Usuário(a):DocElisa/Sons cardíacos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Frente do tórax, mostrando as relações de superfície com os ossos, pulmões (roxo), pleura (azul) e coração (contorno vermelho). Heart valves are labeled with "B", "T", "A", and "P".

Primeiro som cardíaco: causado pelas valvas atrioventriculares - Bicúspide/Mitral (B) e Tricúspide (T).

Segundo som cardíaco causado pelas valvas semilunares -- Aórtica (A) e Pulmonar (P).
Diagrama mostrando as relações do coração com a parede torácica anterior. Ant. Segmento anterior da valva tricúspide. A O. Aorta. A.P. Músculo papilar anterior. In. Innominate artery. L.C.C. artéria carótida comum esquerda. L.S. Artéria subclávia esquerda. L.V. Ventrículo esquerdo. P.A. Artéria pulmonar. R.A. Átrio direito. R.V. Ventrículo direito. V.S. Septo ventricular.

Os sons cardíacos, ou bulhas, são as manifestações acústicas (som) geradas pelo impacto do sangue em diversas estruturas cardíacas e nos grandes vasos. As vibrações são depois propagadas às paredes do torax e podem ser auscultadas através de um estetoscópio, permitindo a obtenção de um conjunto de informações importantes sobre a condição do coração.

Fisiologia[editar | editar código-fonte]

Ruídos Cardíacos normais[editar | editar código-fonte]

Os sons ou ruídos cardíacos, são manifestações acústicas (som) cuja origem tem sido um pouco controversa:

a primeira teoria existente acredita que são originados pelo encerramento das estruturas valvulares cardíacas. Assim, quando começa a contracção dos ventrículos e aumenta a pressão na sua cavidade, as válvulas auriculo-ventriculares fecham e ouvimos o 1º ruído que pensamos ser devido à coaptação dos folhetos e ao estiramento do aparelho sub-valvular (as cordas tendinosas). Quando acaba a ejecção ventricular e a pressão baixa na aorta e artéria pulmonar, as sigmóides fecham e originam o 2º ruído cardíaco.[1][2]

Hoje sabemos que não é bem assim e que outros factores estão na origem destes sons: 1 - o acelerar e desacelerar do sangue produz ruídos 2 - o estiramento das paredes dos ventrículos e do aparelhos sub-valvular também Em adultos saudáveis, existem geralmente dois sons do coração normais que ocorrem em sequência com cada batida do coração: - primeiro som cardíaco(S1) começa discretamente antes do encerramento das válvulas auriculo-ventriculares (ou atrio-ventriculares) na fase de contracção isovolumétrica ventricular. - segundo som cardíaco (S2), ocorre no fim da sístole cardíaca e é concomitante do encerramento das válvulas aórtica e pulmonar Tanto o S1 como o S2 têm dois componentes, originados pelos ruídos do lado esquerdo e do lado direito do coração, porém o intervalo de tempo é tão curto que o nosso ouvido não o detecta sendo registados no entanto no Fonocardiograma.[3]

O desdobramento de S1 pode tornar-se notório ao ouvido se houver um atraso das válvulas do lado direito em relação às do lado esquerdo como acontece em alguns casos de bloqueio do ramo direito do feixe de His, por exemplo.

Já o desdobramento S2 pode ser posto em evidência durante a inspiração profunda (que provoca um aumento do fluxo de sangue à aurícula direita e consequente atraso na ejecção ventricular direita) e não tem qualquer conotação patológica.

Os silêncios[editar | editar código-fonte]

Entre os sons cardíacos existem "silêncios":

- o pequeno silêncio entre o 1º e o 2º sons - o grande silêncio entre o 2º e o 1º sons

O 3º e o 4º sons[editar | editar código-fonte]

Muito frequentemente, mais dois sons podem estar presentes, S3 e S4 sobretudo na criança e adulto jovem, sendo fisiológicos neste caso. Porém no adulto não jovem estes sons são na maioria dos casos patológicos - terceiro som cardíaco(S3) patológico é devido a uma sobrecarga ventricular e aparece durante a fase de enchimento rápido ventricular. Quando é muito nítido chama-se "galope proto-diastólico" por ser um ruído a três tempos - quarto som cardíaco (S4) patológico tem a mesma origem mas aparece durante a fase de contracção das aurículas, logo já na fase terminal do enchimento ventricular. Do mesmo modo quando é muito nítido chama-se "galope tele-diastólico"

Ruídos Patológicos[editar | editar código-fonte]

Os Sopros[editar | editar código-fonte]

Um fluxo turbulento pode ocorrer em várias situações: 1- anomalia valvular como estenose ou insuficiência também chamada regurgitação. 2- as válvulas são normais mas há um aumento do fluxo, por exemplo durante o desporto em que há aumento do débito cardíaco ou em certas situações de anemia por hemodiluição em que existe um aumento do volume de sangue como acontece tão frequentemente durante a gravidez, ou na retenção de água da insuficiência renal. Na infância, a maior parte dos sopros devem-se a um aumento de velocidade do sangue e são chamados "fisiológicos".

Atrito Pericárdico[editar | editar código-fonte]

o atrito pericárdico é provocado como, o nome sugere, pelo atrito entre os dois folhetos do pericárdio no caso de pericardite (o atrito desaparece quando o volume de líquido dentro do saco pericárdico aumenta)

Estalidos e cliques[editar | editar código-fonte]

estalidos e cliques, são ruídos adventícios originados quando as válvulas abrem: assim, temos os estalidos de ejecção, sistólicos, pela abertura das sigmóides aórticas ou pulmonares e os cliques diastólicos originadas pela abertura das válvulas mitral e tricúspide.



Wiki letter w.svg Este artigo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o. Editor: considere marcar com um esboço mais específico.


Notas e referências

  1. Guyton & Hall - Tratado de Fisiologia Médica - 12ª Ed. 2011
  2. "The Cardiovascular System." Bates, B. A Guide to Physical Examination and History Taking. 9h Ed. 2005.
  3. Clinical phonocardiography and external pulse recording. Author, Morton E. Tavel. Edition, 4. Publisher, Year Book Medical Publishers, 1985

Veja também[editar | editar código-fonte]