Androgeu

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto (desde Março de 2011).
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing. Veja como referenciar e citar as fontes.

Androgeu, Andrógeo ou Eurigies na mitologia grega era um filho de Minos, rei de Creta,[1] e de Pasífae. Venceu todas as provas dos jogos panatenaicos suscitando a inveja do rei Egeu, que o convidou a matar o touro de Maratona. Androgeu foi morto pelo animal e seu pai, Minos, invadiu a Ática. Minos não conseguiu tomar Atenas, e rezou a Zeus pedindo vingança, que fez Atenas sofrer fome e peste.[2] Com a derrota do rei Egeu, Minos impôs um tributo de sete rapazes e sete moças que deviam ser sacrificados ao Minotauro de nove em nove anos.[2]

Segundo Pausânias (geógrafo), havia no Pireu, em Atenas, um altar dedicado a Androgeu, que os atenienses da sua época achavam que era dedicado a outra pessoa.[3]

Dois filhos de Androgeu são mencionados em Pseudo-Apolodoro: durante o trabalho da captura do Cinto de Hipólita, Héracles parou na ilha de Paros, mas dois de seus companheiros, ao desembarcarem, foram mortos pelos filhos de Minos, Eurimedonte, Nephalion, Chryses e Philolaus.[4] Héracles imediatamente matou os quatro filhos de Minos, e sitiou os outros habitantes, impondo, como condições, que eles entregassem dois homens para substituir os homens mortos; estes foram Alceu e Estênelo, filhos de Androgeu, filho de Minos.[4]

Referências

Ícone de esboço Este artigo sobre mitologia grega é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.