Vostok IV

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Vostok 4)
Ir para: navegação, pesquisa
Vostok 4
Insígnia da missão
Sinal de chamada Беркут (Berkut - Águia Dourada)
Estatísticas da missão
Número de tripulantes 1
Lançamento 12 de agosto de 1962
08:02 UTC
Cosmódromo de Baikonur
Aterrissagem 15 de agosto de 1962
06:59 UTC
48°9′N 71°51′E
Órbitas 48
Duração 2d 22h 56min
Imagem da tripulação
Pavel Popovich
Pavel Popovich
Navegação
Vostok 3
Vostok 5

Vostok 4 foi a quarta missão do Programa Vostok, o primeiro projeto tripulado do programa espacial soviético. O cosmonauta desta missão foi Pavel Popovich. O voo ocorreu entre 12 e 15 de agosto de 1962. A missão foi conjunta com a Vostok 3.

Lançada um dia depois da Vostok 3, esta missão conjunta foi a primeira a colocar duas espaçonaves em órbita simultaneamente e a primeira em que os cosmonautas comunicaram-se entre si via rádio no espaço.[1]

Tripulação[editar | editar código-fonte]

Parâmetros da missão[editar | editar código-fonte]

Missão[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Vostok 3

Os cosmonautas em órbita não tentaram um encontro, limitando-se a se posicionarem a um máximo de 6,5 km uma nave da outra, acima da distância pré-planejada de 5 km.[1] Mesmo assim, Popovich comunicou ao controle de terra que conseguia ver a Vostok 3 e que a nave "se parecia com uma pequena lua na distância".

A missão teve como objetivo principal avaliar as condições físicas e mentais dos cosmonautas, sua coordenação motora e habilidades manuais, submetidos a um período prolongado de permanência na microgravidade. A missão, apesar de bem sucedida, teve dois contratempos para Popovich, que foi obrigado a conviver com uma temperatura de 10°C dentro da cabine por uma falha no sistema de suporte à vida, além de ter encerrado a missão antes do previsto. Antes do lançamento, Popovich foi instruído a transmitir o código "Observando tempestades", caso ele começasse a sentir os sintomas da doença do espaço, que haviam atingido Gherman Titov no voo anterior da Vostok 2. A menção às palavras de código, o controle de terra imediatamente providenciaria a reentrada automática da nave. Desafortunadamente para Popovich, quase ao fim do terceiro dia - de uma missão prevista para quatro, como da Vostok 4 - ele reportou para Baikonur que via tempestades da órbita, ao passar por cima do Golfo do México. A mensagem foi interpretada como o código de pedido de reentrada e ele foi automaticamente trazido de volta um dia antes do previsto.[2]

Popovich encerrou o voo pousando de pára-quedas a cerca de 200 km do local de aterrissagem da Vostok 3, que também regressou à Terra praticamente no mesmo momento. O local do pouso fica localizado ao sul de Qaraghandy, no Casaquistão.[3]

A cápsula de reentrada hoje encontra-se em exibição ao público no Museu NPO Zvezda, em Moscou, mas foi modificada para representar a imagem da cápsula Voskhod 2.

Veja também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b Gatland, Kenneth (1976). Manned Spacecraft, Second Revision. New York: Macmillan Publishing Co., Inc. pp. 117–118. ISBN 0025428209  ISBN 0025428209
  2. «Vostok 4». Astronautix. Consultado em 9 de maio de 2011 
  3. "Soviet Spacemen Say No Try Made To 'Rendezvous'", TheMontreal Gazette newspaper, Aug 22, 1962

Ligações externas[editar | editar código-fonte]