Casaca (banda)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Casaca
Show de Casaca em Guriri
Informação geral
Origem Espírito Santo (estado) Vila Velha, ES
País  Brasil
Gênero(s) congo, rock e reggae
Período em atividade 2000 - atualmente
Página oficial www.bandacasaca.com.br
Integrantes Renato Casanova
Márcio Xavier
Flavinho
Piriquito
Dhiego

Originária da Barra do Jucu, praia de Vila Velha, Espírito Santo (ES), um balneário que ainda preserva o estilo rústico das aldeias de pescadores e ponto de encontro de surfistas, localizado entre a capital Vitória e o balneário de Guarapari, é um lugar onde rio e mar se encontram, a banda Casaca surgiu no início do ano de 2000, com ex-integrantes do grupo Kalangocongo.

Influenciado por um ritmo local, o Congo, o Kalangocongo fundia esse estilo musical com outros ritmos brasileiros, porém com uma forte influência do forró e chegou a lançar um CD em 1998. No entanto, as coisas não deram muito certo para o grupo, o que acabou gerando o rompimento e surgimento do Casaca.

Firmes no propósito de promover seu ritmo local, eles seguem a mesma linha de fundir o congo com outros ritmos, mas agora com uma pegada entre o reggae e o rock muito mais acentuada e bem diferente da antiga banda.

Tocando em bares da Barra do Jucu e gradativamente sendo convidados a se apresentar em outros palcos da Grande Vitória (região que compreende 5 municípios: Vitória, Vila Velha, Serra, Cariacica e Viana) e reunindo um público cada vez maior, em abril de 2001 lançaram o seu primeiro álbum, No tambor, na casaca, na guitarra, que bateu o recorde de 55 mil cópias vendidas, fato inédito para o mercado fonográfico capixaba. Mesmo sendo um álbum independente e um fenômeno local, conseguiu ficar nas listas dos 50 álbuns mais vendidos do país por 4 meses em 1º lugar de vendas nas lojas do estado por quase um ano. As canções "Sereia", "Ondas do Barrão", "Anjo Samile e "Da Da Da" (essa última em 11 de Janeiro de 2004 "despertou" o robô da Nasa Spirit em Marte) chegaram a estar simultaneamente nas lista das 10 músicas mais tocadas da semana das rádios locais.

Seguindo a linha das famosas bandas nacionais, que criam e/ou patrocinam escolas de músicas, como o Rappa, Titãs, Skank, eles fazem visitas em escolas do Estado, com o objetivo destas crianças criarem um determinado vínculo com a cultura local da Barra do Jucu e, consequentemente, do Espírito Santo.

Um dos principais fatores que podem ser levados em consideração para o sucesso da banda nesse balneário é exatamente essa proximidade com a capital e o grande fluxo de turistas que freqüentam o local.

É dos capixabas a canção que despertou o robô da Nasa Spirit em Marte[1] em 11 de janeiro de 2004. Essa canção foi parar em Marte por causa de um engenheiro da Nasa que é capixaba e fã da banda.

Em 2011, a banda Casaca gravou o programa OiNovoSom, tendo grande destaque na mídia nacional. No mesmo ano a banda Casaca foi convidada para gravar uma música do documentário "Astrogilda, O Congo é a sua vida", de Rogério Sarmenghi.

Em 2013, a banda Casaca gravou o seu primeiro DVD Ao Vivo, no Ilha Shows, na cidade de Vitória-ES. Na gravação teve a participação de Saulo Fernandes (ex-banda Eva). O CD/DVD foram lançados em julho de 2014, de forma independente.

O que é o congo no Espírito Santo[editar | editar código-fonte]

A história do congo no Espírito Santo se confunde muito com a história do Estado, pois ela foi construída pelas miscigenação das várias etnias que aqui aportaram, como: indígenas, negros, europeus, portugueses, italianos, alemães, pomeranos, austríacos e tantos outros que de alguma forma marcaram a cultura deste Estado.

Nesta diversidade cultural o folclore capixaba consegue ser tão heterogêneo quanto a origem do seu povo. Mas, o congo, nasceu ou melhor surgiu no Estado através dos negros que vinham trabalhar nos engenhos, trazendo consigo seus hábitos é costumes, sento até hoje, uma das mais preservadas tradições culturais do folclore capixaba.

A primeira referência ao congo no Estado é de 1858, conforme registro feito pelo site Estação Capixaba, e ocorreu no livro Deux années au Brésil, do viajante francês François Biard, que relata o seu encontro com indígenas por ocasião da festa de São Benedito. Mas muitos historiadores preferem afirmar que o ritmo nasceu junto com a necessidade dos negros em poderem adorar seus deuses africanos, juntando isso a adoração aos santos da Igreja Católica. Devido a esse sincretismo ele é considerado ainda hoje um ritmo tradicional do folclore capixaba, sendo tocado em festa religiosas típicas como as de São Benedito, São Pedro, São Sebastião e Nossa Senhora da Penha.

O nome de banda de congos surgiu com a alteração de alguns dos instrumentos primitivos então usados nas festas, com isso o nome guarará, designação dada ao tambor passou a ser chamado de congo ou simplesmente tambor, com isso as bandas passaram a ser conhecidas como Banda de Congos, expressão que segundo os negros lembrava a África.

