Anti-histamínico

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Um antagonista de histamina (também chamado um anti-histamínico) é uma droga farmacêutica que inibe a ação da histamina, bloqueando a sua ligação aos receptores de histamina, ou inibindo a atividade enzimática da histidina descarboxilase, que catalisa a transformação de histidina em histamina (anti-histamínicos atípicos). É normalmente utilizado para o alívio de alergias provocadas pela intolerância de proteínas.[1]

Efeitos clínicos[editar | editar código-fonte]

Os anti-histamínicos competem pelos receptores H1 da histamina, impedindo estas de se ligarem e auxiliarem no processo de inflamação. Quando ocorre a ligação dos anti-histamínicos no receptor, as vias de fosfolipase C, fosfolipase A e a via do fator nuclear de transcrição são ativadas. Essas vias auxiliam na síntese de proteínas anti-inflamatórias e inibem a síntese e liberação de proteínas inflamatórias, como a citocina, por exemplo.

Os antagonistas dos receptores H2, desempenham efeito principal na secreção gástrica.

Os agonistas e antagonistas dos receptores H3 que possuem possibilidades para uso clínico em distúrbios do SNC está sendo estudado.

Uso. Os anti-histaminicos devem ser usados por um curto período, e nunca sem a orientação médica.

Referências

  1. Sicherer, Scott H. M.D., Understanding and Managing Your Child's Food Allergy. Baltimore: The Johns Hopkins University Press, 2006 ISBN 0-8018-8492-6.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Rang HP, Dale MM, Ritter JM, Flower RJ. Rang and Dale's Pharmacology.
Ícone de esboço Este artigo sobre farmácia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.