus
  1. "Thick as a Brick" (ao vivo no Madison Square Garden, 1978) – 11:50
  2. "Entrevista com Ian Anderson, Martin Barre e Jeffrey Hammond-Hammond" – 16:30

Músicos [3][editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b "Thick as a Brick". Allmusic
  2. "Thick as a Brick". Rolling Stone
  3. (1972). "Anotações de Thick as a Brick". Em Thick as a Brick [Capa do disco]. Chrysalis.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]