Iáia ibne Ali ibne Hamude al-Mutali

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Iáia ibne Ali al-Mutali
يحيى بن علي المعتلي
12º / 16º Califa de Córdova
Reinado 1021-1023
1025-1026
Antecessor(a) al-Qasim al-Ma'mun
Maomé III
Sucessor(a) al-Qasim al-Ma'mun
Hisham III
 
Dinastia Hamúdidas
Nome completo
Iáia ibne Ali ibne Hamude al-Mutali
Morte 1035
Pai Ali ibn Hammud

Iáia ibne Ali ibne Hamude al-Mutali, melhor conhecido somente como Iáia ibne Ali al-Mutali (em árabe: يحيى بن علي المعتلي), foi um califa de Córdoba da dinastia hamúdida em al-Andalus (a Espanha islâmica) por duas vezes, entre 1021 e 1023 e, novamente, entre 1025 e 1026 durante a guerra civil. Ele era filho do califa Ali ibn Hammud, de origem berbere-árabe.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Iáia foi governador de Ceuta a partir de 1016, um título que ele recebeu do pai. Após a morte dele, Yahya se recusou a reconhecer seu tio Al-Qasim como califa de Córdoba. Após tomar Málaga, ele marchou até Córdoba com um exército berbere. Al-Qasim abandonou a cidade e se refugiou em Sevilha, o que deixou o caminho livre para que Yahya governasse até 1023, quando finalmente al-Qasim retornou para retomar o trono. Porém, ele também acabou sendo deposto pelos omíadas, que elevaram Abderramão V ao califado.

Iáia retornou para Málaga e capturou Alcacim em Jerez, executando-o. Em 1025, ele conseguiu juntar outro exército para marchar contra Córdoba, onde o novo califa, Maomé III, após ter recebido notícias do iminente ataque, fugiu para Saragoça. A aristocracia de Córdoba criou então um conselho para governar a cidade na ausência de um califa. Porém, após uns seis meses, o tal conselho apelou para que Iáia tomasse a cidade e assumisse o título de califa. Ele chegou em 9 de novembro de 1025 e, após uns poucos dias, ele deixou o governo sob a responsabilidade de seu vizir Abu Jafar Amade ibne Muça e retornou para a sua fortaleza em Málaga.

As revoltas que se sucederam em Córdoba precipitaram o fim da dinastia hamúdida. Em junho de 1026, o povo da cidade expulsou o vizir de Iáia e elegeu um último califa, o omíada Hisham III. Após a sua expulsão definitiva da cidade de Córdoba, Iáia criou a independente Taifa de Málaga, que ele governou até a sua morte em 1035.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Iáia ibne Ali ibne Hamude al-Mutali
Precedido por:
al-Qasim al-Ma'mun
Califa de Córdoba
1021–1023
Sucedido por:
al-Qasim al-Ma'mun
Precedido por:
Maomé III
Califa de Córdoba
1025–1026
Sucedido por:
Hisham III
Precedido por:
Criação
Rei da Taifa de Málaga
1026–1035
Sucedido por:
Idris I al-Mutaiade

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Altamira, Rafael (1999). «Il califfato occidentale». Storia del mondo medievale. vol. II [S.l.: s.n.] pp. 477–515.