Barão Samedi

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Veve de Baron Samedi
descrição de Barão Samedi
A cruz de Baron Samedi no cemitério em Porto Príncipe, Haiti.

No Voodoo e Vodou haitiano, Baron Samedi é um dos aspectos do Baron, um dos loa. Ele é um loa dos mortos, junto com inúmeras outras encarnações do Barão, Baron Cimetière, Baron La Croix, e Baron Kriminel.

Baron Samedi é usualmente descrito com um chapéu branco, terno preto, óculos escuros, e algodão tampando as narinas, semelhante a um cadáver vestido e preparado para o enterro no estilo haitiano. Ele tem a cara freqüentemente parecida a uma caveira branca (ou de fato tem uma caveira como cara) e fala com uma voz nasal. Ele é o cabeça da Guédé família de Loa, ou um aspecto deles, ou possivelmente o seu pai espiritual. Sua esposa é a loa Maman Brigitte. 'Samedi' significa 'sábado' em francês, embora haja etimologia alternativa.

Baron Samedi de pé nos cruzamentos, onde as almas dos humanos mortos passem a caminho de Guinee. Bem como sendo o loa sábio da morte, ele é um loa sexual, freqüentemente representado por símbolos fálicos e famoso pela perturbação, obscenidade, deboche, e tendo uma predileção especial para o tabaco e o rum. Além disso, ele é o loa do sexo e ressurreição, e nesta última capacidade que ele muitas vezes é invocado por aqueles que estão perto da morte ou a morte se aproxima, para cicatrização, já que é apenas o Barão que aceita um indivíduo no reino dos mortos. Ele é considerado um juiz sábio, e um mágico poderoso.

Referências[editar | editar código-fonte]

  • Voodoo: Search for the Spirit. Laennec Hurbon. Harry N. Abrams, Inc. 1995. "Ghede"
  • A Dictionary of World Mythology. Arthur Cotterell. Oxford University Press, 1997. "Vodou".
  • The Voodoo Gods. Maya Deren. Granada Publishing Limited 1975.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]