Vilcabamba

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para outras cidades com este nome, veja Vilcabamba (desambiguação).
Ruína em Vilcabamba.

Vilcabamba (em língua castelhana), Willkapampa (em língua quíchua e língua aimará) ou Espíritu Pampa (tradução castelhana-quíchua para o termo willkapampa, que significa "planície sagrada") foi uma cidade inca fundada por Manco Capac II em 1539 no rio Chontabamba, um afluente do rio Urubamba.[1] Foi o último refúgio do Império Inca, sucumbindo às forças espanholas e sendo destruída em 1572. Também é conhecida como Vilcabamba a Velha ou Velha Vilcabamba, para ser distinguida da cidade colonial espanhola de Vilcabamba a Nova.[2]

História[editar | editar código-fonte]

Manco Capac II se retirou de Ollantaytambo para Vitcos e, finalmente, para Vilcabamba.

O Inca trouxe, consigo, todos os de sangue real que ele pôde encontrar, tanto homens quanto mulheres, e se retirou para as florestas selvagens dos Andes para um lugar chamado Vilcabamba onde ele viveu em exílio e solidão como um príncipe sem posses e sem herança, até que um dia foi assassinado por um espanhol que ele havia abrigado e protegido contra inimigos que queriam matá-lo.[3]

Titu Cusi falou, de seu pai Manco Capac IIː

Ele chegou, descansou, se recuperou por alguns dias e construiu suas casas e cabanas para se fixar ali, pois considerou o local apropriado para sediar uma capital.[4]

O Estado Neoinca permaneceu no local por 33 anos, até ser destruído pelos espanhóis em 1572.

Posteriormente, os espanhóis construíram uma cidade mineira a oeste da antiga Vilcabamba, no vale do rio Vilcabamba (um afluente do rio Urubamba), e a chamaram de "São Francisco da Vitória de Vilcabamba".

Após sua destruição, a antiga Vilcabamba foi esquecida por três séculos, somente vindo a ser redescoberta por três cusquenhos, Manuel Ugarte, Manuel López Torres e Juan Cancio Saavedra, em 1892. Em 1911, o explorador estadunidense Hiram Bingham despertou a atenção mundial para os restos da cidade com seu livro "A cidade perdida dos incas", embora ele acreditasse que a mítica Vilcabamba, o último refúgio dos incas, fosse Machu Picchu.

Na década de 1960, as pesquisas de Antonio Santander Casselli e Gene Savoy finalmente associaram a localidade de Espíritu Pampa com a mítica Vilcabamba.

Citações[editar | editar código-fonte]

Esta cidade peruana foi utilizada nos jogos eletrônicos The Amazon Trail, Tomb Raider e Tomb Raider: Anniversary logo no primeiro nível, Peru. Esses jogos mostram-nos o ambiente dessa cidade inca, Vilcabamba.

Também é citada em livros comoː

Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Vilcabamba

Referências

  1. Lee, Vincent H. L. (2000). Forgotten Vilcabamba: final stronghold of the Incas. [Wilson, Wyo.]: Sixpac Manco Publications
  2. Thomson, Hugh. (2001). The White Rock. An Exploration of the Inca Heartland. London: Orion Books Ltd. p.310.
  3. Garcilaso De La Vega El Inca, 2006, Royal Commentaries of the Incas and General History of Peru, Indianapolis: Hackett Publishing Company, Inc., p.131.
  4. Titu Cusi Yupanqui, 2005, An Inca Account of the Conquest of Peru, Boulder: University Press of Colorado, p. 122.
Ícone de esboço Este artigo sobre História ou um(a) historiador(a) é um esboço relacionado ao Projeto História. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.