Voo Lion Air 583

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Voo Lion Air 583
Acidente aéreo
PK-LMN, a aeronave envolvido no acidente no Aeroporto Internacional de Kuala Lumpur em agosto de 2004
Sumário
Data 30 de novembro de 2004 (16 anos)
Causa Saída de pista devido à aquaplanagem agravada por uma tesoura de vento
Local Aeroporto Internacional Adisumarmo, Suracarta, Indonésia
Origem Aeroporto Internacional Soekarno-Hatta, Jacarta
Escala Aeroporto Internacional Adisumarmo, Suracarta
Destino Aeroporto Internacional Juanda, Surubaia
Passageiros 156
Tripulantes 7
Mortos 25
Feridos 108
Sobreviventes 138
Aeronave
Modelo McDonnell Douglas MD-82
Operador Indonésia Lion Air
Prefixo PK-LMN
Primeiro voo 13 de novembro de 1984

O Voo Lion Air 583 era um voo doméstico regular de passageiros do Aeroporto Internacional Soekarno-Hatta, Jacarta para o Aeroporto Internacional Juanda, Surubaia, com escala no Aeroporto Internacional Adisumarmo, Suracarta, na Indonésia. Em 30 de novembro de 2004, um McDonnell Douglas MD-82 saiu da pista do Aeroporto Adisumarmo e bateu em um cemitério ao pousar. 25 pessoas morreram a bordo no acidente, incluindo o capitão.[1] Uma investigação conduzida pelo Comitê Nacional de Segurança de Transporte da Indonésia concluiu que o acidente foi causado por aquaplanagem, que foi agravada pela tesoura de vento.

Aeronave e tripulação[editar | editar código-fonte]

A aeronave, um McDonnell Douglas MD-82, prefixo PK-LMN, fez seu primeiro voo em 13 de novembro de 1984, posteriormente entregue em 20 de dezembro de 1984 e operado pela mexicana Aeroméxico como XA-AMP e denominado "Aguascalientes" antes de ser adquirida pela Lion Air em 2002 e registrada como PK-LMN. A Lion Air vendeu a aeronave para outra companhia aérea para entrega em janeiro de 2005.[2][3]

A maioria dos passageiros eram indonésios, enquanto os funcionários do aeroporto confirmaram que uma mulher de Singapura estava entre os feridos. Os pilotos no controle do voo eram o capitão Dwi Mawastoro e o primeiro oficial Stephen Lesdek. O capitão Dwi morreu no acidente enquanto o primeiro oficial Lesdek sobreviveu com ferimentos graves.[4]

Acidente[editar | editar código-fonte]

O Voo 583 decolou de Jacarta por volta das 17h transportando um total de 146 passageiros e 7 membros da tripulação. A maioria dos passageiros eram membros do Nahdlatul Ulama, que participaram de uma reunião nacional realizada após o resultado vitorioso das eleições presidenciais da Indonésia em 2004. O voo transcorreu sem intercorrências até o pouso.[5]

O voo chegou ao aeroporto ao entardecer, por volta das 18h, sob forte chuva. Uma tempestade estava supostamente presente durante a aterrissagem.[5]

O Voo 583 foi configurado apropriadamente para pousar, pousou "suavemente" de acordo com a maioria dos passageiros, e os reversores de empuxo foram acionados. A aeronave, no entanto, não reduziu a velocidade adequadamente, saiu da pista e bateu em um barranco. O impacto causou o colapso do piso da parte dianteira do avião, matando muitos dos passageiros. A aeronave se dividiu em duas seções, parando no final da pista e o combustível começou a vazar. Os passageiros tiveram dificuldade em localizar as saídas de emergência com a luz fraca. Alguns dos passageiros evacuaram pela própria abertura na fuselagem.[6]

Resultados imediatos[editar | editar código-fonte]

O aeroporto foi fechado e os serviços de emergência foram notificados. Passageiros feridos foram transportados por veículos da polícia e ambulâncias para vários hospitais em Solo. Pelo menos 14 dos mortos foram transportados para o Hospital Pabelan. 6 pessoas, 2 mortas e 4 feridas, foram transportadas para o Hospital Panti Waluyo. Outros foram transportados para Oen Kandangsapi, Brayat Minulya, Kasih Ibu, Oen Solo Baru e PKU Muhammadiyah, bem como para instalações em Boyolali e Karanganyar. Sobreviventes com ferimentos leves foram tratados dentro do terminal VIP do aeroporto.[5]

