Torre de Lapela

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Torre de Lapela
Torre de Lapela (6).jpg
Torre de Lapela, Portugal.
Mapa de Portugal - Distritos plain.png
Construção D. Afonso Henriques (Século XII)
Estilo gótico
Conservação
Homologação
(IGESPAR)
MN
(DL Despacho de 16 de Junho de 1910)
Aberto ao público Sim
Site IGESPAR71196

A Torre de Lapela, localiza-se junto ao rio Minho, na freguesia de Lapela, concelho de Monção, distrito de Viana do Castelo, em Portugal.

História[editar | editar código-fonte]

É tudo o que resta do Castelo de Lapela, que estava situado a poucos quilómetros a jusante de Monção, castelo este que defendia o vau do Rio Minho.

O P. António Carvalho da Costa, Pinho Leal e José Augusto Vieira atribuem a sua fundação a Lourenço Gonçalvez de Abreu, um fidalgo muito principal, senhor do couto de Merufe, lugares de Sanfins, Lapela, Barbeita, Regalados e de outras terras do Alto Minho, pelo facto de este ter combatido na Batalha de Arcos de Valdevez ao lado de D. Afonso Henriques e de seu pai, Gonçalo Martins de Abreu, pensando-se que tenha sido encarregue por D. Afonso Henriques de erguer aquela fortificação, ficando a ser seu primeiro Alcaide-Mor.

A última campanha de obras conhecida data do reinado de D. Manuel, monarca que reforçou a estrutura e a entregou a Lopes Gomes de Abreu, senhor das fortificações do Alto Minho interior.

A partir daqui, a história deste castelo é a de uma progressiva destruição. Após a restauração da Independência portuguesa, em 1640, e até aos inícios do século XVIII, a reformulação da praça de Monção obrigou à integração de muita pedra. Junto ao rio, comunicando facilmente com a actual sede de concelho, nada mais fácil que desmantelar-se o velho castelo medieval de Lapela, em benefício de uma vizinha fortaleza moderna e apta a responder às exigências da guerra.

O restauro parcial da estrutura aconteceu em 1940, no contexto das comemorações nacionalistas do Estado Novo. A torre foi objecto de um restauro selectivo, de impacto cenográfico - como se comprova pela feitura de novas ameias - mas que descurou o estudo do local e da área envolvente.

Em 2016 foi reabilitada com a restauração da torre de menagem, a beneficiação do pavimento envolvente e a valorização dos canastros existentes. Abriu ao público em 27 de maio de 2016 como núcleo museológico da torre da Lapela.

Características[editar | editar código-fonte]

Em aparelho de pedra, apresenta planta quadrangular com cerca de 10 metros de lado e 35 metros de altura. As suas paredes têm três metros de espessura.

Tem uma única entrada na fachada Norte a cerca de 6 metros acima do solo encimada com o brasão das armas do Reino de Portugal.

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Torre de Lapela


Ícone de esboço Este artigo sobre Património de Portugal é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.