Carlota Flandrina de Nassau

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Carlota Flandrina de Nassau
Condessa de Nassau
Pai Guilherme I de Orange-Nassau
Mãe Carlota de Bourbon
Nascimento 18 de Agosto de 1579
Antuérpia, Países Baixos
Morte 16 de abril de 1640 (60 anos)
St.Croix, França

A condessa Carlota Flrandrina de Nassau (18 de Agosto de 1579 - 16 de Abril de 1640) foi a quarta filha do príncipe Guilherme I de Orange e da sua terceira esposa, a duquesa Carlota de Bourbon.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Após a morte da sua mãe em 1582, o seu avô materno pediu para que Carlota pudesse ficar com ele. Carlota passou então a viver com ele em Bourbon, mas, um ano depois, o duque morreu e a condessa passou a viver com Jeanne de Chabot, abadessa de Le Paraclete e prima da sua mãe. Finalmente, a pedido do rei de França, Carlota passou a viver com a sua tia católica, Joana de Bourbon, abadessa de Houarre. Apesar da oposição dos seus parentes protestantes, Carlota entrou para um convento católico em 1593.

Em 1595, e já a sofrer de surdez, Carlota tornou-se grande prioresa e abadessa do mosteiro beneditino de Saint Croix. Manteve contacto regular com as suas irmãs, principalmente com Isabel e Carlota Brabantina, ambas protestantes devotas que tentaram convencer a irmã a deixar o catolicismo.

Genealogia[editar | editar código-fonte]

Os antepassados de Carlota Flandrina de Nassau em três gerações[1]
Carlota Flandrina de Nassau Pai:
Guilherme I de Orange
Avô paterno:
Guilherme I de Nassau-Dillenburg
Bisavô paterno:
João V de Nassau-Vianden-Dietz
Bisavó paterna:
Isabel de Hesse-Marburg
Avó paterna:
Juliana de Stolberg
Bisavô paterno:
Bodo VIII de Stolberg-Wernigerode
Bisavó paterna:
Ana de Eppstein-Königstein
Mãe:
Carlota de Bourbon
Avô materno:
Luís, Duque de Montpensier
Bisavô materno:
Luís de La Roche-sur-Yon
Bisavó materna:
Luísa de Bournon, duquesa de Montpensier
Avó materna:
Jacqueline de Longwy
Bisavô materno:
João IV de Longwy, barão de Pagny
Bisavó materna:
Jeanne d'Angoulême

Referências