Raio solar

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Disambig grey.svg Nota: Se procura sobre as propriedades da luz do sol, veja Luz solar.
Conversão do raio solar nominal
1 R = Unidades
6.95700×108 metros
695,700 quilômetros
0.00465047 unidade astronômica
432,288 milhas
7.35355×10−8 anos-luz
2.25461×10−8 parsec
2.32061 segundos-luz

O raio solar é uma unidade de distância usada para expressar o tamanho das estrelas na astronomia em relação ao Sol. O raio solar é geralmente definido como o raio da camada na fotosfera do Sol onde a profundidade óptica é igual a 2/3:


Em astronomia, o raio solar é uma unidade de comprimento usada para expressar o tamanho das estrelas. Seu valor é de:

(Unidade astronômica).

695.700 quilômetros é aproximadamente 10 vezes o raio médio de Júpiter, cerca de 109 vezes o raio da Terra e 1/155 de uma unidade astronômica, a distância da Terra ao Sol. Varia ligeiramente de polo a equador devido à sua rotação, que induz um achatamento da ordem de 10 partes por milhão.[1]

Medidas[editar | editar código-fonte]

Evolução da luminosidade solar, raio e temperatura efetiva em relação ao Sol atual. Depois de Ribas (2009)[2]

A sonda espacial SOHO não tripulada foi usada para medir o raio do Sol cronometrando os trânsitos de Mercúrio pela superfície durante 2003 e 2006. O resultado foi um raio medido de 696.342 ± 65 quilômetros.[3]

Haberreiter, Schmutz & Kosovichev (2008)[4] determinaram o raio correspondente à fotosfera solar como sendo 695.660 ± 140 quilômetros. Este novo valor é consistente com as estimativas heliossísmicas; o mesmo estudo mostrou que estimativas anteriores usando métodos de ponto de inflexão foram superestimadas em aproximadamente 300 km.

Raio solar nominal[editar | editar código-fonte]

Em 2015, a União Astronômica Internacional aprovou a Resolução B3, que definiu um conjunto de constantes de conversão nominais para astronomia estelar e planetária. A resolução B3 definiu o raio solar nominal (símbolo ) como sendo exatamente igual a 695700 km.[5] O valor nominal, que é o valor arredondado, dentro da incerteza, dado por Haberreiter, Schmutz & Kosovichev (2008), foi adotado para ajudar os astrônomos a evitar confusão ao citar raios estelares em unidades do raio do Sol, mesmo quando observações futuras provavelmente irão refinar o raio fotosférico real do Sol (que atualmente[6] só é conhecido com uma precisão de ±100–200 km).

Exemplos[editar | editar código-fonte]

O raio solar como uma unidade são comuns ao descrever sondas espaciais se movendo perto do Sol. Duas sondas espaciais na década de 2010 incluem:

  • Solar Orbiter (tão perto quanto 45 R)
  • Parker Solar (tão perto quanto R)

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. NASA RHESSI oblateness measurements 2012
  2. Ribas, Ignasi (agosto de 2009). «The Sun and Stars as the Primary Energy Input in Planetary Atmospheres» (PDF). Proceedings of the International Astronomical Union. 5 (S264 [Solar and Stellar Variability: Impact on Earth and Planets]): 3–18. Bibcode:2010IAUS..264....3R. arXiv:0911.4872Acessível livremente. doi:10.1017/S1743921309992298 
  3. Emilio, Marcelo; Kuhn, Jeff R.; Bush, Rock I.; Scholl, Isabelle F. (2012), «Measuring the Solar Radius from Space during the 2003 and 2006 Mercury Transits», The Astrophysical Journal, 750 (2), Bibcode:2012ApJ...750..135E, arXiv:1203.4898Acessível livremente, doi:10.1088/0004-637X/750/2/135 
  4. Haberreiter, M; Schmutz, W; Kosovichev, A.G. (2008), «Solving the Discrepancy between the Seismic and Photospheric Solar Radius», Astrophysical Journal, 675 (1): L53–L56, Bibcode:2008ApJ...675L..53H, arXiv:0711.2392Acessível livremente, doi:10.1086/529492 
  5. Mamajek, E.E.; Prsa, A.; Torres, G.; et, al. (2015), IAU 2015 Resolution B3 on Recommended Nominal Conversion Constants for Selected Solar and Planetary Properties, Bibcode:2015arXiv151007674M, arXiv:1510.07674Acessível livremente 
  6. Meftah, M; Corbard, T; Hauchecorne, A.; Morand, F.; Ikhlef, R.; Chauvineau, B.; Renaud, C.; Sarkissian, A.; Damé, L. (2018), «Solar radius determined from PICARD/SODISM observationsand extremely weak wavelength dependence in the visibleand the near-infrared», Astronomy & Astrophysics, 616: A64, Bibcode:2018A&A...616A..64M, doi:10.1051/0004-6361/201732159Acessível livremente  Parâmetro desconhecido |doi-access= ignorado (ajuda)

Ligações externas[editar | editar código-fonte]