Tony Tcheka

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
António Soares Lopes Júnior
Pseudónimo(s) Tony Tcheka
Nascimento 21 de dezembro de 1951 (69 anos)
Bissau
Nacionalidade guineense
Ocupação poeta e jornalista
Principais trabalhos Noites de Insónia na Terra Adormecida

António Soares Lopes Júnior (Bissau, Guiné-Bissau, 21 de dezembro de 1951) é um jornalista e poeta guineense.[1]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Como jornalista foi director da Rádio Nacional da Guiné-Bissau (RDN), chefe da redacção e director do Jornal Nô Pintcha, tendo criado um suplemento cultural e literário com o nome "Bantabá".[1] Foi também correspondente e analista, tendo trabalhado com a BBC, Voz da América, Voz da Alemanha, Tanjug e, em Portugal, com a Agência Noticiosa Portuguesa (ANOP), com o jornal Público, com a RTP África e com a TSF.[1]

Tony Tcheka foi um dos fundadores da Associação de Escritores da Guiné-Bissau (AEGUI), tendo sido eleito vice-presidente da associação.[2] Colaborou na criação da União de Artistas e Escritores da Guiné-Bissau (UNAE) onde desempenhou o cargo de secretário executivo.[3] Ajudou a criar e presidiu à Associação Guineense de Jornalistas (AJGB) em Setembro de 1986.[4][3]

António Soares Lopes tem colaborado com diversas entidades reconhecidas internacionalmente como UNICEF, Swedish Save de Children, UNESCO, IRIN (ONU) e IPAD (Portugal) entre outras.

Obra[editar | editar código-fonte]

  • Noites de Insónia na Terra Adormecida (1987) publicado em 1996.[1]
  • Desesperança no Chão de Medo e Dor[1]
  • Guiné: Sabura Que Dói[1]
  • Os média na Guiné-Bissau[1]
  • Coordenação das antologias
    • Mantenhas para quem Luta[nota 1]
    • Antologia da Poesia Moderna Guineense
    • Eco do Pranto
    • (no prelo)

Os seus textos foram publicados em diversas antologias como:

  • Anthologie Littéraire de l´Afrique de l´Ouest (França)[3]
  • No Ritmo dos Tantãs (Brasil)
  • Na Liberdade (Portugal)
  • Rumos dos Ventos (Portugal)
  • Anna (Alemanha)
  • Poesia da Guiné–Bissau (Grã-Bretanha)

Prémios e honrarias[editar | editar código-fonte]

Notas e referências

Notas

  1. Mantenhas para quem Luta foi publicado pelo Conselho Nacional de Cultura e é composto por poesia escrita por catorze jovens guineenses a quem Mário Pinto de Andrade chamou "Meninos da Hora de Pindjiguiti"

Referências

  1. a b c d e f g h «Figura da Semana: Guineense Tony Tcheka distinguido com o Prémio da Lusofonia». Jornal O Democrata GB. 10 de setembro de 2017. Consultado em 16 de junho de 2018. Cópia arquivada em 12 de setembro de 2017 
  2. «Criação da Associação de Escritores da Guiné-Bissau – AEGUI». GBissau.com. 16 de outubro de 2013. Consultado em 15 de junho de 2018. Cópia arquivada em 15 de junho de 2018 
  3. a b c d e f «Correntes d'Escritas» (PDF). Câmara Municipal de Varzim. Fevereiro de 2017. Consultado em 16 de junho de 2018. Cópia arquivada (PDF) em 23 de agosto de 2017 
  4. «Guiné-Bissau: Criada Associação de Jornalistas» (PDF). Cadernos do Terceiro Mundo. Setembro de 1986. p. 78. Consultado em 17 de junho de 2018. Cópia arquivada (PDF) em 17 de junho de 2018 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Mário Matos e Lemos. Política Cultural Portuguesa em África - O Caso da Guiné-Bissau (1985-1998). Gráfica Europm, 1999