Triângulo de Verão

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
O Triângulo de Verão mapeada em uma carta celeste

O Triângulo de Verão é um asterismo que só pode ser visto no hemisfério celestial norte. As vértices deste triângulo imaginário estão em Altair, Deneb, Vega, sendo cada um a estrela mais brilhante de sua própria constelação (Aquila, Cygnus e Lyra, respectivamente).

História[editar | editar código-fonte]

O nome "Triângulo de Verão" tornou-se comumente conhecido desde os anos 50, quando o escritor americano Hans Augusto Rey e o astrônomo britânico Patrick Moore começaram a utilizá-lo [1], mas já era encontrado em guias de constelação por volta de 1913[2]. No final da década de 1920, o astrônomo austríaco Oswald Thomas descreveu esta formação de estrelas como Arrecadamento Dreieck (do alemão, Grande Triângulo) e Sommerliches Dreieck (do alemão, Triângulo de Verão), em 1934. Este asterismo foi destacado pelo astrônomo austríaco Joseph Johann von Littrow, que o descreveu como o "notável triângulo" em texto de seu atlas (1866). Foi o astrônomo alemão Johann Elert Bode quem primeiro ligou as três estrelas em um mapa no seu livro, ainda em 1816, embora sem rotular a formação. Estas são as mesmas estrelas reconhecidos na lenda Chinesa "O Vaqueiro e a Tecelã", uma história antiga, com cerca de 2.600 anos, comemorada no Festival Qixi. Em meados do século 20, antes dos sistemas de navegação por inércia e outros equipamentos eletrônicos e mecânicos utilizados em aviões militares, a Força Aérea dos Estados Unidos utilizava a formação como navegador natural, apelidando-o "Navegador do Triângulo".[3]

Visibilidade[editar | editar código-fonte]

O Triângulo de Verão no contexto do céu noturno. Com cada estrela desaparecendo, até a última.

No Hemisfério norte, o Triângulo de Verão aparece praticamente completo em torno da meia-noite durante o verão. Também é visível no céu oriental no início da manhã, durante a primavera. No outono, à noite, o Triângulo é bem visível no céu ocidental, até dezembro. Já no Hemisfério sul, o asterismo aparece invertido, com Deneb abaixo Altair, e apenas em noites de inverno.

As estrelas do Triângulo de Verão[editar | editar código-fonte]

Nome Constelação Magnitude aparente Luminosidade

(× solar)
Tipo espectral Distância

(anos-luz)
Radius (raio solar)
Vega Lyra 0.03 52 A0 25 2.36 para 2.82
Deneb Cygnus 1.25 200,000 A2 3550 203 ± 17
Altair Aquila 0.77 10 A7 16.6 1.63 para 2.03

Veja também[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. Patrick Moore (20 October 1983). Patrick Moore's History of astronomy. [S.l.: s.n.] ISBN 978-0-356-08607-1  Verifique data em: |data= (ajuda)Verifique data em: |data= (ajuda)
  2. Alice Mary Matlock Griffiths (1913), The Stars and Their Stories: A Book for Young People.
  3. Lt. Col. William E. Hubert, USAF (Ret.) (December 1, 2006). «Chapter Eleven: "Triple Rated" Copilot, (Ugh)!». Pilot Here Or Pile It There: A Memoir. [S.l.: s.n.] ISBN 978-142595689-9  Verifique data em: |data= (ajuda)Verifique data em: |data= (ajuda)

Ligações externas[editar | editar código-fonte]