Vírus de Coxsackie

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Como ler uma caixa taxonómicaCoxsackievirus
Coxsackie B4 virus.JPG

Classificação científica
Reino: Virus
Família: Picornaviridae
Género: Enterovirus
Espécie: *Coxsackievirus Grupo A
  • Coxsackievirus Grupo B

Vírus de Coxsackie ou Coxsackievirus é parte da família dos enterovirus (que inclui também ecoviroses, poliomielite, e vírus da hepatite A). Podem infectar pele, unhas, olhos, vias respiratórias, coração, garganta, bexiga, pâncreas, fígado, cérebro ou meninges. Infectam principalmente recém-nascidos.

Tipos[editar | editar código-fonte]

São diferenciados por seus antígenos e patogenia em[1]:

Transmissão[editar | editar código-fonte]

Podem espalhar de pessoa para pessoa, geralmente por causa de mãos mal lavadas e nas superfícies contaminadas por fezes, onde podem viver por diversos dias. [2]

Os recém-nascidos, que podem ser infectados por suas mães durante ou logo após o nascimento, tem maior risco de desenvolver infecção grave, incluindo miocardite, hepatite e meningoencefalites (uma inflamação do cérebro e das meninges).

Suspeita-se que possa danificar o pâncreas a ponto de causar diabetes mellitus insulinodependente, mas é possível que diabéticos tipo 1 seja apenas fator de risco para pancreatite por Coxsackie.[3]

Patologias[editar | editar código-fonte]

Exantema

Afeta principalmente crianças e aproximadamente metade das crianças com infecção do vírus do coxsackie não têm nenhum sintoma. Cerca de 90% das infecções por coxsackievirus causam febre e mal estar inespecíficos. Seus sintomas mais comuns são[4]:

  • Febres repentina de 38,3 a 40oC por 2 a 4 dias
  • Dor de cabeça
  • Dores musculares
  • Dor de garganta
  • Desconforto abdominal
  • Náuseas.
Síndrome mão-pé-boca

Síndrome mão-pé-boca começa com febre alta por um ou dois dias e com gânglios inchados. por bolhas vermelhas dolorosas com centro branco na garganta, na língua, na gengiva, nas palmas das mãos e nas solas dos pés. Em alguns casos podem afetar nádegas e genitais. Geralmente afeta crianças. As bolhas ulceram, formando aftas que liberam vírus ao contato ou ao espirrar e tossir. Geralmente desaparece sozinha em alguns dias. É importante durante esse tempo beber água, suco e sopa mesmo com dor de garganta para manter-se bem hidratado OU tomar soro glicosado por via intravenosa.[5]

Herpangina

Herpangina é uma infecção do vírus do coxsackie na garganta que causa lesões no palato mole, úvula, amígdalas e faringe.

Pleurodinia

Pleurodinia (chamado também doença de Bornholm) é uma infecção relacionada do vírus do coxsackie que causa espasmos dolorosos nos músculos da caixa torácica e do abdômen superior.

Conjuntivite

A conjuntivite hemorrágica é uma infecção que afeta á esclera , isto é , o branco dos olhos. Raramente ocorre baixa da acuidade visual ,decorrente de edema retiniano secundário à inflamação da coróide .

Outras

Os vírus de Coxsackie podem também causar[6]:

  • Meningites, uma infecção das meninges (as três membranas que envolvem o cérebro e a medula espinhal)
  • Encefalites, uma infecção do cérebro ou cerebelo
  • Miocardites, uma infecção do músculo do coração
  • Pericardite, uma infecção do revestimento interno do coração
  • Diabetes mellitus, ao menos em experimentos com animais com o tipo B4. Em humanos há correlação, mas falta entender a fisiopatologia.

Epidemiologia[editar | editar código-fonte]

O Coxsackievirus encontrados no mundo inteiro. Em países tropicais, as infecções ocorrem durante todo o ano. Em climas subtropicais, os surtos do vírus do coxsackie são mais frequentes no verão e raramente ocorrem no inverno. Causam 25% das infecções de recém-nascidos nos EUA. Nos EUA, estima-se que 1,6 a 2,4 milhões são infectados com sintomas pelo Coxsackievirus por ano. É duas vezes mais comum em meninos que meninas por causas desconhecidas. É mais comum em bebês, mas também afetam adultos. O tipo B1 é o mais comum diagnosticado e o B4 é o mais mortal. [7]

Etimologia[editar | editar código-fonte]

Recebeu este nome por ter sido diagnosticado como patógeno humano pela no Vilage Coxsackie, Condado de Greene, NY.

Referências