Transiting Exoplanet Survey Satellite

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Transiting Exoplanet Survey Satellite
Conceito artístico do telescópio espacial TESS
Descrição
Tipo Satélite Observatório espacial
Operador(es) Estados UnidosNASA
Duração da missão 2 anos
Missão
Contratante(s) SpaceX
Data de lançamento 16 de abril de 2018, as 22:51 UTC[1]
Veículo de lançamento Pegasus XL
Local de lançamento Estação da Força Aérea de Cabo Canaveral
Destino órbita elíptica
Entre 17 e 59 raios terrestres em altitude
Data de inserção orbital 16 de abril de 2018
Planet - The Noun Project.svg Portal Astronomia

Transiting Exoplanet Survey Satellite (TESS) é um projeto de telescópio espacial liderado pelo Instituto de Tecnologia de Massachusetts para o programa de pequena exploração da NASA. A TESS, juntamente com quatro outras missões,[2] foi escolhido para desenvolvimento em 5 de abril de 2013 como uma missão de astrofísica no programa Explorer. A TESS foi finalmente lançada em um foguete da SpaceX, o Falcon 9, da base de lançamento SLC-40 na Estação da Força Aérea de Cabo Canaveral em 18 de abril de 2018, às 18h32, horário da Flórida.

Em 2013, a equipe da NASA declarou que telescópio irá realizar um programa de dois anos de pesquisa ao longo de todo o céu para explorar exoplanetas em trânsito ao redor de estrelas próximas. Foi também declarado, na época, que o telescópio deveria ser lançado em 2017. Durante sua missão, a TESS pesquisará 200 mil estrelas, incluindo as mais brilhantes em nossos sistemas locais.[3] O projeto TESS tem como objetivo identificar pelo menos 50 exoplanetas rochosos - do tamanho da Terra ou maiores - próximos o suficiente para que suas atmosferas sejam analisadas pelo muito maior Telescópio Espacial, James Webb lançado a 25 de dezembro de 2021.

História[editar | editar código-fonte]

O projeto TESS tem uma longa história, começando como uma pequena missão, de financiamento privado, em 2006. Tudo começou com o apoio financeiro de empresas privadas, incluindo a Google, a Fundação Kavli e os doadores do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT). Isso tudo mudou em 2008, quando o MIT propôs ao TESS, como uma missão astrofísica oficial da NASA, reestruturá-lo como um tipo de Missão SMEX. Depois do TESS não ter sido selecionado neste processo competitivo pelos recursos da NASA, o TESS foi proposto novamente em 2010 como um tipo de Missão Explorer da NASA.

Em 2013, o TESS foi bem sucedido no processo; e a NASA começou o desenvolvimento do projeto. A Fundação Kavli e o Instituto de Tecnologia de Astrofísica do MIT mantiveram-se como parceiros originais na atual missão de ir em busca de novos mundos[4].

A imagem da "primeira luz" (apelido da primeira imagem útil do telescópio), tirada em 7 de agosto de 2018 com as quatro câmeras do telescópio, mostra um campo de estrelas e duas das galáxias satélites da Via Láctea, as Grandes e Pequenas Nuvens de Magalhães[5]. O TESS localizou o novo planeta, chamado Pi Men c, a 60 anos-luz da Terra, segundo dados coletados de 25 de julho a 22 de agosto[6]. O TESS encontrou três novos mundos que estão entre os menores exoplanetas mais próximos conhecidos até 2019. Os planetas do sistema planetário TOI-270 circundam uma estrela a 73 anos-luz de distância e incorporam uma pequena super-Terra e dois sub-Netuno.[7] A missão TESS capturou um evento raro que ocorre quando um buraco negro "rasga" uma estrela enquanto a consome, chamado de evento de perturbação de marés. Esse tipo de evento astronômico acontece uma vez a cada 10.000 - 100.000 anos em uma galáxia do tamanho da Via Láctea.[8]

Em 18 de julho de 2019, após o primeiro ano de operação, a parte sul da pesquisa foi concluída e a pesquisa do norte foi iniciada. A pesquisa do norte foi concluída em 4 de julho de 2020.

O TESS, em 2022, anunciou 97 candidatos a estrelas quádruplas e encontrou mais de 5.000 candidatos a exoplanetas; e 197 exoplanetas confirmados desde que sua missão começou.

Até 1 de maio de 2022, um total geral de 5108 exoplanetas em 3779 sistemas, com 826 sistemas tendo mais de um planeta, foram encontrados usando todos os métodos de detecção.[9]

Objetivos[editar | editar código-fonte]

O principal objetivo da missão do TESS é pesquisar mais de 200.000 estrelas, as mais brilhantes perto da Terra, procurando exoplanetas em trânsito durante um período de dois anos. O TESS examinará sistematicamente 85% do céu visto da Terra, concentrando-se nas estrelas visíveis no hemisfério norte durante um ano e no hemisfério sul no ano seguinte. O projeto TESS utilizará uma série de câmeras de campo amplo para realizar uma pesquisa em todo o céu. Com o TESS, será possível estudar a massa, tamanho, densidade e órbita de um grande grupo de pequenos planetas, incluindo uma amostra de mundos rochosos em zonas habitáveis de suas estrelas hospedeiras. O TESS fornecerá alvos principais para uma caracterização adicional pelo Telescópio Espacial James Webb, bem como outros grandes telescópios terrestres e espaciais do futuro[10][11].

Referências

  1. Wall, Mike. «NASA's TESS Satellite Launches to Seek Out New Alien Worlds». 18 de abril de 2018. Consultado em 23 de maio de 2022 
  2. Anonymous (20 de dezembro de 2017). «NASA Selects Science Investigations For Concept Studies». NASA (em inglês). Consultado em 23 de maio de 2022 
  3. Gifford, Sheyna E.; Magazine, Astrobiology; Astrobio.net. «Next breakthroughs in exoplanet discovery». phys.org (em inglês). Consultado em 23 de maio de 2022 
  4. NASA | The Search for New Worlds is Here
  5. Grossman, Lisa (19 de setembro de 2018). «The TESS space telescope has spotted its first exoplanet». Science News (em inglês). Consultado em 23 de maio de 2022 
  6. Huang, Chelsea X.; Burt, Jennifer; Vanderburg, Andrew; Günther, Maximilian N.; Shporer, Avi; Dittmann, Jason A.; Winn, Joshua N.; Wittenmyer, Rob; Sha, Lizhou (16 de setembro de 2018). «TESS Discovery of a Transiting Super-Earth in the $\Pi$ Mensae System». arXiv:1809.05967 [astro-ph] 
  7. «NASA's TESS discovered three new planets nearby, including temperate 'sub-Neptune'». Tech Explorist (em inglês). 30 de julho de 2019. Consultado em 31 de julho de 2019 
  8. «Astronomers spotted first star-destroying black hole». Tech Explorist (em inglês). 27 de setembro de 2019. Consultado em 27 de setembro de 2019 
  9. Gough, Evan; Today, Universe (26 de fevereiro de 2022). «NASA's TESS Finds Almost 100 Quadruple Star Systems». SciTechDaily (em inglês). Consultado em 3 de março de 2022 
  10. NASA’s incredible exoplanet-hunting telescope is about to launch TESS will give us a new view of our galactic neighborhood. publicado na National Geographic (2018)
  11. Administrator, NASA Content (9 de junho de 2016). «NASA Selects Explorer Investigations for Formulation». NASA (em inglês). Consultado em 23 de maio de 2022