Vitor Negrete

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Vitor Negrete
Nascimento 13 de novembro de 1967
Campinas
Morte 19 de maio de 2006 (38 anos)
Monte Everest
Cidadania Brasil
Ocupação explorador

Vítor Negrete (Campinas, 13 de dezembro de 1967 - Monte Everest, 19 de maio de 2006) foi um montanhista brasileiro.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Vitor foi o brasileiro que escalou o Monte Aconcágua (6959 m) pelo maior número de vias. Em 2 de junho de 2005 chegou ao cume do Monte Everest (8850 m), no Himalaia pela face norte e com auxílio de oxigênio suplementar. Com Rodrigo Raineri, formou a primeira dupla brasileira a escalar a Face Sul do Aconcágua, a mais difícil e perigosa, sendo considerada uma das escaladas mais comprometedoras do mundo; e o primeiro brasileiro a escalar o Aconcágua, pela rota normal, em pleno inverno, na companhia de Rodrigo Raineri.

Em 18 de Maio de 2006 escala novamente o Everest, desta vez sem auxílio de oxigênio, fato inédito para um brasileiro. Entretanto na descida Vitor não resistiu ao desgaste físico, hipotermia e a falta de oxigênio extrema, vindo a falecer aos 38 anos[1] vítima de edema pulmonar ou cerebral (provavelmente ambos). A primeira temporada de escaladas de 2006 no Everest foi particularmente trágica em mortes (superada apenas pelo desastre de 1996). Vitor havia manifestado em vida o desejo de que seu corpo deveria permanecer na montanha caso esta viesse a ceifar sua vida. Por esta razão, foi sepultado, com o consentimento da família, no próprio Everest (aproximadamente aos 8300 metros, no Acampamento 3) pelos sherpas que o acompanhavam. Vitor era casado e deixou dois filhos.

Em 2008, Marina Soler, sua esposa, escreveu o livro biográfico "Espírito Livre: Da transamazônica ao Everest" contando a trajetória de Vítor como pessoa e montanhista. ISBN 9788586323195. [2]

Homenagens[editar | editar código-fonte]

Em junho de 2006, o GEEU (Grupo de Escalada Esportiva e Montanhismo da Unicamp), do qual foi um dos precursores, homenageou Vitor dando seu nome ao muro de escalada esportiva da instituição.

No mesmo ano, a Prefeitura de Campinas deu seu nome ao mirante da Torre do Castelo, que passou a se chamar Torre do Castelo - Vítor Negrete[3].

Em 28 de junho de 2010, a Faculdade de Engenharia de Alimentos da Unicamp também prestou sua homenagem dando o seu nome ao espaço compartilhado entre atividades estudantis da Comissão de Estágios (Comestag) e da Liga das Atléticas[4].

Referências

Alpinismo.png Este artigo sobre um(a) montanhista, integrado ao Projeto Desporto, é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.