Conquista muçulmana do Egito

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Pouco antes da invasão muçulmana do Egito (639642), o país fazia parte do Império Bizantino até ser ocupado, uma década antes, pelo Império Sassânida, sob a liderança de Cosroes II (616 a 629). O imperador bizantino Heráclio recapturou o Egito, após uma série de campanhas consideradas brilhantes militarmente, contra os persas sassânidas; porém perdeu-o novamente para o exército Rashidun, dez anos mais tarde. Antes que a invasão muçulmana do Egito começasse, no entanto, o Império Bizantino já havia perdido o Levante para as forças islâmicas e, ademais, suas principais fontes de mão de obra, o reino Gassânida e a Armênia já haviam sido ocupadas por elas. Este conjunto de fatores acabou deixando o Império Bizantino perigosamente exposto e vulnerável aos invasores.1

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Haykal, Muhammad Husayn. Al-Farooq, Umar cap. 18 pág. 453

Bibliografia[editar | editar código-fonte]


Ícone de esboço Este artigo sobre conflitos armados é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.