World Rugby

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
World Rugby
Logotipo da World Rugby.
Tipo Federação desportiva
Fundação 1 de janeiro de 1886 (132 anos)
Sede Dublin,  Irlanda
Membros 103 federações nacionais, 17 associados
Línguas oficiais Espanhol, Francês e Inglês
Presidente Bill Beaumont
Sítio oficial World Rugby

O World Rugby (antigo International Rugby Board, IRB) é a entidade máxima do rugby. Foi fundada em 1886 como Conselho Internacional de Futebol-Rúgbi (em inglês: International Rugby Football Board, IRFB) por Escócia, Irlanda e País de Gales, tendo a Inglaterra, em 1890, tornado-se o primeiro país não fundador a integrar a entidade. A Austrália, Nova Zelândia e África do Sul tornaram-se membros plenos em 1949. A França tornou-se membro em 1978 e oitenta membros se juntaram de 1987 a 1999. O Conselho foi rebatizado como International Rugby Board (IRB) em 1998 e assumiu o nome atual de World Rugby em novembro de 2014.[1]

Sua sede está localizada na cidade de Dublin, na Irlanda. Seus membros atualmente são 120 uniões nacionais. Cada país-membro também deve ser membro de uma das seis organizações regionais em que o mundo está dividido: África, Ásia, Europa, América do Norte e Caribe, América do Sul e Central e Oceania.[2]

Em 2009, o Comité Olímpico Internacional (COI) votou para incluir o rúgbi nos Jogos Olímpicos, a partir da edição de 2016, voltando a fazer parte dos Jogos após um hiato de 82 anos, contudo a versão a ser disputada passou a ser o rugby de sete.[3]

História[editar | editar código-fonte]

Até 1885 as leis do rugby foram feitas pela Inglaterra, como nação fundadora. No entanto, após um ensaio (try) disputado em uma partida internacional entre a Escócia e a Inglaterra em 1884, foram trocadas cartas em que a Inglaterra alegou que eles fizeram as leis e o ensaio deveria valer.[4] A Escócia recusou-se a jogar contra a Inglaterra no Home Nations Championship de 1885. Após a disputa, as uniões da Escócia, Irlanda e País de Gales decidiram formar uma união internacional cujos membros concordariam com as regras padrão do rugby. As três nações reuniram-se em Dublin em 1886, embora nenhum regulamento formal tenha sido acordado. Em 5 de dezembro de 1887, os membros do comité da União de Rugby da Irlanda, União Escocesa de Rugby (na época chamada União Esportiva Escocesa) e União Galesa de Rugby reuniram-se em Manchester e redigiram os quatro primeiros princípios do International Rugby Football Board. A Inglaterra recusou-se a participar da fundação do IRFB, afirmando que eles deveriam ter maior representação, pois tinham mais clubes.[5] A União da Inglaterra também se recusou a aceitar o IRFB como o reconhecido legislador do jogo.[5] Isso levou o IRFB a assumir a posição de países membros que não jogavam na Inglaterra até ingressarem, e nenhum jogo foi disputado contra a Inglaterra em 1888 e 1889.[6] Em 1890, a Inglaterra aderiu ao IRFB, ganhando seis assentos, enquanto as outras uniões receberam duas.[6] No mesmo ano, o IRFB escreveu as primeiras leis internacionais de rugby union.[7]

Ata da primeira reunião formal do IRFB, realizada com representantes de Irlanda, Escócia e do País de Gales.

Em 1893, o IRFB foi confrontado com a divisão entre o amadorismo e o profissionalismo, que foi chamado de "Grande Cisma". Após a introdução de homens da classe trabalhadora no jogo no norte da Inglaterra, os clubes começaram a realizar pagamentos pelas horas não trabalhadas aos jogadores, devido à perda de ganhos por jogar no dia de sábado.[8] O Cumberland County Union também reclamou de outro clube que usava incentivos monetários para atrair jogadores, levando o IRFB a conduzir um inquérito. O IRFB foi avisado por todos os principais clubes de Lancashire e Yorkshire de que qualquer punição levaria os clubes a se separarem da união.[8] O debate sobre esses "pagamentos interrompidos" fez com que os 22 principais clubes de Yorkshire e Lancashire formassem a Northern Rugby Football Union, hoje conhecida como Rugby Football League. As leis das uniões concorrentes do jogo divergiram quase imediatamente; o código do corpo do norte acabou se tornando conhecido como futebol de rugby league.[8]

Os assentos da Inglaterra no IRFB foram reduzidos de seis para quatro, em 1911. A União de Rúgbi da Austrália, a União de Rugby da Nova Zelândia e o Conselho de Rugby da África do Sul aderiram ao Conselho da IRFB com um assento cada um, em 1948, fazendo com que os assentos da Inglaterra fossem reduzidos a dois, a mesma quantidade das outras nações de origem. As três uniões do hemisfério sul receberam um segundo assento em 1958.[9] A Federação Francesa de Rugby foi admitida em 1978 e a União de Rugby da Argentina, a União Canadense de Rugby, a Federação Italiana de Rugby e a União de Futebol Rugby do Japão foram admitidas em 1991.[6] Em 2016, a Geórgia, bem como a Roménia e os Estados Unidos foram acrescentados ao Conselho de votação com um voto cada. Além disso, os atuais membros do Conselho, Argentina, Canadá e Itália, receberam um segundo representante e uma votação. As seis associações regionais representadas no Conselho também receberam uma votação adicional.[10]

