Três Macacos Sábios

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Kikazaru (o que tapa os ouvidos), iwazaru (o que tapa a boca) e mizaru (o que cobre os olhos).

Os Três Macacos Sábios (em japonês: 三猿, sanzaru/san’en ou 三匹の猿, sanbiki no saru) ilustram a porta do Estábulo Sagrado, um templo do século XVII localizado no Santuário Toshogu, na cidade de Nikkō, Japão. Sua origem é baseada em um provérbio japonês. Seus nomes são mizaru (o que cobre os olhos), kikazaru (o que tapa os ouvidos) e iwazaru (o que tapa a boca), que é traduzido como não ouça o mal, não fale o mal e não veja o mal. A palavra saru, em japonês, significa macaco, e tem o mesmo som da terminação verbal zaru, que está ligado à negação.[1]

Existem vários significados atribuídos aos macacos e ao provérbio que incluem associações com estar de boa mente, fala e ação. No mundo ocidental a frase é muitas vezes usada para se referir àqueles que lidam com impropriedade por fazer vista grossa.[2]

Fora do Japão nomes dos macacos às vezes são dados como Mizaru,[3] Mikazaru[4] e Mazaru,[5] como os dois últimos nomes foram corrompidos dos originais japoneses.[6] [7]

Origem[editar | editar código-fonte]

O folclore japonês diz que a imagem dos macacos foi trazida por um monge budista chinês, no século XVIII. Apesar disso, não há comprovação dessa suposição.

Pequenas estátuas dos macacos sábios de Nikko.

Provérbio[editar | editar código-fonte]

Mizaru Kikazaru Iwazaru - que literalmente significa: miru=olhar, kiku=ouvir, iu=falar e zaru=negar. É uma forma de lembrar que, se os homens não olhassem, não ouvissem e não falassem o mal alheio, teríamos comunidades pacíficas com paz e harmonia.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Titelman, Gregory Y.. Random House Dictionary of America's Popular Proverbs and Sayings. second ed. New York: Random House, 2000. ISBN 0-375-70584-8
  • Archer Taylor, “Audi, Vidi, Tace” and the three monkeys
  • A. W. Smith, Folklore, Vol. 104, No. ½ pp. 144–150 "On the Ambiguity of the Three Wise Monkeys"

Referências

  1. Leonardo Fraga Teixeira. A história dos três macacos sábios Tem preguiça não. Visitado em 20 de julho de 2012.
  2. Pornpimol Kanchanalak (21 April 2011). Searching for the fourth monkey in a corrupted world The Nation. Visitado em 25 July 2012.
  3. Oldest reference of the right monkeys' names in English. Source:
  4. Oldest references (1926–1984) for Mikazaru in Google Books
  5. Oldest reference of Mazaru in Google Books. However, Kikazaru appears right. Source:
  6. Worth, Fred L.. The Trivia Encyclopedia. [S.l.]: Brooke House, 1974. p. 262. ISBN 0-912588-12-8
  7. Shipley, Joseph Twadell. The Origins of English Words: A Discursive Dictionary of Indo-European Roots. [S.l.]: Johns Hopkins University Press, 2001. p. 249. ISBN 0-8018-6784-3

Ligações externa[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Três Macacos Sábios
Ícone de esboço Este artigo sobre o Japão é um esboço relacionado ao Projeto Ásia. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.