Condor (míssil)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde novembro de 2013).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.

O Míssil Condor argentino teve seu programa começado em 1970 como um programa multinacional de pesquisa espacial com um contrato significativo entre a alemã MBB (agora parte do grupo DaimlerChrysler).

O Condor original tinha pouca capacidade militar mas foi usado como experiência que foi usada no programa Alacrán que foi um míssil balístico de baixo alcance. Depois dos problemas com os mísseis franceses na Guerra das Malvinas, o governo argentino decidiu que era tempo de criar seu próprio míssil de médio alcance, e começou com o programa Condor II.

Este programa teve colaboração do Egito e depois do Iraque, mas nos anos 90 Carlos Menem parou o projeto por pressão política dos Estados Unidos.

É possível que a Líbia tenha assumido o programa Condor II por volta de 1995. Problemas no Oriente Médio obscureceram o andamento do projeto, mas era claramente o mais promissor dos mísseis líbios.

O Condor III teria seu alcance aumentado para 1.500km com a mesma carga do Condor II. Mas é provável que o programa terminou com a queda do regime de Saddam Hussein no Iraque.

Especificações[editar | editar código-fonte]

  • Comprimento: 10.5m
  • Diâmetro: 0,80m
  • Peso: 5.200kg
  • Ogiva: Uma (explosiva ou química) de 450kg
  • Alcance: 900km
  • Propulsão: sólido/líquido de 2 estágios