Mas foi somente em 1951, por ocasião dos festejos comemorativos do IV Centenário da fundação de Vitória, que o ritmo entrou oficialmente nos festejos culturais do Estado, nesta data aconteceu a primeira concentração de Bandas de Congos.

Atualmente as bandas de congo tocam principalmente em festas religiosas. Os integrantes destas bandas são todos pessoas simples, de bairros de periferias, em sua maioria descendentes diretos dos ex-escravos que permaneceram no Estado após a abolição da escravatura, em 1888.

Os instrumentos são todos feitos a mão, com materiais retirados da natureza como paus, peles de animais ou restos de sucatas como ferro torcido e folha-de-flandres. As músicas são velhas e tradicionais toadas, cantadas por homens e mulheres, e suas letras carregam referências a escravidão, aos santos do povo e ao mar.

Atualmente no Estado a maioria está concentrada em bairros litorâneos, como os de Nova Almeida, na Serra e Barra do Jucu, em Vila Velha, e uma das mais conhecidas e a banda ``A Amores da Lua, já tem mais de 50 anos.

Integrantes[editar | editar código-fonte]

  • Renato Casanova (vocal)-2000
  • Márcio Xavier (baixo e vocal)-2000
  • Flavinho (Luis Flavio) (tambor de repique)-2000
  • Dhiego Valadares (tambor de condução)-2005
  • Periquito (Casaca)- 2000/2005 - 2010

Músicos convidados

  • Nego Leo (Bateria)- 2008
  • Daniel Calazans (Guitarra e vocal) - 2012
  • Jeremy Naud (teclado, piano, acordeon) - 2013
  • Anderson "Xuxinha" Paiva (percussões) - 2013

Ex-integrantes

  • Jean (2000-2013)- tambor de condução
  • Thiago Grilo (2000-2011) - caixa e percussões
  • Vinícius Gaudio (2000-2005) - tambor de repique e casaca
  • Jura Fernandes (2000-2005) - guitarra
  • Augusto Galvêas (2001-2005) - teclados
  • Fernando Farinha (2005-2008) - percussões
  • Perez Lisboa (2005-2011) - guitarra
  • Alexandre Lima (2011-2012) - guitarra

Discografia[editar | editar código-fonte]

Álbuns[editar | editar código-fonte]

Ano Título Vendagens
2001 No Tambor Na Casaca Na Guitarra 60.000 cópias
2002 Casaca 30.000 cópias
2003 Ilha (EP) 5.000 cópias
2004 Na Estrada 25.000 cópias
2007 Casaca (EP) 5.000 cópias
2010 Tempo 5.000 cópias
2014 Casaca ao Vivo 2.000 cópias

Outras Músicas[editar | editar código-fonte]

  • Corpo e Alma
  • Logo Eu
  • Terra Prometida
  • Quanto Mais
  • Eu Quero Botar Meu Bloco na Rua
  • A Rainha do Congo
  • O Seu Novo Mundo
  • Astrogilda, O congo é a sua vida (música do documentário com o mesmo nome da música)
  • Tequila Brown (lançada no ano de 2014, no CD "Casaca Ao Vivo")
  • Alagados (lançada no ano de 2002, no CD "Casaca")

Clipes[editar | editar código-fonte]

  • Da Da Da
  • Anjo Samile
  • Magia
  • Pra Ela
  • Tempo
  • Astrogilda, O congo é a sua vida
  • Barra (ao vivo)
  • Sereia (ao vivo)
  • Pássaro Doido (ao vivo)
  • Ilha (ao vivo)
  • Vida de Salário (ao vivo)

Videografia[editar | editar código-fonte]

  • 2014 - Casaca Ao Vivo

Comemoração dos 10 anos de Carreira[editar | editar código-fonte]

No ano de 2010 a banda Casaca preparou para as comemorações dos seus 10 anos um disco novo, uma turnê especial e uma exposição de fotos contando trajetória da banda que circulou pelos principais shoppings do Espirito Santo.

Gravação do DVD Ao Vivo do Casaca[editar | editar código-fonte]

Depois de 13 anos de estrada, a banda que tocou em Marte gravou seu primeiro DVD. A gravação aconterreu no dia 19 de setembro de 2013, no IlhaShows. Com produção musical de Guto Graça Mello (que tem no currículo os artistas Roberto Carlos, Xuxa, Padre Marcelo Rossi e Padre Fábio de Melo), direção de Mário Meirelles (Diretor do Programa da Xuxa) e cenário de Zé Carratu (que já foi cenógrafo de Vítor e Léo, Criança Esperança, Paralamas do Sucesso e Titãs), a banda Casaca fez uma grande festa à melhor vista de Vitória: a Praia de Camburi. O repertório do DVD vai passou por toda carreira do Casaca, com músicas dos seis discos e em 'Sereia' a banda vai ter uma participação mais que especial do cantor Saulo Fernandes.

O lançamento aconteceu durante as comemorações da Colonização do Solo Espírito-santense, no dia 23 de maio de 2014 na Prainha em Vila Velha com publico de mais de 10 mil pessoas.

Referências

  1. Casaca Globo (21 de janeiro de 2004). Visitado em 11 de maio de 2007.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Flag of Brazil.svgGuitarra masc.png Este artigo sobre uma banda ou grupo musical do Brasil, é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.