25 pessoas morreram e 59 outras ficaram gravemente feridas.[5][7]

Investigação[editar | editar código-fonte]

O recém-eleito presidente da Indonésia, Susilo Bambang Yudhoyono, ordenou uma investigação imediata sobre a causa da queda do Voo 583 e afirmou que a investigação deveria ser aberta ao público para evitar rumores indesejados após o acidente. O Ministro dos Transportes, Hatta Rajasa, afirmou que o Departamento de Transportes avaliaria as operações da companhia aérea indonésia em resposta à queda do Voo 583, além de dois outros incidentes semelhantes ocorridos no mesmo dia.[8]

A caixa preta foi posteriormente encontrada em 1º de dezembro de 2004 e transportada para o Centro de Operações de Emergência Adi Sumarmo.[9]

Uma testemunha do acidente afirmou que um raio atingiu o avião durante a fase de pouso. Segundo ele, a luz de pouso e a iluminação interna foram apagadas após serem atingidos.[5]

A Lion Air "assumiu a responsabilidade" pelo acidente e afirmou que pagaria as contas do hospital dos sobreviventes.[10] No entanto, eles negaram que o acidente foi causado pela má conduta da companhia aérea e afirmaram que o clima foi o principal fator. De acordo com eles, o Voo 583 experimentou um vento de cauda durante o pouso, o que explica porque o avião não parou. Outros alegaram que os freios ou os reversores de empuxo não funcionaram corretamente.[11] O piloto não colocou o manete de empuxo em potência mínima, isso fez com que o spoiler se retraísse, um dos empuxos reversos também estava com defeito.

O relatório preliminar foi publicado em 2005. Os investigadores afirmaram que o sistema de frenagem do avião não estava em seu nível ideal. Essa condição foi agravada pelas condições climáticas durante o acidente. Os investigadores também identificaram um reversor de empuxo com defeito como uma das causas do acidente; posteriormente, eles emitiram várias recomendações para a Lion Air.[12]

Referências

  1. Ranter, Harro. «ASN Aircraft accident McDonnell Douglas DC-9-82 (MD-82) PK-LMN Solo City-Adi Sumarmo Airport (SOC)». aviation-safety.net. Consultado em 15 de janeiro de 2021 
  2. «Lion Air PK-LMN (McDonnell Douglas MD-80/90 - MSN 49189) (Ex XA-AMP ) | Airfleets aviation». www.airfleets.net. Consultado em 15 de janeiro de 2021 
  3. «Lion Air PK-LMN». www.planespotters.net. Consultado em 15 de janeiro de 2021 
  4. Liputan6.com (1 de dezembro de 2004). «Duka Menyelimuti Keluarga Dwi Mawastoro». liputan6.com (em indonésio). Consultado em 15 de janeiro de 2021 
  5. a b c d e «Lion Air Nyungsep di Solo, 23 Tewas». web.archive.org. 23 de junho de 2017. Consultado em 15 de janeiro de 2021 
  6. «Lion Air Terpeleset di Solo, 10 Tewas.». Tempo (em inglês). 30 de novembro de 2004. Consultado em 15 de janeiro de 2021 
  7. «31 killed in Indonesian plane crash». The Sydney Morning Herald (em inglês). 1 de dezembro de 2004. Consultado em 15 de janeiro de 2021 
  8. Liputan6.com (2 de dezembro de 2004). «Menhub Berjanji Mempercepat Investigasi Kecelakaan Lion Air». liputan6.com (em indonésio). Consultado em 15 de janeiro de 2021 
  9. Liputan6.com (1 de dezembro de 2004). «Kotak Hitam Pesawat Lion Air Ditemukan». liputan6.com (em indonésio). Consultado em 15 de janeiro de 2021 
  10. Liputan6.com (1 de dezembro de 2004). «Lion Air Menyatakan Bertanggung Jawab». liputan6.com (em indonésio). Consultado em 15 de janeiro de 2021 
  11. Liputan6.com (1 de dezembro de 2004). «Lion Air Membantah Menyalahi Prosedur Penerbangan». liputan6.com (em indonésio). Consultado em 15 de janeiro de 2021 
  12. Liputan6.com (8 de fevereiro de 2005). «Kecelakaan Lion Air di Solo Terkuak». liputan6.com (em indonésio). Consultado em 15 de janeiro de 2021 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]