Thule

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Ultima Thule redireciona para este artigo. Para a banda estoniana, veja Ultima Thule (banda). Para outros significados, veja Thule (desambiguação).
A ilha Thule como Tile na Carta marina de Olaus Magnus, com um "monstro, avistado em 1537", uma baleia e uma orca ao lado.

Thule (também Thula, Thyle, Thile, Thila, Tile, Tila, Tilla, Tyle, ou Tylen—Θούλη em grego) é, nas fontes clássicas, um lugar, geralmente uma ilha. Descrições e mapas de autores europeus da Antiguidade situam a ilha no extremo norte, muitas vezes na Europa Setentrional, sendo possivelmente as ilhas Órcades ou as ilhas Shetland, ou a Escandinávia, ou, nos idos da Idade Média e Renascença, a noroeste, frequentemente Islândia ou Groenlândia. Outra localização sugerida seria a Saaremaa, no Mar Báltico.[1][2] Na geografia medieval, Ultima Thule pode também denotar qualquer lugar distante localizado além das "bordas do mundo conhecido". Algumas pessoas fazem uso do Ultima Thule como o nome latino da Groenlândia,[3] enquanto Thule é usado para a Islândia.

Com respeito à pronunciação, a autora britânica Joanna Kavenna escreve que o nome vem sendo pronunciado mais frequentemente como Thoolay ao invés de Thool: "Os poetas rimam Thule (Thoolay) com truly (sinceramente, em inglês) e unruly (desobediente), mas parece que nunca com drool (bobagem)."[4]

Referências

  1. «International Herald Tribune». 11 de Outubro de 2005. Consultado em 4 de Dezembro de 2007 
  2. Lennart Meri (1976). Hõbevalge (Silverwhite). Tallinn, Estónia: Eesti Raamat 
  3. «ULTIMA THULE ou Dieu a de l'humour, par Dimitri Michalopoulos». ceshe.fr (em francês). Consultado em 12 de fevereiro de 2017 
  4. Joanna Kavenna (2005). The Ice Museum: In Search of the Lost Land of Thule. Nova Iorque: Viking Penguin. ISBN 0-670-03473-8 

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre mitologia grega é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.