Craca

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Como ler uma caixa taxonómica Cracas
Barnacles.jpg

Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Arthropoda
Subfilo: Crustacea
Classe: Cirripedia
Superordem: Thoracica
Ordens
Cracas da espécie Semibalanus balanoides no porto de Upernavik, na Groenlândia, medem cerca de 1 cm de diâmetro.
Cracas Gooseneck (Lepas anserifera)

Craca é o nome comum para os crustáceos marinhos sésseis de vários géneros da ordem Thoracica da classe Cirripedia. Estes animais quando adultos têm o exoesqueleto calcificado composto por várias placas que definem uma forma cónica. As cracas escolhem normalmente substratos rochosos, mas podem fixar-se também a fundos de embarcações (onde causam estragos) ou a outros animais (por exemplo baleias). Por serem animais que formam colónias (durante a fase natante de larva), a sua reprodução é constante. Cerca de 97% das espécies conhecidas são hermafroditas.

Uso culinário[editar | editar código-fonte]

Algumas espécies de cracas são utilizadas na alimentação humana, servindo de base à confecção de entradas ou entrando na composição de pratos de marisco. Entre as espécies mais utilizadas está a Megabalanus azoricus, uma craca de grandes dimensões que deve o seu nome específico ao ter sido originalmente descrita com base em espécimes colhidos no arquipélago dos Açores, onde é utilizada na alimentação humana, sendo consumida cozida em água do mar. Posteriormente foi identificada noutros locais como, por exemplo, nos arquipélagos da Madeira e de Cabo Verde. Outra craca com grande consumo é a Austromegabalanus psittacus, do Chile.

Sistemática[editar | editar código-fonte]

Embora não colhendo o apoio unânime dos sistematas, a classificação de Martin e Davis, seguida abaixo, coloca o grupo Thoracica como uma superordem dos Cirripedia, permitindo a seguinte classificação até ao nível das famílias1 :

Superordem Thoracica Darwin, 1854

Notas

  1. Joel W. Martin & George E. Davis. An Updated Classification of the Recent Crustacea. [S.l.]: Natural History Museum of Los Angeles County, 2001. 132 pp p.