Coxim Atlético Clube

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Coxim
Nome Coxim Atlético Clube
Alcunhas CAC, Jaús Furiosos
Torcedor/Adepto Coxinense
Mascote Jaú
Fundação 10 de janeiro de 2002 (12 anos)
Estádio André Borges (Caldeirão do Borjão)
Capacidade 3.500
Localização Coxim, MS, Brasil
Presidente Brasil Márcio Pacífico
Competição Mato Grosso do Sul Campeonato Sul-Mato-Grossense - Série B
Kit left arm blueshoulders.png Kit body fortaleza08h.png Kit right arm blueshoulders.png
Kit shorts.png
Kit socks.png
Uniforme
titular
Kit left arm whiteshoulders.png Kit body fortaleza08a.png Kit right arm whiteshoulders.png
Kit shorts.png
Kit socks.png
Uniforme
alternativo
editar

Clube Atlético Coxim é um clube brasileiro de futebol com sede na cidade de Coxim, no estado de Mato Grosso do Sul. Manda seus jogos no estádio municipal André Borges, mais conhecido como Calderão do Borjão, que tem capacidade para 3.500 pessoas.

História[editar | editar código-fonte]

O time foi criado no ano de 2001, porém no dia 10 de janeiro de 2002 foi oficializada a data de sua fundação.[1] A equipe surgiu de fato quando uma seleção sub-23 disputou em 2001 o campeonato estadual da Série B ficando em segundo lugar, onde a equipe do Águia Negra de Rio Brilhante ficou em primeiro. As duas primeiras colocadas subiram para a Série A e houve a necessidade de se fundar um time com o nome da cidade e que fosse profissionalizado. O Sr. José Carlos, o engenheiro Zanin e outros membros da LEC (liga Esportiva Coxinense) convencidos de que era a hora de investir e aproveitar o bom momento da equipe fundaram oficialmente o CAC. No ano de 2002, com o vice-campeonato da série B, obteve o acesso à primeira divisão do estadual, a equipe fez boa campanha e chegou na 12° colocação. Em 2003, chegou as quartas de final com cinco vitórias em 10 jogos, acabou parando em 5° lugar e começou a ser um dos mais temidos do estado. O Coxim permaneceu até 2004 quando fez sete pontos em 18 jogos, parando na penúltima colocação em 9° lugar e sendo rebaixado para a segunda divisão do Campeonato Sul-Mato-Grossense. Numa recuperação, o time voltou a elite outra vez chegando na segunda colocação na Série B.

Em 2006, com os belos jogadores Chaveirinho e Tainha, o clube sagrou-se campeão estadual em uma bela campanha de 41 pontos em 22 jogos, com duas goleadas por 9 a 0 sobre o Maracaju e o Pantanal no Calderão do Borjão, e na final levando o título sobre o Chapadão por dois resultados de 0 a 0. Com essa conquista, o clube obteve o direto de disputar a Copa do Brasil de 2007. O time pegou de cara o Atlético Paranaense e em uma partida no estádio Morenão, na cidade de Campo Grande, foi derrotado pelo placar de 3 a 5, sendo eliminado logo na primeira fase da competição. No estadual do mesmo ano, era o grande favorito da competição, mas a equipe acabou sendo punida pelo TJD de Mato Grosso do Sul, pois escalou um jogador de forma irregular e teve seis pontos a menos na segunda fase, acabando ficando de fora da fase final parando em 5° lugar. Em 2008, teve uma crise geral pelo ocorrido no interior, e conseguiu apenas cinco pontos em 12 jogos, mas graças a desistência dos times campeões da série B o clube continuou na elite do futebol sul-mato-grossense. Em 2009, a equipe terminou na 12° colocação. No início de 2010 iria participar do estadual da série A, mas por falta de patrocínio, ficou de fora da competição e cedeu espaço para o Guaicurus. Em 2011, o time estava cotado para participar da Série B do Campeonato Sul-Mato-Grossense, mas recusou outra vez.

Categorias[editar | editar código-fonte]

Mascote[editar | editar código-fonte]

O mascote do CAC é o Jaú, e o clube é conhecido também como os Jaús Furiosos. O Jaú, um peixe forte e traiçoeiro, que exige muita paciência. Por ser conhecedor das correntezas locais, o Jaú exige muita paciência do pescador, que muitas vezes tem de trabalhar por mais de uma hora para que a linha não arrebente e o peixe escape levando a isca por água abaixo.

Uniforme[editar | editar código-fonte]

O uniforme principal (para os jogos como mandante e quando possível de ser usado como visitante) é composto pela mítica camisa tricolor com listras horizontais em azul, vermelho e branco, calção azul e meiões brancos. O uniforme reserva é composto de camisa branca, calção branco e meiões azuis.

Estádio[editar | editar código-fonte]

O time manda seus jogos no estádio André Borges, também conhecido como Caldeirão do Borjão, que tem capacidade para 3.500 pessoas.[2] O estádio é também o CT do time, e localiza-se na Avenida Virgínia Ferreira 1.450, no bairro Flávio Garcia em Coxim. A maior lotação foi no dia 25 de junho de 2006, quando o Chapadão montou a sua própria arquibancada e o número ampliou para mais de 5.000 pessoas na final do campeonato.

Torneios disputados[editar | editar código-fonte]

Campeonato Sul-Mato-Grossense:

  • 2002: 12° lugar
  • 2003: 5° lugar
  • 2004: 9° lugar
  • 2006: 1° lugar
  • 2007: 5° lugar
  • 2008: 16° lugar
  • 2009: 15° lugar

Campeonato Sul-Mato-Grossense - Série B:

  • 2001: 2° lugar
  • 2005: 2° lugar

Copa do Brasil:

  • 2007: 57° lugar

Títulos[editar | editar código-fonte]

Estaduais[editar | editar código-fonte]

Ranking da CBF[editar | editar código-fonte]

  • Posição: 278º
  • Pontuação: 2 pontos

Ranking criado pela Confederação Brasileira de Futebol que pontua todos os times do Brasil.

Referências

  1. CAC completou 5 anos do título do Campeonato Estadual esportecoxim.com.br. Página visitada em 27 de setembro de 2011.
  2. CNEF - Cadastro Nacional de Estádios de Futebol (PDF) (em português) Confederação Brasileira de Futebol. Página visitada em 27 de setembro de 2011.

Ver também[editar | editar código-fonte]