Acredita-se que no final da década de 1950 o IRFB começou a pensar na realização de um campeonato mundial.[11] Em 1983 e 1984, respectivamente, as federações australianas e neozelandesas de rugby propuseram sediar esse torneio.[11] No ano seguinte, a diretoria se comprometeu a realizar um estudo de viabilidade. Um ano depois, houve outra reunião em Paris e, posteriormente, a União votou a ideia. Foi a votação da Áfria co Sul que provou ser crucial na criação de um voto empatado, pois eles votaram a favor, mesmo sabendo que seriam excluídos devido ao boicote desportivo por causa de suas políticas de apartheid. Os votos ingleses e galeses foram então alterados e a votação foi ganha de 10 a 6.[11]

Estrutura[editar | editar código-fonte]

O World Rugby Council reúne-se duas vezes por ano e gere e controla os assuntos do World Rugby.[12] O Conselho formula e supervisiona a implementação do plano estratégico do World Rugby e a aplicação de decisões políticas, além de selecionar a(s) nação(s) anfitriã(s) para a Copa do Mundo de Rugby, levando em consideração as recomendações da Assembleia Geral, bem como admitir ou expulsar nações membros. O Conselho é também a suprema autoridade legislativa do World Rugby. A maioria das decisões do Conselho exige a aprovação da maioria simples, mas para alterar os estatutos, regulamentos ou as Leis do Jogo do World Rugby, é necessária a aprovação de três quartos do Conselho.

Desde maio de 2017,[13] o conselho é composto por 31 delegados com um total de 48 votos, distribuídos da seguinte forma:

  • (30) Dez uniões têm três votos e dois delegados: Argentina, Austrália, Inglaterra, França, Irlanda, Itália, Nova Zelândia, Escócia, África do Sul e País de Gales.
  • (2) Uma união tem dois votos e um delegado: o Japão.
  • (4) Quatro uniões têm, cada um, um voto e um delegado: Canadá, Geórgia, Romênia e Estados Unidos.
  • (12) As seis associações regionais que representam a Europa, a América do Sul, as América do Norte, a África, a Ásia e a Oceania têm, cada uma, dois votos e um delegado.

No total, a Europa tem 22 votos; Oceania 8 votos; América do Sul 5 votos; África 5 votos; América do Norte 4 votos e Ásia 4 votos.

Um Presidente e um Vice-Presidente são eleitos entre os delegados e estes cargos estão ocupados por Bill Beaumont, da Inglaterra, e Agustín Pichot, da Argentina, respectivamente, desde maio de 2017.[13][14]

Associações regionais[editar | editar código-fonte]

Mapa dos membros e associados da World Rugby.

As associações regionais que representam cada continente, são afiliadas ao World Rugby e ajudam a desenvolver o tradicional jogo de XV, bem como o rugby de sete em todo o mundo. Nem todos os membros das associações regionais são membros do World Rugby.

O mundo do rugby está dividido em seis regiões governadas por associações regionais:[15]

No total, o World Rugby possui 104 membros plenos e 15 associados.

Prêmios[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Premiações do World Rugby

Referências

  1. worldrugby.org. «Structure». www.worldrugby.org (em inglês). World Rugby. Consultado em 4 de março de 2018 
  2. worldrugby.org. «Member Unions». www.worldrugby.org (em inglês). World Rugby. Consultado em 4 de março de 2018 
  3. «Putting Rugby Back in the Olympics». Rugby Football History 
  4. «Short history of rugby». Museum of Rugby. Consultado em 14 de julho de 2006. Arquivado do original em 15 de fevereiro de 2008 
  5. a b «1880s». Rugby Football History. Consultado em 15 de julho de 2006 
  6. a b c «History of the laws of rugby football». Rugby Football History. Consultado em 22 de outubro de 2011 
  7. «History of the Game». rugby.com.au. Consultado em 15 de julho de 2006. Arquivado do original em 19 de agosto de 2006 
  8. a b c «1890s». rugbyfootballhistory.com. Consultado em 15 de julho de 2006 
  9. «Major team and individual sports». Encyclopædia Britannica. Consultado em 22 de outubro de 2011 
  10. Sero, Nick (11 de maio de 2016). «USA Welcomed to Expanded WorldRugby Council». usarugby.org. Consultado em 11 de maio de 2016 
  11. a b c «The History of RWC». worldcupweb.com. Consultado em 28 de julho de 2006. Arquivado do original em 14 de abril de 2006 
  12. IRB bye-law 9, http://www.irb.com/mm/Document/AboutIRB/IRBConstitution/02/03/02/20/2030220_PDF.pdf
  13. a b «World Rugby announces historic eligibility regulation reform» (Nota de imprensa). World Rugby. 10 de maio de 2017. Consultado em 10 de maio de 2017 
  14. «Bill Beaumont elected next World Rugby Chairman». worldrugby.org. 11 de maio de 2016. Consultado em 11 de maio de 2016 
  15. worldrugby.org. «Regional Associations». www.worldrugby.org (em inglês). World Rugby. Consultado em 4 de março de 2018