Articulação fibrosa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

As articulações fibrosas são articulações estabelecidas por meio de uma camada intermediária de tecido conjuntivo fibroso, que fixa os ossos. São divididas em quatro grupos:

  • as sindesmoses, que possuem grande quantidade de tecido continuos que pode formar um ligamento interósseo ou membrana interóssea - impedindo, portanto, o movimento. Como exemplos temos as articulações tíbio-fibular inferior e a articulação sacro-ilíaca posterior.
  • as suturas, que têm menos tecido conjuntivo do que as sindesmoses, e são encontradas exclusivamente nas articulações dos ossos do crânio. De acordo com a forma da superfície óssea articulante, podem ser divididas em:
    • plana;
    • serrátil - exemplo: sutura entre os ossos parietais direito e esquerdo;
    • escamosa.
  • as esquideleses são articulações que se verificam entre uma superfície em forma de crista de um osso (por exemplo, do corpor do esfenóide, que se aloja em uma superfície em forma de fenda de outro osso (fenda entre asas do vômer, na semelhança do encaixe de um cavaleiro em cima do cavalo.
  • as gonfoses são articulações nas quais um processo cônico está inserido numa cavidade, à semelhança de um prego inserido na madeira, por exemplo. Como exemplo de gonfose temos os dentes inseridos nos Alvéolos dentários.