Telescópio Espacial James Webb

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Current event marker
Este artigo ou seção contém informações sobre uma futura missão espacial.
As informações apresentadas no artigo podem não ser exatas e mudar até a realização da missão.
VASIMR spacecraft.jpg
James Webb Space Telescope
James Webb Space Telescope 2009 top.jpg
Concepção artística do telescópio
Operação Estados Unidos NASA / Agência Espacial Europeia / Agência Espacial Canadiana / STScI[1]
Contratantes principais Northrop Gruman, Ball Aerospace
Tipo de missão Telescópio
Data de lançamento Outubro de 2018[2]
Veículo de lançamento Ariane 5
Local de lançamento Kourou ELA-3
Duração da missão 5 anos, podendo se estender até 10 anos
Massa 6,500 kg
Dimensões 20,197 m × 14,162 m (66 26 pé × 46 46 pé) (escudo)
Energia 2,000 watts
Apogeu 1 500 000 km (930 000 mi)[3]
Perigeu 374 000 km (230 000 mi)[3]
Período orbital 6 meses
Website jwst.nasa.gov
sci.esa.int/jwst
asc-csa.gc.ca
stsci.edu/jwst
JWST decal.svg

James Webb Space Telescope ou JWST é um projeto de uma missão não tripulada norte-americana da Administração Nacional da Aeronáutica e do Espaço (NASA), com a finalidade de colocar no espaço um observatório para captar a radiação infravermelha. O telescópio deverá observar a formação das primeiras galaxias e estrelas, estudar a evolução das galáxias, ver a produção dos elementos pelas estrelas e ver os processos de formação das estrelas e dos planetas.

O telescópio foi inicialmente denominado de Next Generation Space Telescope ou NGST. O termo "Next Generation" refere-se ao fato que se pretende que ele venha a substituir o telescópio espacial Hubble, pois após o seu lançamento, novas tecnologias foram desenvolvidas, permitindo construir o novo telescópio sob uma nova concepção.

Posteriormente o telescópio foi renomeado em 2002, em honra a um antigo administrador da agência espacial americana, James Edwin Webb, que liderou o programa Apollo, além de uma série de outras importantes missões espaciais.

Este telescópio tem a intenção de substituir parcialmente as funções do telescópio espacial Hubble. Ele deverá ter um espelho primário muito maior, com um diâmetro de 2,5 vezes maior ou uma área de espelho seis vezes maior, permitindo captar muito mais luz. O telescópio também deverá ter um melhor equipamento para captar a radiação infravermelha. Ele também deverá operar bem mais distante da Terra, orbitando no halo que constitue o segundo ponto de Lagrange L2.

O telescópio levará cerca de três meses para atingir a sua órbita final. O Ponto de Lagrange L2 está além da órbita da Lua e como não poderá ser atingido pelo ônibus espacial, o telescópio não poderá sofrer manutenção, devendo ter uma pequena vida útil, quando comparado com o telescópio Hubble.

A construção do telescópio deverá contar com a participação da Agência Espacial Canadense, da Agência Espacial Européia e da NASA.

Existe a previsão de lançamento do telescópio em Outubro de 2018.[4]

Missão[editar | editar código-fonte]

A missão primária do JWST será a de examinar a radiação infravermelha resultante da grande explosão (Big Bang) e realizar observações sobre a infância do Universo.

Para realizar tais estudos com uma sensibilidade sem precedentes, todo o Observatório deverá ser mantido frio, e as grandes fontes de interferência de infravermelho como o Sol, a Terra e a Lua deverão ser bloqueados.

Para conseguir tal feito o JWST deverá levar consigo um grande escudo solar dobrável metalizado, que deverá se abrir no espaço e bloquear todas essas fontes de irradiação de infravermelho.

O telescópio vai realizar uma órbita seguindo um dos pontos de Lagrange, o Sol e a Terra vão ocupar a mesma posição relativa e isso vai facilitar as observações do telescópio.

Após o seu lançamento que é estimado para acontecer em outubro de 2018, haverá um período de ajustes de seis meses e após isso, se iniciará o período de observações que deverá durar no mínimo 5 anos, com a possibilidade de a missão vir a ser estendida.

Instrumentos[editar | editar código-fonte]

Os três principais módulos de instrumentos do telescópio são:

  • Integrated Science Instrument Module - (ISIM)
  • Optical Telescope Element - (OTE)
  • Space Support Module - (SSM)

O ISIM é um sistema todo distribuído que consiste em um módulo criogênico que é integrado com o OTE e com os software, circuitos de processadores e demais instrumentos eletrônicos, localizados na parte quente do SSM.

O ISIM fornece estrutura, ambiente e meio de transporte para os dados que forem coletados pelos três módulos científicos: NIRCam , NIRSpec e o MIRI. Além sensor de ajuste fino (Fine Guidance Sensor - FGS).

  • Near Infrared Camera (NIRCam) = Câmera de infravermelho
  • Mid Infrared Instrument (MIRI) = Instrumentos para o infravermelho
  • Near Infrared Spectrograph (NIRSpec) = Espectrógrafo de infravermelho

A Northrop Grumman Space Technology é a principal empreiteira responsável pelo desenvolvimento e pela integração do Observatório. Eles são os responsáveis pelo desenvolvimento e construção da nave espacial, que incluem ambos; o corpo principal e o escudo solar. A Ball Aerospace foi subcontratada para desenvolver e construir o Optical Telescope Element (OTE). A Goddard Space Flight Center é a responsável por fornecer o Integrated Science Instrument Module (ISIM).

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «NASA JWST FAQ "Who are the partners in the Webb project?"». NASA. Consultado em 18 November 2011  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  2. «JWST factsheet». ESA. 4 de setembro de 2013. Consultado em 7 de setembro de 2013 
  3. a b «JWST (James Webb Space Telescope)». ESA eoPortal. Consultado em 29 June 2015  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  4. Depois de Plutão, 6 projetos que devem revolucionar a forma como vemos o espaço

Ligações externas[editar | editar código-fonte]